Liberar ou bloquear o acesso às redes sociais nas empresas?

O questionamento sobre o acesso às redes sociais durante o trabalho é um dilema presente no cotidiano de muitos gestores: proibir o acesso à redes e sites que desviam o foco e reduzem a produtividade dos colaboradores, ou permitir o acesso à esses sistemas, visando o bem estar dos colaboradores? É uma pergunta difícil de ser respondida.

Liberar o acesso às redes sociais?

O acesso às redes sociais é o fator que mais contribui para o desperdício de tempo no trabalho. No Brasil, mais de 90% dos usuários de internet possuem perfil em ao menos uma rede social e pesquisas apontam que 72% dos profissionais acessam seus perfis sociais durante o trabalho. Apesar de as redes sociais serem usadas por pessoas de todas as idades, o público jovem é que lidera o uso, inclusive no ambiente de trabalho.

Uma das coisas em que os jovens devem estar atentos e preocupados é o fato de que o ambiente de trabalho é para trabalho e quando se fica muito tempo nas rede sociais, o momento é de se repensar, pois este tipo de atitude pode ser duas coisas: ou o profissional está acomodado e não tem perspectiva de crescimento na empresa ou está muito desmotivado.

Sabemos que hoje com a grande quantidade disponível de redes, aplicativos e o rápido acesso através de inúmeros dispositivos, o acesso às redes sociais pode ocorrer de variadas maneiras. Dessa forma, o gestor deve decidir se quer ou não liberar o acesso às redes sociais, por isso é importante conhecer a sua equipe e entender como esse uso pode influenciar na produtividade.

As empresas podem adotar políticas liberais ou mais conservadoras, mas com certeza o ponto mais importante a ser considerado e trabalhado é a maturidade da equipe. Em uma equipe madura, produtiva e em compromisso com os resultados da empresa, é possível adotar uma postura mais flexível, liberando o acesso sem restrições ou em horários específicos.

O que não é recomendado para equipes sem esta maturidade, pois fará com que os colaboradores percam ainda mais o foco nas atividades da empresa e comprometam os resultados.

Nesse sentido, podemos concluir que o gestor deve buscar soluções nos dois sentidos, desenvolver métodos de manter a equipe motivada, produtiva e focada nas tarefas e resultados da empresa, mas ao mesmo tempo implementar uma política de acesso à Internet de acordo com o perfil da equipe, bloqueando o acesso para evitar desperdício de tempo e baixa produtividade, se necessário.

Bloquear o acesso às redes sociais?

Caso o gestor acredite que as redes sociais são uma ameaça para o seu negócio e para a sua equipe, pois além de prejudicar a produtividade elas também facilitam e abrem espaço para a entrada de vírus, Ransomware, phishing, entre outros problemas referentes a segurança.

Em uma situação como essa o ideal é implantar um sistema para gestão e controle da internet. Porém, o mais importante é usar do bom senso nas regras, pois o recomendado é analisar as particularidades da sua equipe e definir grupos de acesso, implementando regras de acesso de acordo com o perfil dos colaboradores e atividades desempenhadas, de forma diferente para cada grupo definido.

Por exemplo, o setor de vendas pode utilizar as redes sociais para prospecção de clientes, o setor de RH pode buscar informações sobre profissionais em redes como LinkedIn e até mesmo no Facebook, mas o restante da sua equipe não tem nenhum tipo de relação das atividades realizadas com o acesso às redes sociais.

Nesse cenário, o ideal será o acesso liberado ao setor de vendas, acesso controlado em horários específicos para o RH e o restante da equipe ter o acesso bloqueado ou ainda, como opção, liberado em algum horário específico de intervalo.

Outro ponto importante é o levantamento de informações sobre o uso da Internet, ter relatórios do que está sendo acessado e analisar essas informações em conjunto com relatórios de produtividade da equipe e entrega de tarefas, pode levar a otimização da sua política de acesso a Internet.

Faça essa experiência, com bloqueios e acessos liberados, preste atenção no comportamento dos colaboradores, compare resultados e verá como as pessoas são capazes de surpreender, tanto para o lado positivo, quanto para o lado negativo.

Você tem experiências ou sugestões sobre o bloqueio de acesso as redes sociais? Compartilhe conosco nos comentários!

Sete em cada dez colaboradores acessam redes sociais no trabalho

Acessar redes sociais no trabalho, seja pelo computador ou smartphone, se tornou um hábito dos brasileiros. Pesquisa feita com 1.200 profissionais no país mostrou que sete em cada dez dizem conseguir equilibrar o tempo entre a navegação na Internet e as atividades profissionais. No entanto, para gestores e especialistas, essa prática desvia o foco dos colaboradores sem que eles percebam, comprometendo a produtividade.

Pesquisa do uso de redes sociais no trabalho

Na pesquisa, os profissionais apontaram não verem problema em acessar sites e aplicativos como Facebook, Twitter, Instagram e outros. Porém, 71% deles acreditam que, quando os seus colegas fazem o mesmo, perdem a concentração e o rendimento. Ainda, 45% dos entrevistados reconheceram que a navegação em sites e redes sociais atrapalha sua concentração.

Os profissionais precisam entender que, em cada momento de distração, se perde o foco na tarefa principal. Esse tempo e a energia gastos a cada acesso, sendo realizado inúmeras vezes ao dia, podem resultar em horas perdidas durante o expediente, esse desperdício pode chegar a 30% do tempo de trabalho.

Para 29% dos entrevistados, a solução é o bloqueio do uso das redes sociais e do e-mail pessoal no trabalho, podendo se tornar até motivo de demissão. Porém, alguns especialistas defendem que medidas drásticas não são recomendadas, como bloquear todo acesso à Internet durante o expediente.

“As pessoas ainda não desenvolveram a capacidade de incorporar a rede social, o celular e o tablet no dia a dia e ainda assim não perder foco. Hoje, o colaborador verifica as notificações no smartphone e e-mail no computador ao mesmo tempo. É impossível ter cabeça para isso tudo”, comentou um dos coordenadores da pesquisa.

De acordo com a pesquisa, o acesso às redes sociais ou ao e-mail pessoal é restrito para 39% dos entrevistados, que navegam apenas em horários estipulados pela empresa. Apenas para 32% dos consultados o acesso é liberado durante todo o expediente e, para 28%, a liberação existe apenas para uma parte dos colaboradores das empresas.

Uso da internet

Essa má utilização da internet no ambiente de trabalho não é novidade, pois muitos colaboradores não se preocupam c0m o crescimento pessoal e da empresa e acabam por somente ocupar lugar dentro do ambiente corporativo.

Além disso, muitos colaboradores argumentam dizendo que estão conectados para manter-se informados, pois quando estão conectados no Facebook, Twitter, Instagram recebem mais informações.

Porém, esse “conhecimento” é ilusório, pois quando se está conectado e trabalhando ao mesmo tempo, fica difícil conseguir manter a concentração em duas atividades, com isso nenhuma é feita de forma completa e corretamente, visando resultados satisfatórios.

Gestão da Internet

É importante as empresas terem algum controle de acesso à Internet, mas regras drásticas de bloqueio não são recomendadas. O ideal é liberar o acesso à internet e redes sociais em alguns horários específicos, orientar os colaboradores ao uso consciente da Internet e monitorar a navegação através de ferramentas de análise e geração de relatórios de acesso.

Dessa forma a gestão da internet é realizada, porém, sem fazer com que o colaborador sinta-se totalmente preso e sem poder utilizar a internet no horário de almoço, por exemplo. É importante ter em mente que o uso correto das redes sociais pode contribuir no trabalho e até mesmo melhorar a produtividade, pois o cérebro precisa de algumas pausas durante o dia para estimular a criatividade.

 

Essa pesquisa e informações sobre o uso de redes sociais no trabalho ajudou você? Então baixe agora mesmo o “Modelo de documento sobre política de uso da Internet nas empresas” e saiba como orientar os seus colaboradores da melhor forma!

11 dicas para reduzir o desperdício de tempo nas redes sociais durante o trabalho

O acesso irrestrito às redes sociais durante o trabalho é um tema polêmico e exige uma análise completa do cenário de trabalho em cada empresa e das atividades desempenhadas pelos profissionais.

A definição da política da empresa em relação ao uso das redes sociais no trabalho cabe aos gestores, considerando os benefícios e contras da gestão do uso da internet. Para auxiliar nessa análise sugiro a leitura dos artigos abaixo:

Independente da política adotada na sua empresa, é importante que você, como profissional, entenda que o acesso constante às redes sociais durante o trabalho compromete o foco e a realização das tarefas, onde o mais prejudicado é você mesmo como profissional, que deixa de ser produtiva e acaba não entregando os resultados que poderia. No médio prazo um comportamento irresponsável em relação a isso, pode comprometer seu crescimento na empresa ou até mesmo seu emprego.

Portanto, para seu próprio benefício, é recomendado responsabilidade ao acessar suas redes sociais no trabalho. Para isso é necessário comprometimento com as responsabilidades na empresa e disciplina.

Para auxiliar, listamos 10 dicas simples que vão lhe auxiliar a manter o foco no trabalho e se tornar mais produtivo:

1 – Utilize apenas redes sociais relevantes

A cada dia surgem novas redes sociais e cada uma pode atrair sua atenção de formas diferentes. Antes de ingressar em qualquer rede, avalie a relevância pra você, se você possui amigos ou contatos e qual o propósito de participar de mais uma rede social.

Na dúvida, deixe de participar e busque estar apenas nas redes mais conhecidas como Facebook, LinkedIn, Twitter e Instagram, pois somente essas quatro citadas já podem tomar muita atenção do seu tempo durante seu dia.

2 – Desative notificações por e-mail

Todas redes sociais permitem configurar o recebimento de notificações por e-mail. O recomendado é desativar todos os tipos de notificação, já que dificilmente você vai controlar a curiosidade em saber porque foi marcado em uma imagem ou comentário de algum amigo.

3 – Desative notificações na tela do seu smartphone

Hoje em dia a grande maioria dos usuários de redes sociais acessa seu perfil no celular. Por padrão os aplicativos costumam gerar alertas de qualquer atividade que acontece relacionada ao seu perfil. Esses alertas com certeza irão despertar sua curiosidade e levar a acessar seu perfil.

Para evitar essas distrações, configure os aplicativos do seu celular para não gerar alertas na tela do celular. Essa dica vale inclusive para outros aplicativos que não tenham relação com seu trabalho.

4 – Mantenha seu celular longe do alcance da sua mão

Com o acesso rápido e fácil pelo smartphone, os usuários acabam desenvolvendo o hábito (vício em alguns casos) de constantemente visualizar o celular e acessar alguma rede sociais para verificar as novidades da sua timeline.

Pra evitar que esse hábito se desenvolva, mantenha seu celular guardado em uma gaveta ou na sua mochila. Ao alcance apenas de ouvir no caso de alguma ligação.

5 – Defina horários para acessar sua rede social

Você na precisa deixar de acessar seu perfil, mas faça isso em horário pré-definidos. O ideal é que seja em horários de intervalo durante os turnos de trabalho, 20 minutos em cada turno é mais que suficiente para acessar seu perfil.

Essa dica também é válida para empresas que controlam o acesso durante o trabalho, liberar o acesso em alguns intervalos pode ser interessante pra descanso dos colaboradores.

6 – Determine seu objetivo em cada rede social

Estar nas redes sociais não pode ser apenas para ver novidades em sua linha do tempo, é fundamental ter um propósito para manter seu perfil ativo e acessar com frequência.

Por isso você precisa entender o propósito das redes, algumas como o Facebook e Instagram podem ser para companhar amigos e saber de novidades do marcas do seu interesse, outras como o LinkedIn devem ser usadas para relacionamentos profissionais e busca de conteúdo.

Quanto mais claro você tiver em relação ao por quê de acessar uma rede social, mais você irá evitar desperdício de tempo com informações irrelevantes, tanto na vida pessoal, como profissional.

7 – Siga apenas pessoas e marcas relevantes

Essa dica complementa o item anterior. Siga seu objetivo definido naquela rede social e acompanhe apenas pessoas relevantes e marcas do seu interesse. Evite seguir qualquer tipo de conteúdo, isso só vai lotar sua linha do tempo de assuntos sem utilidade e causar distração e perda de tempo.

8 – Relevância vale muito mais que quantidade

Da mesma forma que você deve acompanhar apenas conteúdos relevantes. Busque compartilhar apenas informações úteis e relevantes para os que lhe acompanham nas redes, evitando publicações como atividades cotidianas ou comentários inúteis em publicações de outros.

Nesse sentido, bom senso é o mais importante, para evitar discussões que envolvam preferências políticas e de religião, por exemplo.

9 – Utilize gerenciadores de redes sociais

Existem serviços online que permitem o acesso integrado de vários perfis em redes sociais diferentes de forma integrada, facilitando a visualização de conteúdo e publicações.

Uma boa opção de agregador de redes sociais é o HootSuite.

10 – Redes sociais não são “real time”

Entende que redes sociais não necessitam de respostas em tempo real. Você pode esperar para responder o comentário do seu amigo sobre aquela foto do final de semana. Assuntos urgentes e relevantes muito dificilmente virão via redes sociais.

11 – Separe sua vida online da vida offline

Por mais que as redes sociais estejam presentes no nosso cotidiano, é fundamental entender o mais importante é sua vida real. Então não tente criar uma impressão nas redes sociais, diferente do que você é na realidade.

Esse tipo de comportamento pode estar ligado a insatisfação pessoal e serve como “muleta” para aceitarmos fracassos.

Mantenha o foco em seus objetivos pessoais e profissionais, nada é mais importante que isso!

Finalizando nossas dicas, basta entender que as redes sociais vieram pra ficar e você deve fazer uso saudável dessas ferramentas, pra cultivar boas amizades, se manter bem informado e alimentar seus relacionamentos profissionais. Qualquer coisa diferente disso, possivelmente é irrelevante.

Se você tiver mais alguma dica de como se comportar de forma responsável nas redes sociais durante o trabalho, por favor compartilhe nos comentários.

Redes sociais no trabalho: produtividade ou distração?

Que as redes sociais vieram para modificar as nossas experiências relacionadas à comunicação e internet, isso todo mundo sabe. A questão é, se realmente a comunicação via internet de forma instantânea e o entretenimento auxiliam e acrescentam no ambiente corporativo.

Uma pesquisa realizada no último ano pela Triad Consulting, empresa especializada em produtividade, revelou como os profissionais brasileiros gastam seu tempo de trabalho na internet. Os resultados surpreendem e mostram como a produtividade cai com o uso da internet no trabalho. Para chegar aos números finais, foram entrevistados 1,6 mil profissionais.

De acordo com a Triad, 80% das pessoas entrevistadas gastam até 3 horas da jornada de trabalho com atividades que não contribuem com seu serviço, sendo que boa parte destas horas é gasta na internet. Outro dado importante revelou que, para 35,6% dos entrevistados, os próprios computadores, que são essenciais para o trabalho, são reconhecidos como principal foco de distração durante o expediente. Do tempo gasto na internet durante o trabalho, a pesquisa mostrou que 27,3% do tempo é gasto com e-mails e 21,4% com outras atividades online.

Produtividade

Tendo em vista esses dados pode-se perceber que existe um grande risco de baixa produtividade quando a internet e a vida pessoal tornam-se prioridade no trabalho. A internet ao mesmo tempo em que oferece soluções e ideias, pode fazer com que seus colaboradores se distraiam e percam tempo com atividades que não contribuem para seu crescimento profissional e ainda podem prejudicar a empresa.

Além das informações citadas, a Triad revelou que 40,9% dos entrevistados usa o e-mail para repassar piadas, 26,1% deles trocam links do YouTube, 20,6% jogam em rede e 11,1% veem pornografia.

Usar a internet no trabalho ainda é um assunto que gera muita discussão. Saber os limites de quando ela é benéfica e quando ela prejudica é o grande desafio. Vale lembrar também que o uso indevido do celular e redes sociais no trabalho, em casos mais extremos, pode até resultar em demissão por justa causa, de acordo com o Artigo 482 da CLT. Resta a cada um ter bom senso e responsabilidade para usar a internet como aliada.

Redes Sociais

Os profissionais mais jovens costumam ser os que mais utilizam as redes sociais no trabalho. Portanto, se na sua empresa, grande parte dos colaboradores são jovens, uma boa ideia seria liberar a utilização das redes sociais em um período de tempo. Assim você faz com que o jovem fique mais confortável a atencioso no trabalho. Em contrapartida a essa liberdade, é necessário que os profissionais sejam mais exigidos também.

O mercado de trabalho é cada vez mais alimentado por pessoas “antenadas”, com ótima formação e um vasto currículo e o nível de cobrança e responsabilidade para com estes indivíduos também deve ser maior. Porém, é papel da empresa que designe funções compatíveis às competências e habilidades desses profissionais, pois acessar redes sociais o tempo todo no trabalho pode significar desmotivação e ociosidade.

Existem algumas empresas que necessitam que os seus funcionários fiquem o dia todo conectados na internet e redes sociais, em casos como esse é preciso cuidado do lado do empregado e gestão correta do empregador. O dono/empregador deve sempre deixar claro como a política de acesso à internet funciona e de que forma é utilizada na empresa, assim fazendo com que o funcionário tenha consciência e evite atitudes incorretas e que possam acarretar em uma demissão não esperada.

O colaborador precisa saber que por mais que precise utilizar a internet para trabalhar, não deve fazer uso das suas redes e utilizar como entretenimento ou até mesmo iniciar conversas pessoais. Quando o funcionário não entende qual o papel que deve desempenhar, acaba perdido e então as redes sociais podem sim se tornar uma distração, ao invés de trabalho e produtividade.

Muita gente sabe usar muito bem as redes sociais para se divertir, porém não tem a menor noção de como tirar proveito delas para se dar bem no ambiente de trabalho. Portanto, segue abaixo algumas dicas de como usar as redes sociais no trabalho de forma correta e responsável:

  • Estar conectado a muitas redes faz com que o profissional tenha a sua atenção dispersa em muitos sites ao mesmo tempo, portanto, procure estar conectado em uma rede social apenas e dê uma “espiadinha” bem rápida durante o trabalho ou em um momento de folga.
  • Uma das coisas que pode atrapalhar e muito durante o trabalho é o bate-papo que leva muito tempo, sendo que muitas das vezes as pessoas esperam por uma resposta rápida e se não der para responder na hora, responda depois, a não ser que a conversa seja sobre o serviço.
  • Deixar a rede social aberta o tempo todo dá a impressão de que o empregado está desocupado o tempo todo e para evitar este tipo de problema, escolha um horário em que não prejudique o seu rendimento no trabalho, que pode ser durante o almoço ou o fim do dia.
  • Um dos erros mais comuns é o uso do e-mail corporativo para receber notificações de suas redes sociais, o que se torna uma boa fonte para a distração dos jovens, portanto configure a sua conta para não dar notificações ou para dar notificações em seu e-mail pessoal, mas vale ressaltar que o e-mail pessoal não deve ser acessado a todo o tempo, pois as empresas trabalham com e-mails corporativos para ser usado com assuntos da empresa e não para diversão, portanto foque em seu trabalho e use pouco as redes sociais em seu ambiente de trabalho.

Distração

Em uma pesquisa realizada com 1.709 profissionais, de presidentes à estagiários, especificamente sobre a utilização das redes sociais, um dado que foi divulgado refere-se à pessoas que acabam “furando” a proibição de acesso nas empresas. Em análise, 47% das pessoas que trabalham em empresas que proíbem o acesso à redes sociais, continuam utilizando mesmo assim. Além disso, 66% das pessoas entrevistadas afirmam que acessam o celular quando a rede está proibida.

Em casos como esse, de violação das regras e políticas da empresa, uma solução é a implantação de um serviço para gestão e controle de internet, onde é possível realizar controle por horários e monitoramento do que é acessado na rede da sua empresa. Com isso você consegue fazer com que os seus colaboradores façam um acesso mais correto da internet no local de trabalho.

A gestão e controle de internet também possibilita uma maior proteção da rede e dados da empresa contra ataques e sites nocivos. Além disso, quando é realizada a implantação de um serviço para controle de internet, percebe-se o aumento da produtividade entre os colaboradores e queda no desperdício de tempo, que geralmente causa muitos danos à empresa.

Bloquear as redes sociais otimiza a produtividade da equipe?

A partir das novas tecnologias lançadas a todo o momento no mercado de consumo, a utilização de redes sociais como Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn, WhatsApp, entre outras, mostra-se totalmente inerente ao cotidiano da maioria das pessoas. Mas, junto com estas inovações, nasce um novo problema: estabelecer limites ao seu uso.

Os usuários têm cada vez mais dificuldade em desvincular-se do universo virtual, inclusive enquanto estão no ambiente de trabalho. Não tem como negar que as redes sociais trouxeram grandes avanços nas relações interpessoais, além de aumentar a rede de contatos, o fluxo de conteúdo e a troca de informações. Porém, junto com as inovações vieram também alguns problemas relacionados a utilização da internet, por isso é preciso saber dosar o acesso a tais ferramentas, para que a produtividade não fique comprometida.

Mas será que apenas bloquear sites como Facebook, Twitter e Instagram é suficiente para manter a equipe focada e longe de distrações? Existem diversos outros sites que podem dispersar os colaboradores, de modo que é impossível conseguir barrar o acesso a todo e qualquer ponto de divagação. Além disso, permitir pequenas pausas de relaxamento ao longo do expediente pode aumentar os níveis de atenção e produtividade.

É preciso estabelecer estratégias claras para determinar a postura da empresa em relação ao acesso às redes sociais. Saiba que atitudes tomar em relação a essa questão:

Defina horários de acesso

Adotar uma postura mais tolerante pode ser um caminho para utilizar o acesso controlado às redes sociais como forma de incrementar a produtividade da empresa. Porém, para que não haja abuso, é preciso estabelecer regras como horários específicos, limite máximo de tempo de acesso ou também disponibilizadas dicas para uso consciente e seguro da internet. Os períodos do almoço e ao fim da tarde são uma boa opção ou ainda 20 minutos de intervalo durante o turno, para descanso. Dessa forma, a dificuldade em garantir uma restrição completa pode ser substituída pela estipulação de regras e limites de utilização.

Dê sugestões de conduta

Caso fique estabelecido que o acesso será liberado, forneça aos colaboradores algumas orientações, como uma política de uso da internet nas empresas para que a distração não comprometa a produtividade. Sugira, por exemplo, que seja desabilitado o recebimento de notificações, diminuindo a curiosidade e a ansiedade de verificar as mensagens recebidas. Recomende também que os colaboradores selecionem algumas redes sociais do seu interesse, entre todas existentes, possuir perfil em muitas redes sociais pode prejudicar o foco no trabalho e até em outras atividades, como os estudos.

A utilização do celular na empresa também deve ser ser um ponto para ser levado em conta nas recomendações aos colaboradores. Porque com a evolução da conectividade dos aparelhos com a internet, a principal função dos celulares passou a ser a utilização de serviços para checagem de e-mails, programas de comunicação instantânea, aplicativos e redes sociais. Além disso o uso do celular pessoal e da internet estão no topo da lista dos 10 hábitos que mais comprometem a produtividade dos profissionais no ambiente de trabalho. Em alguns casos a utilização do celular pode acarretar em demissão por justa causa. Para evitar situações como essa, oriente a sua equipe sobre a utilização, para que seja realizada de forma responsável.

Saiba utilizar as redes sociais em favor da produtividade da equipe

Ainda que, em alguns casos, as redes possam comprometer o rendimento dos trabalhadores, diversas funções presentes nelas podem ser utilizadas para organizar e aumentar a produtividade nas empresas. O departamento de vendas, por exemplo, pode ficar comprometido caso o acesso seja bloqueado, uma vez que, atualmente, muitos negócios são fechados pela web.

A velocidade da troca de informações e ausência de intermediários são os principais ganhos das equipes que utilizam ferramentas de trocas de mensagens como o Skype, por exemplo. Além disso, o contato constante entre os funcionários, ainda que um deles esteja fora do escritório, pode gerar, inclusive, uma aceleração no cumprimento de metas, uma vez que as atividades não ficam estagnadas em função da ausência de um dos elementos do grupo de trabalho.

Manter o engajamento da equipe e demonstrar ao colaborador meios de utilizar as redes sociais de forma proveitosa e sem abusos, são os segredos para melhorar a baixa a produtividade e qualidade do serviço!

 

As redes sociais têm afetado a produtividade da sua equipe de maneira positiva ou negativa? Compartilhe sua opinião conosco!

Redes sociais e a produtividade da equipe: é necessário atenção e acompanhamento!

Muito se discute sobre a liberdade de acesso às redes sociais e programas de comunicação via internet durante o trabalho. Alguns entendem que o uso desses serviços é uma maneira de valorizar o colaborador, oferecendo essa liberdade nas redes sociais como benefícios aos profissionais. Outros consideram que a gestão do acesso é a melhor opção, com definição de regras no acesso a esses conteúdos, já que o desperdício de tempo gerado pode afetar significativamente a produtividade da equipe e os resultados da empresa.

Na definição de como a empresa irá se posicionar sobre o assunto, é muito importante avaliar inicialmente o perfil dos profissionais no ambiente de trabalho, a maturidade da equipe e o tipo de atividades desempenhadas pelos colaboradores. O ideal é adotar um posicionamento que esteja em equilíbrio entre a liberdade total no uso da rede e regras de acesso mais rígidas que restrinjam totalmente o acesso às redes sociais, programas de comunicação ou serviços de interesse pessoal.

Em organizações com modelo de gestão “mais contemporâneo, onde a maioria dos profissionais são jovens ou as atividades desempenhadas permitem maior flexibilidade nos horários e liberdade dos profissionais em organizarem suas tarefas, fica mais fácil uma postura aberta em relação ao uso das redes sociais e internet de modo geral. Nesses contexto, é importante ressaltar que essas empresas costumam ter métodos de avaliação de resultados muito eficazes, dessa forma, se a equipe estiver entregando os resultados dentro do previsto ou desejado, é possível manter maior liberdade no uso das redes sociais. Já, se os resultados não estiverem dentro do esperado, é necessário avaliar qual o motivo, que pode ser o desperdício de tempo ou falta de atenção decorrente do uso indevido da rede, sendo esse o motivo é imprescindível implementar um política de uso da tecnologia, pra atenuar o problema.

Em ambientes corporativos tradicionais, onde dentro do processo de gestão não há um acompanhamento estruturado das atividades realizadas e resultados entregues pelos colaboradores ou pela equipe, é importante haver algum monitoramento em relação ao uso da internet e dos recursos de tecnologia, inclusive o uso dos smartphones pessoais. Pois, como não é possível dimensionar a produtividade e o desempenho dos colaboradores, é possível que muitos estejam desperdiçando grande parte do seu tempo em atividades não relacionadas ao trabalho e isso pode representar um desperdício muito relevante para a empresa. Utilize nossa calculadora de desperdício de tempo para estimar o custo que isso pode representar na sua empresa.

Em muitos casos o que pode atrapalhar as empresas é o “achismo” dos gestores. Por exemplo, achar que o colaborador não está sendo produtivo porque acessa o Facebook algumas vezes durante o dia. O gestor não pode usar a intuição pra avaliar como está o desempenho da sua equipe, é necessário ser objetivo e buscar a resposta para algumas questões: acessar as redes sociais ou usar o celular atrapalha o rendimento do colaborador? Quanto isso atrapalha e em que contexto, na quantidade de tarefas ou na qualidade? Qual o rendimento de cada colaborador em relação aos outros da equipe? Os colaboradores e a equipe estão tendo o desempenho esperado e entregando as tarefas dentro do prazo e na qualidade necesária? A resposta para esses itens podem auxiliar no entendimento de onde estão os gargalos da baixa produtividade e se o uso da internet, redes sociais ou celulares estão compromentendo os resultados.

Acompanhamento de tarefas e resultados

Independente da prática adotada pela empresa, o mais importante é, primeiramente, haver um acompanhamento das atividades realizadas pelos colaboradores, tanto no sentido de qualidade como quantidade. Ou seja, se as tarefas estão sendo entregues dentro do prazo desejado e com a qualidade esperada pela empresa ou pelos clientes.

Existem inúmeros serviços na internet que podem auxiliar nesse acompanhamento, permitindo um gestão completa das atividades realizadas por cada colaborador e os resultados obtidos. Vejamos algumas:

  • Acelerato – solução focada em gestão de projetos e sistema de atendimento, muito simples e intuitiva, permitindo acompanhamento eficiente de tudo. É possível testar a ferramenta por 15 dias sem custos.
  • Runrun-it – ótima solução para gestão de projetos, permite acompanhar as atividades e dimensionar o tempo gasto em todas tarefas. Possui uma versão gratuita.
  • Trello – serviço muito simples e prático para gerenciar qualquer fluxo de atividades, também possui um versão gratuita com limitações de recursos.
  • Basecamp – boa alternativa para melhorar a comunicação e registrar todas informações em relação do desenvolvimento de tarefas e projetos. Não possui versão gratuita.

Em conjunto com o acompanhamento das atividades, é necessário avaliar se os profissionais estão realmente engajadas com os objetivos da empresa, já que esse comprometimento é fundamental para um bom desempenho. Em alguns casos, pode ocorrer que o profissional está desmotivado, em casos assim não há método de acompanhamento que irá solucionar o problema. É preciso conversar, tentar identificar as causas dessa falta de comprometimento, para que a situação possa ser revertida. Caso não seja possível, o melhor é optar pelo desligamento e substituição, na busca de profissionais que estejam em sinergia com o propósito da empresa.

Gestão e controle de acesso à internet

Em relação ao controle do que pode ser acessado na internet, essa é uma medida a ser tomada sempre com sobriedade. Não é recomendado simplesmente restringir totalmente o acesso às redes sociais ou outros serviços de interesse pessoal, em vista de que isso pode desmotivar os profissionais ou até comprometer o relaxamento em intervalos ou horários de descanso, os quais são necessários e importantes.

O recomendado é sempre buscar o equilíbrio, inicialmente monitorando o uso da internet pelos colaboradores e criando restrições por tipos de conteúdo e horários específicos, adequando essas regras ao perfil dos colaboradores e atividades desempenhadas. Já falamos nesse artigo em como implementar uma boa política de utilização da internet em ambientes corporativos.

Aqui na Lumiun, oferecemos uma solução acessível e simples de gerenciamento do acesso à internet, pra saber mais entre em contato conosco.

A realidade é que não existe resposta ou método que resolva o problema de produtividade e comprometimento dos profissionais nas empresas. Mas dentro do possível, é necessário que a organizações busquem estar em um processo constante de melhoria e evolução, acompanhando as mudanças comportamentais dos profissionais e usufruindo dos recursos de tecnologia que contribuam na gestão. Alguns itens que podem ser seguidos são:

  • Implementar sistemas práticos e objetivos de controle de produtividades dos colaboradores.
  • Criar um programa de avaliação de desempenho com benefícios no alcance das metas.
  • Realizar campanhas internas de conscientização no uso da tecnologia, tanto em relação a produtividade, como em relação a segurança da informação.
  • Utilizar sistemas de gestão de tarefas, fluxo de atividades e monitoramento do uso da internet

Enfim, a internet existe para contribuir no dia a dia das empresas e dos profissionais, cabe a cada um utilizar esses recursos de forma saudável e focada no bem comum, no sentido pessoal, profissional e corporativo.

Compartilhe conosco nos comentários como você vê o uso das redes sociais e smartphones no trabalho e como acha que isso impacta a produtividade!

Causas da baixa produtividade dos profissionais no ambiente de trabalho

Atualmente é muito comum ocorrer distrações e desperdício de tempo no ambiente de trabalho, mesmo com a necessidade que os profissionais e as equipes tem de aumentarem seu foco e produtividade. Essas pausas comprometem a produtividades e entrega de tarefas dos colaboradores e os resultados das empresas.

São muitas as formas de distração existentes, ao longo do dia os celulares geram notificações constantemente informando novidades e avisando que seu amigo está afim de conversa, novos e-mails chegam a todo instante, no computador você vai buscar alguma informação na internet e acaba navegando por outros sites que chamam sua atenção, como uma notícia dos últimos acontecimentos da economia ou da política ou promoções de produtos do seu interesse, nas redes sociais as atualizações constantes atraem e prendem a atenção por horas durante o dia, seus colegas conversam o tempo todo sobre assuntos diversos, etc. Enfim, o desperdício de tempo no ambiente de trabalho ocorre de inúmeras formas e é necessário que as empresas tomem providencias para atenuar esse problema.

Esse cenário exige que os gestores busquem uma solução, considerando que a produtividade das equipes é um fator de competitividade no mercado e está diretamente relacionado à qualidade dos serviços realizados pelos colaboradores. Vejamos as principais causas de distração e baixa produtividade dos profissionais no ambiente de trabalho:

Redes sociais

Estima-se que 90% dos usuários de internet no Brasil possuem perfil em ao menos uma rede social e que 70% destes acessam as redes sociais no ambiente de trabalho. No computador ou no celular, os profissionais acessam constantemente seu perfil nas redes sociais, pesquisas apontam que o tempo gasto nas redes fica em torno de 30% do tempo de trabalho.

Conversas via celular e comunicadores instantâneos

As conversas através da troca de mensagens pelo Whatsapp, Skype, Facebook Messenger e outros, é econômica e prática, porém, compromete a concentração e a produtividade durante o trabalho. Se as atividades profissionais não dependem destas trocas de mensagens, é importante deixar seu celular desligado e haver restrições para evitar o exagero de conversar e o desperdício de tempo de trabalho.

Navegação na internet e e-mail pessoal

Basta uma conexão com a internet para que milhares de opções fiquem disponíveis, é comum os colaboradores acessarem o e-mail pessoal, ler notícias, visitar sites de esporte e entretenimento, pesquisar produtos e promoções, realizar compras, assistir vídeos, ouvir rádio, etc. Todas essas atividades tomam tempo e reduzem o tempo de trabalho e concentração nas atividades da empresa.

Conversas paralelas:

Esse é um problema recorrentes em ambientes corporativos, conversas entre colaboradores podem tomar o tempo que deveria estar sendo utilizado para produzir. Pequenas paradas e conversas com os colegas atrapalham a concentração de todos os que estão próximos.

Pausas

Sabemos que as pausas entre as horas de trabalho podem (e devem) ser realizadas, pois ajudam o trabalhador a relaxar e melhorar a sua concentração, porém, há quem abuse destes momentos, e até utilize disto como uma desculpa para a procrastinação. Portanto, é importante controlar gastos nestas atividades durante o dia e analisar se é possível reduzir essas pausas durante o tempo de trabalho.

Barulho no ambiente de trabalho

Em um ambiente corporativo a convivência com outras pessoas é imprescindível. É inegável que está convivência às vezes se torna difícil, afinal são várias pessoas com culturas, hábitos e educação diferentes. Falar muito alto, fazer muitos barulhos, som alto (mesmo que seja no seu fone de ouvido) podem irritar e atrapalhar o seu colega ao lado. É importante orientar a postura dos colaboradores dentro da empresa para manter um ambiente saudável e produtivo.

Bem, podemos perceber que existem inúmeras causas de distrações que reduzem a produtividade dos colaboradores. Esse é um problema de responsabilidade dos gestores, que devem agir para reduzir o desperdício de tempo. Em primeiro lugar, é necessário a empresa orientar e treinar os profissionais em relação ao comportamento ideal no ambiente de trabalho e como a empresa espera que ele se comporte, criando limites e punições caso as orientações não sejam seguidas.

Boa parte das causas de distrações está relacionada ao uso da tecnologia, para isso é importante a empresa criar um manual de ética e boas práticas no uso da internet, além disso, é importante utilizar algum serviço para controlar e monitorar o uso da Internet, o Lumiun é uma excelente alternativa para isso. Criando regras e filtros do que pode ou não pode ser acessado é possível reduzir a maioria do desperdício de tempo na internet. É sugerido flexibilidade e bom senso quanto a esse controle, podendo haver horários em que alguns recursos possam ser acessados. Também é fundamental monitorar os acessos, para saber o que os colaboradores estão acessando, pois muitas vezes podem ocorrer exageros que precisam ser barrados e punidos.

Sem dúvida, tornar a equipe mais produtiva é um desafio complexo, mas é fundamental buscar alternativas para que a empresa se torne mais competitiva. Mas com ações de conscientização e a utilização de ferramentas que limitem as distrações, é possível tornar a equipe mais produtiva.

No artigo como aumentar a produtividade das equipes através da gestão, falamos de ações práticas a serem implementadas que irão contribuir na produtividade e reduzir o desperdício de tempo dos colaboradores.

Vantagens e desvantagens de bloquear o acesso às redes sociais nas empresas

Controlar ou não controlar o acesso dos colaboradores às redes sociais? Essa dúvida afeta boa parte dos empresários, gerentes e gestores de equipe atualmente. No Japão, onde as pessoas são hiper conectadas, apenas 25% das empresas se preocupam com o que seus colaboradores acessam na Internet durante o trabalho. Já no Brasil, pesquisas apontam que a média de empresas que tomam medidas para coibir ou regulamentar o uso de redes sociais no trabalho é de 70%.

Existem vantagens e desvantagens no controle de acesso a Internet durante o período de trabalho nas empresas. Listamos a seguir alguns prós e contras, o que pode ajudar você a decidir qual será a política de uso da Internet na sua empresa. Por fim, apontamos algumas medidas que podem ser adotadas para que colaboradores e gestores fiquem satisfeitos e sua equipe e a empresa mantenha-se produtiva.

Vantagens em bloquear o acesso às redes sociais nas empresas

Mais foco no trabalho

Com o bloqueio do acesso a redes como Facebook, Twitter e comunicadores instantâneos como WhatsApp e Skype, irá ocorrer um aumento considerável no foco dos colaboradores nas atividades que são realmente importantes para a empresa. É uma realidade nas empresas o desperdício de tempo e atenção gerado a partir do acesso às redes sociais, pesquisas apontam que o tempo gasto nas redes sociais pode chegar  a 30% do tempo de trabalho.

Aumento de produtividade e qualidade nas tarefas

Naturalmente, com maior foco nas atividades da empresa, os colaboradores e equipes aumentarão a produtividade. Sem o acesso às redes sociais temos mais tempo dedicado nas tarefas da empresas, maior atenção e mais concentração no trabalho. Esses pontos também podem contribuir para maior qualidade nas tarefas realizadas e nos resultados, já que não ocorre interrupções ou distrações durante a execução do trabalho.

Melhor desempenho da Internet

Além de atrair a atenção das pessoas, as redes sociais também consomem boa parte dos recursos de Internet. Neste ponto podemos destacar o Youtube e o próprio Facebook, pois o carregamento de vídeos é pesado e consome recursos preciosos da rede. Todas as redes sociais consomem bastante os recursos da rede, com muito conteúdo, imagens, vídeos e atualizações constantes em tempo real.

Um dos principais fatores no desempenho, é que a Internet lenta pode comprometer o funcionamento de programas e serviços usados pela Empresa. Com o bloqueio de acesso, é possível garantir o melhor funcionamento desses programas.

Menos riscos de segurança

As redes sociais também estão cheias de links maliciosos que podem levar o usuário a instalar involuntariamente vírus, spywares e malwares nos equipamentos e na rede de computadores da empresa, o que pode ocasionar lentidão, mal funcionamento dos equipamentos ou vazamento de dados. Com os computadores expostos a vírus, também pode acontecer a perda de arquivos importantes da empresa que não tenham passado por backup.

Redução de custos com equipe

Com os colaboradores mais focados e produtivos, naturalmente sua equipe irá entregar tarefas mais rapidamente. Com isso é possível aumentar a quantidade de tarefas executadas pela equipe ou até mesmo a redução da equipe.

Pra dimensionar os custos com o acesso as redes sociais, podemos fazer um cálculo simples: considerando um tempo gasto de 20% do trabalho com redes sociais, em uma equipe de 10 pessoas com salário médio de R$ 1.000,00, o custo mensal chega a R$ 2.000,00, valor correspondente a 2 colaboradores.

Faça uma simulação do custo do tempo desperdiçado na sua equipe com o mau uso da internet.

Desvantagens do bloqueio de acesso às Redes Sociais no trabalho

Menor criatividade

As redes sociais também podem ajudar. No caso de colaboradores que trabalham com criatividade, o uso das redes pode auxiliar na criação, bem como aos que precisam estar informados sobre os últimos acontecimentos.

Agilidade nas busca de informações

Através das redes sociais também é possível realizar determinadas buscas de forma mais rápida que em mecanismos de busca convencionais, facilitando assim acesso e fluxo de informações.

Aumento de custos com comunicação

A utilização de sites como Facebook e comunicadores instantâneos como WhatsApp e Skype, pode reduzir custos operacionais, como ligações de longa distância, já que é possível contatar pessoas em qualquer lugar sem a necessidade de uso do telefone, por exemplo.

O que fazer?

Independente da escolha, o mais importante é uma manter uma política de utilização da internet clara e a conscientização dos colaboradores em relação ao que pode ser acessado no ambiente de trabalho.

É necessário entender que para definir a política de acesso a internet é importante considerar o perfil da sua empresa e dos seus colaboradores. Não é recomendado definir regras extremas, como manter todo acesso bloqueado, a melhor opção é liberar ou bloquear o acesso parcialmente, podendo ser por horários ou por tipo de sites e conteúdos. Por exemplo liberar as redes sociais no início e final de cada turno de trabalho por 15 minutos.

Para a maioria das empresas, o controle parcial tem sido a solução. é possível implementar esse controle de várias formas: bloquear apenas o uso de sites que utilizem muitos recursos da rede, como o Youtube; liberar o acesso em determinados horários, como no início e final do expediente ou em intervalos; ou bloquear o acesso individualmente ou por grupos de usuários. Neste último, é possível liberar o uso a setores que realmente precisam e bloquear o uso àqueles que não necessitam do acesso às redes devido à natureza das suas atividades.

Havendo dúvidas sobre qual a melhor política para a sua empresa, uma boa alternativa é buscar referências de empresas que fazem o gerenciamento do acesso a internet, para conhecer quais as regras utilizadas e os resultados obtidos. Também é recomendado buscar conhecer alternativas e serviços de controle de acesso a internet, conhecendo as características de cada solução, avaliando se atendem de forma satisfatória as necessidades da sua empresa.

Esperamos que o texto possa auxiliar na definição da política de acesso à internet na sua empresa! Se você já tem implementado o gerenciamento de acesso, compartilhe sua experiência nos comentários.

Colaboradores desperdiçam cerca de duas horas/dia no trabalho, mostra pesquisa

Atualmente, a preocupação dos empresários e gestores vai muito além do controle financeiro e vendas, para se manter competitivo e a frente da concorrência, os pontos mais relevantes para as empresas tem se tornado a eficiência, produtividade e entrega de resultados da equipe.

Nesse cenário, um dos principais problemas dos gestores de equipes é a queda excessiva da eficiência e produtividade! E essa preocupação parece justificada se tomarmos como base estudo elaborado pelo portal norte-americano, Salary.com, envolvendo mais de 10 mil colaboradores nos Estados Unidos. Veja alguns pontos de destaque da pesquisa:

Mais tempo do que se imagina

Diante da realidade do mundo atual, em que se passa a maior parte do tempo no trabalho, dedicar parte do dia a atividades pessoais é comum e não surpreende nem mesmo os empregadores, que estimavam que seus colaboradores ocupem 1 hora/dia em atividades não relacionadas ao trabalho.

Já os gerentes de Recursos Humanos, talvez por estarem mais próximos dos colaboradores, são mais pessimistas, estimando que os colaboradores gastem 90 minutos/dia em média em atividades pessoais. O problema é que o tempo desperdiçado é o dobro do que imaginam os empresários. Segundo o levantamento, em uma jornada de trabalho de oito horas, os colaboradores gastam em média 2 horas/dia com atividades pessoais, sem considerar horário de almoço e intervalos.

Internet é maior vilã!

O uso ineficiente do tempo pelos colaboradores durante o tempo de trabalho custa às empresas norte-americanas o equivalente a US$ 759 bilhões por ano. Portanto, se torna uma necessidade das empresas adotar medidas no sentido de diminuir essa ociosidade, principalmente em relação ao uso indevido da Internet.

Como podemos imaginar, a Internet é a maior causa do desperdício de tempo dos colaboradores, pois foi a atividade indicada por 44,7% dos entrevistados. O uso pessoal da web custaria, algo como US$ 330 bilhões por ano para as empresas.

Outros fatores também contribuem para o desperdício de tempo durante o trabalho. A segunda atividade mais citada como sendo a que consome mais tempo durante o trabalho, é a socialização com outros colegas de trabalho, que foi citada por 23,4% dos entrevistados. Em seguida temos: condução de finanças e negócios pessoais (6,8%), procura por outro emprego (1,3%) e o planejamento de atividades pessoais (1%).

Jovens desperdiçam mais tempo

Quando perguntados sobre o porquê do desperdício de tempo durante o trabalho, 33,2%, a maioria, afirmam que estavam ociosos. Pouco menos de um quarto dos entrevistados (23,4%) alegou que ganha pouco para as atividades desempenhadas, 14,7% alegaram que são distraídos por outros colegas e 12% afirmaram que não têm tempo para resolver questões pessoais.

Um dado interessante é que a idade parece influenciar no tempo desperdiçado. Segundo a pesquisa, os colaboradores com mais de 50 anos perdem apenas 30 minutos por dia de trabalho; enquanto os que possuem de 35 a 50 anos gastam 72 minutos/dia; que que tem idade entre 25 a 35 anos gastam 96 minutos/dia; e os com colaboradores com menos de 25 anos 2 horas/dia em média.

Sendo a Internet a maior vilã em termos de desperdício de tempo, nada mais natural que os colaboradores mais velhos, e, menos habituados ao seu uso, sejam os que menos tempo perdem durante o dia com atividades pessoais.

Na sua empresa ou equipe, quanto você estima que seja o desperdício de tempo dos colaboradores e o que você tem feito para reduzir esse desperdício? Compartilhe sua experiência conosco pelos comentários!