Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

Arquivo de categorias para " Dicas"

Como acessar Área de Trabalho Remota de forma segura?

O Windows possui uma ferramenta, chamada Área de Trabalho Remota, que permite um funcionário a distância acessar o sistema de outro computador.

Essa ferramenta está sendo uma aliada para as empresas que estão se adaptando ao cenário atual e encorajando seus funcionários para o trabalho Home Office. A Àrea de Trabalho Remota permite que o usuário, mesmo a distância, acesse o computador na empresa e consiga utilizar os softwares e documentos, diminuindo o impacto com a produtividade.

Porém, apesar dessa solução ser eficaz nesse objetivo, é alvo constante de tentativas de invasão para implantação de ransomware com bloqueio e sequestro de dados. Inclusive, já foi emitido um alerta pelo FBI a respeito da grande onda de ataques ao protocolo de área de trabalho remota (RDP). O alerta cita inclusive a existência no mercado negro de comercialização de listas de servidores vulneráveis a invasão, que possuem acesso irrestrito à porta padrão da área de trabalho remota (3389).

Mas então, como posso acessar a Área de Trabalho Remota de forma segura, sem comprometer a segurança da empresa e dos funcionários?

Para solucionar esses problemas relacionados a segurança no acesso a recursos da rede interna da empresa pelos usuários remotos, muitos gestores e analistas de TI estão adotando as VPNs Corporativas.

Tutorial para acessar Área de Trabalho Remota através da VPN Empresarial

A VPN Empresarial da Empresa Lumiun é uma ótima solução especificamente para pequenas e médias empresas, para que possam oferecer a seus funcionários acesso remoto seguro e monitorar as ameaças à segurança.

Uma grande vantagem da VPN Empresarial do Lumiun em relação a outras soluções de VPN Corporativa é que ela aplica aos colaboradores que estão trabalhando remotamente, em home office, as mesmas regras de proteção e monitoramento do acesso à internet que existem na rede interna da empresa. Com isso se mantém vigente a política de uso da internet existente na organização, com objetivo de melhorar a segurança da informação e a produtividade dos colaboradores.

Para ajudar nesse cenário de adaptações, devido a pandemia do COVID-19, a Lumiun está disponibilizando a VPN Empresarial em todos os planos, para os clientes atuais e novos, sem custo adicional, por 90 dias.

Com isso, nesse momento você pode ter uma VPN corporativa para sua empresa e todos os demais recursos que o Lumiun oferece por R$ 97/mês para até 10 equipamentos simultâneos.

Sem mais delongas, vamos ao passo a passo para acessar a Área de Trabalho Remota em seu computador Windows 10 ou no dispositivo Windows, Android ou iOS para se conectar a um computador a distância de forma segura com a VPN Empresarial da Lumiun.

1º Passo: Habilitar Área de Trabalho Remota no computador que será acessado remotamente

A primeira coisa a fazer é configurar o computador que será acessado remotamente, ativando a Área de Trabalho Remota.

  1. Clique em Iniciar, Configurações (o símbolo da engrenagem), Sistema e, por fim, em Área de Trabalho Remota;
  2. Ative a chave Habilitar Área de Trabalho Remota. O Windows 10 vai perguntar se deseja confirmar a alteração, apenas clique em Confirmar;

Habilitar Área de Trabalho Remota

2º Passo: Adicionar contas de usuários para permitir o acesso ao computador

Com a Área de Trabalho Remota ativada, vamos selecionar usuários que podem acessar remotamente este computador, além do administrador do sistema.

  1. Na mesma janela, na seção Contas de usuário, clique em Selecionar usuários que podem acessar remotamente este computador;

Selecionar usuários que podem acessar remotamente este computador

2. Clique no botão Adicionar;

Adicionar usuários

 

3. No campo Digite os nomes de objeto a serem selecionados digite Usuários autenticados e clique no botão OK;

Nome dos usuários com permissão

 

4. Clique no botão OK e pronto! O computador que será acessado remotamente já está configurado.

Finalizando configuração dos usuários

3º Passo: Descobrir o IP do computador

Agora vamos descobrir o IP do computador que vamos acessar remotamente.

  1. Aperte as teclas Windows + R simultaneamente;
  2. No campo Abrir da janela Executar digite cmd e tecle Enter;

Tela executar

 

3. No prompt de comando, digite ipconfig, tecle Enter e anote o endereço IP da linha Endereço IPv4;

Prompt de comando

4º Passo: Ativar VPN Empresarial do Lumiun

Finalizada a configuração no computador que será acessado remotamente, vamos agora ativar a VPN Empresarial para a rede e definir os usuários que que podem conectar.

  1. No painel de controle do Lumiun acesse Administrar e VPN Empresarial;

Painel de controle do Lumiun

 

2. Na tabela das redes, clique no botão Ativar da rede que você deseja permitir acesso a VPN;

Ativar VPN Empresarial da rede

 

3. Na tabela dos usuários, habilite os quem pode acessar a VPN através do botão Ativar;

Ativar usuários para conectar na VPN

5º Passo: Instalar cliente VPN no dispositivo que será utilizado pelo usuário

Com a VPN Empresarial ativa, é hora de iniciar a configuração no computador que será utilizado pelo usuário no home office ou a distância.

  1. Na mesma página que ativou a VPN Empresarial, faça o download do software cliente VPN e instale no computador que será utilizado no home office ou a distância.

Clientes VPN

 

2. Instale o software recém baixado;

Passos para instalar o cliente OpenVPN

6º Passo: Importar arquivo de configuração no Cliente VPN

Com o cliente VPN instalado vamos importar o arquivo de configuração que vai permitir você acessar a rede da empresa de forma segura.

  1. Na página da VPN Empresarial do painel de controle do Lumiun, faça o download do Arquivo de Configuração da rede que você deseja conectar;

Arquivo de configuração da VPN Empresarial

 

2. Clique no botão Iniciar do Windows, digite OpenVPN e clique no aplicativo para abrir;

Abrir OpenVPN

 

3. No canto inferior direito será exibida uma mensagem e um ícone do Cliente VPN;

OpenVPN na bandeja do Windows

4. Clique com o botão direito do mouse no ícone do OpenVPN e em seguida na opção Importar Arquivo;

Importar arquivo de configuração no OpenVPN

 

5. Selecione o arquivo de configuração que você baixou do painel do Lumiun;

Selecionar arquivo de configuração

7º Passo: Conectar na VPN Empresarial do Lumiun

Estamos quase no fim! Para garantir o acesso remoto seguro, vamos primeiro conectar na VPN Empresarial do Lumiun.

  1. Clique com o botão direito do mouse no ícone do OpenVPN e depois na opção Conectar;

Conectar no OpenVPN

 

2. Digite o e-mail e senha do usuário com permissão no painel de controle do Lumiun e clique no botão OK;

Informar e-mail e senha do Lumiun

 

3. Aguarde alguns segundos e pronto, você está conectado via VPN Empresarial na rede da sua empresa. Perceba mensagem que será exibida no canto inferior direito e o ícone verde do OpenVPN;

VPN Empresarial conectado

 

4. Se você tiver uma conta de usuário Administrador pode acompanhar quais usuários estão conectados via VPN e também quais sites o usuário está acessando.

Tabela dos usuários conectados na VPN Empresarial

8º Passo: Acessar a Área de Trabalho Remota do Windows 10

Finalmente chegamos ao último passo para acessar de sua casa a Àrea de Trabalho Remota de um computador na empresa.

  1. No campo de busca do Windows, digite Conexão de Área de Trabalho Remota e clique no aplicativo;

Abrir Conexão de Área de Trabalho Remota

 

2. Em Computador, digite o endereço IP que você anotou no 3º Passo, e clique em Conectar;

Informar IP do computador de destino

 

3. Informe os dados da conta do Windows e clique no botão OK para acessar a Àrea de Trabalho Remota;

Informar usuário e senha do computador de destino

 

4. No alerta de certificado marque a caixa de seleção Não perguntar novamente sobre conexões com este computador e clique no botão Sim.

Confirmar certificado

 

E pronto, você está conectado a Àrea de Trabalho Remota do computador da sua empresa de forma segura através da VPN Empresarial do Lumiun.

Agora, a criatividade fica por sua conta!  

Baixe a apresentação da VPN Empresarial e descubra como essa ferramenta vai aumentar a segurança dos dados da sua empresa e também o crescimento da produtividade da equipe.


Gostou do tutorial? Então deixa o seu comentário abaixo.

VPN corporativa: quais as vantagens e melhores opções

Empresas do mundo todo estão se adaptando para melhorar a qualidade de trabalho de seus colaboradores. Algumas investem em seus escritórios, adquirindo melhores computadores, mesas e cadeiras para deixar o ambiente mais produtivo e receptivo. Outras contratam serviços que ajudam na segurança e produtividade de sua equipe interna. E tem aquelas que estão se aventurando no trabalho remoto.

O trabalho remoto ou home office é uma realidade que as empresas estão encarando por diversos motivos. Seja para diminuir custos com deslocamento dos colaboradores ou evitar gastos com equipamentos no espaço físico interno. Para conseguir contratar um profissional tão desejado, que muitas vezes mora em outro estado ou país. E tem ainda motivos de força maior, como, por exemplo, a pandemia do COVID-19, onde os colaboradores são forçados a trabalhar de casa para evitar o contágio.

Seja qual for o motivo do trabalho a distância, para que as empresas não parem é importante que todas estejam preparadas com ferramentas que possam auxiliar na comunicação, gestão das tarefas, segurança e mobilidade das informações. No artigo Coronavírus: dicas de ferramentas para sua empresa não parar, listamos 15 ferramentas para ajudar no trabalho remoto.

Problemas no trabalho a distância

Conversando com alguns gestores e analistas de TI, percebemos que as principais preocupações em uma estratégia de trabalho a distância são a segurança das informações e acesso aos recursos internos da empresa.

Se o colaborador estiver acessando a internet de casa ou de algum lugar público (aeroporto, restaurante, eventos), sabemos que não há a mesma segurança contra ataques cibernéticos como temos na rede da empresa. Por conta dessa falta de segurança, todos os dados trafegados pelo profissional podem estar sendo espionados ou até mesmo sequestrados em um temido ataque ransomware.

Com a atual pandemia do coronavírus, os ataques de phishing aumentaram. Nenhum evento global escapa de ser usado como tema de campanhas maliciosas de phishing. No caso do coronavírus, o medo e a necessidade contínua de informações sobre o COVID-19 levam os usuários a clicar em links maliciosos ou abrir arquivos infectados.

Apenas no Reino Unido, estima-se que golpes se aproveitando do coronavírus já custaram 800 mil libras às vítimas só no mês de fevereiro.

Outro problema preocupante é o acesso aos recursos interno da empresa. No artigo sobre dicas de ferramentas para o trabalho remoto há uma dica sobre utilizar o Google Drive ou Dropbox para compartilhar nossos documentos na nuvem e todos os funcionários terem acesso. Porém, muitas organizações possuem sistemas ERP, servidores de arquivos e outros sistemas que funcionam somente na infraestrutura interna da empresa. Estas, precisam encontrar uma forma de proporcionar o acesso remoto a esses recursos, de forma segura e controlada, para que os colaboradores em home office consigam trabalhar.

Uma alternativa que muitas empresas estão utilizando para acesso remoto é o RDP (Remote Desktop Protocol), que vincula diretamente os usuários remotos às redes e servidores. Porém, apesar dessa solução ser eficaz nesse objetivo, é alvo constante de tentativas de invasão para implantação de ransomware com bloqueio e sequestro de dados. Já foi emitido um alerta pelo FBI a respeito da grande onda de ataques ao protocolo de área de trabalho remota (RDP). O alerta cita inclusive a existência no mercado negro de comercialização de listas de servidores vulneráveis a invasão, que possuem acesso irrestrito à porta padrão da área de trabalho remota (3389).

Para solucionar esses problemas relacionados à segurança no acesso à internet e o acesso a recursos da rede interna da empresa pelos usuários remotos, muitos gestores e analistas de TI estão adotando as VPNs Corporativas.

Vantagens da VPN Corporativa

Não vou explicar o que é e como funciona uma VPN, pois já escrevemos sobre isso em outro artigo. Mas é provável que você já tenha ouvido falar ou até utilizado uma rede virtual privada (VPN) para acessar algum conteúdo disponível apenas em um local do mundo, como um filme ou jogo, ou ainda para ter mais privacidade na navegação web.

E na sua empresa, já foi cogitada a utilização dessa tecnologia como uma ferramenta para melhorar a segurança e a mobilidade dos funcionários?

Vamos agora, ver algumas vantagens da VPN Corporativa no ponto de vista do colaborador que está trabalhando remotamente e também na perspectiva do gestor ou analista de TI. 

Para o colaborador em trabalho remoto

  • Redução de custos com deslocamento
  • Acesso aos arquivos e documentos localizados na infraestrutura local da empresa
  • Acesso ao seu computador da empresa via área de trabalho remota
  • Acesso ao sistema ERP instalado na infraestrutura local da empresa

Para os gestores e analistas de TI

  • Determina quais colaboradores têm permissão de acesso remoto via VPN
  • Sem necessidade de gastos com soluções de custo alto para disponibilizar os recursos na nuvem
  • Aumento da segurança das informações da empresa
  • Aumento da produtividade dos colaboradores em home office
  • Redução de gastos com danos e perdas de um possível vazamento de dados sigilosos

4 opções de VPN Corporativas

1. NordVPN

O NordVPN, que tem sua empresa sediada no Panamá, é um dos nomes mais populares do mercado.

Seu alto número de servidores espalhados pelo mundo e vasta cartilha de funcionalidades se consolida como uma das principais opções para grandes empresas.

Os valores iniciam em US$ 11,95/mês, para um usuário e até 6 dispositivos simultaneamente.

2. ExpressVPN

O ExpressVPN também desponta com uma boa alternativa por causa de seus vários recursos inclusos. É considerada a VPN mais rápida do mercado.

O custo para contratar o ExpressVPN é US$ 12,95/mês, para um usuário e até 5 dispositivos simultaneamente.

3. Perimeter 81

Desenvolvido pela SaferVPN, o Perimeter 81 é fácil de configurar e impressiona pela facilidade de utilização da sua interface.

O plano inicial do Perimeter é US$ 50/mês para até 5 usuários.

4. VPN Empresarial do Lumiun

Outra alternativa é a VPN Empresarial que está integrado ao serviço Lumiun.

Dentre as alternativas anteriores, é a única solução brasileira, com suporte 100% em português e que recebe pagamentos na moeda local (R$).

A VPN Empresarial é uma ótima solução especificamente para pequenas e médias empresas, para que possam oferecer a seus funcionários acesso remoto seguro e monitorar as ameaças à segurança.

Uma grande vantagem da VPN Empresarial do Lumiun em relação a outras soluções de VPN Corporativa é que ela aplica aos colaboradores que estão trabalhando remotamente, em home office, as mesmas regras de proteção e monitoramento do acesso à internet que existem na rede interna da empresa. Com isso se mantém vigente a política de uso da internet existente na organização, com objetivo de melhorar a segurança da informação e a produtividade dos colaboradores.

A VPN Empresarial já está incluso na contratação do plano Enterprise do Lumiun que custa a partir de R$ 140/mês, sem limite de usuários e até 10 equipamentos simultâneos. Na contratação do plano Enterprise, além da VPN Empresarial o cliente também recebe o Lumiun Box com controle completo do acesso à internet na empresa, controle de tráfego, firewall e muitas outras funcionalidades.


ATENÇÃO: Devido ao aumento de casos suspeitos do COVID-19, muitas empresas estão mudando sua rotina para diminuir as chances de contágio. Algumas empresas cancelaram o atendimento presencial externo, outras adotaram o home office, outras fazem o rodízio de colaboradores entre os turnos e muitas ainda mantém os padrões normais.

Para ajudar nesse cenário de adaptações, a Lumiun está disponibilizando a VPN Empresarial em todos os planos, para os clientes atuais e novos, sem custo adicional, por 90 dias.

Com isso, nesse momento você pode ter uma VPN corporativa para sua empresa e todos os demais recursos que o Lumiun oferece por R$ 97/mês para até 10 equipamentos simultâneos.

Saiba mais na página especial sobre o COVID-19.

 

Coronavírus: dicas de ferramentas para sua empresa não parar

Com o aumento de casos suspeitos de Coronavírus (COVID-19) no Brasil, muitas empresas estão se adequando para evitar aglomerações e diminuir as chances de contágio.

Conforme a rotina de trabalho algumas empresas cancelaram o atendimento presencial externo, outras adotaram o home office, outras fazem o rodízio de colaboradores entre os turnos e muitas ainda mantém os padrões normais, porém com cuidados na higienização do ambiente e dos funcionários.

Neste post reunimos 15 dicas de ferramentas que vão auxiliar as empresas com a comunicação, acesso a documentos, gestão de tarefas, reuniões por videoconferência, segurança e produtividade. Essas ferramentas são úteis para evitar o contato pessoal tanto para quem escolheu o trabalho remoto quanto para quem continua no mesmo ambiente. Sua empresa não pode parar.

Comunicação

Para iniciar nossas dicas, escolhemos primeiramente definir a base da comunicação entre todos os funcionários. Essa ferramenta vai servir como uma espécie de escritório virtual. Cada setor pode ter o seu canal para tratar de assuntos distintos e trocar documentos importantes.

Essas ferramentas vão evitar que você se levante e vá para a mesa de um colega de trabalho toda vez que tiver alguma dúvida. Além disso, melhora o seu foco no trabalho pois permite que você responda as dúvidas dos colegas no momento que tiver mais oportuno.

Slack

O Slack reúne toda a sua comunicação em um só lugar. No Slack, as equipes trabalham em canais, um local que centraliza o envio de mensagens, as ferramentas e os arquivos. Assim, todos economizam tempo e trabalham em equipe.

Para equipes pequenas, o Slack é gratuito por período ilimitado. Veja os preços.

Microsoft Teams

Trabalhe remotamente sem se sentir afastado. O Microsoft Teams permite que você aproveite totalmente o lado positivo do trabalho em equipe: o compartilhamento sem atritos que torna as boas ideias excepcionais.

Sua empresa pode utilizar o Microsoft Teams gratuitamente, porém com recursos limitados. Veja os preços.

Workplace

Conecte seus funcionários às metas comerciais, aos valores da empresa e uns aos outros com os recursos inteligentes e conhecidos do Workplace.

Criado pelo Facebook, o Workplace pode ser utilizado gratuitamente com até 50 integrantes no grupo. Veja os preços.

Armazenamento de arquivos e documentos na nuvem

Essas ferramentas servem para o compartilhamento seguro de arquivos e documentos entre os colaboradores, independente da localização de cada um.

Google Drive

Google Drive é um serviço de armazenamento e sincronização de arquivos que foi apresentado pela Google em 24 de abril de 2012. Google Drive abriga agora o Google Docs, um leque de aplicações de produtividade, que oferece a edição de documentos, folhas de cálculo, apresentações, e muito mais.

Microsoft 365

Office 365 é uma versão online por assinatura da suíte de aplicativos para escritório/produtividade Microsoft Office, focado no trabalho colaborativo simultâneo de uma grande equipe e na segurança, lançado em junho de 2011 desenvolvido pela empresa Microsoft.

Dropbox

Dropbox é um serviço para armazenamento e partilha de arquivos. É baseado no conceito de “computação em nuvem”. Ele pertence ao Dropbox Inc., sediada em San Francisco, Califórnia, EUA. A empresa desenvolvedora do programa disponibiliza centrais de computadores que armazenam os arquivos de seus clientes.

Gestão de tarefas

Devido o Coronavírus precisamos evitar o contato pessoal. Por isso, é muito importante que sua empresa implante uma ferramenta para acompanhamento das tarefas da organização ou setor. Com essa ferramenta, todos os colaboradores podem acompanhar o status das tarefas, responsáveis e prazos.

Trello

Trello é um aplicativo de gerenciamento de projetos. Com os quadros, listas e cartões do Trello, você pode organizar e priorizar seus projetos de um jeito divertido, flexível e gratificante. Veja os preços.

Pipefy

Pipefy é a Plataforma de Gerenciamento de Processos que capacita gestores a organizar e controlar seu trabalho em um único lugar. Assim, todos podem automatizar e agilizar qualquer processo por conta própria. Veja os preços.

Monday.com

monday.com é uma solução cloud-based de gerenciamento de projetos para pequenas e médias empresas de diversos ramos da indústria. Esse software ajuda as companhias a administrarem diversos projetos e facilitar o compartilhamento de informação entre os membros da equipe. Veja os preços.

Reuniões e videoconferências

Sabemos que muitas reuniões podem/devem ser evitadas nesse período. As vezes, uma simples mensagem ou e-mail já resolvem a questão. Mas, se for mesmo necessário, essas ferramentas ajudam na conversa, pois reúne todos os envolvidos em uma mesma sala online fazendo a comunicação via áudio e/ou vídeo.

Zoom Meetings

O Zoom Meetings é uma ferramenta de videoconferência voltada para ambientes corporativos que suporta reuniões com até 500 participantes e 10 mil expectadores no modo webinar. Veja os preços.

Skype

O Skype é o software que permite conversar com o mundo todo. Milhões de pessoas e empresas usam o Skype para fazer chamadas de vídeo e voz gratuitas entre dois usuários, bem como chamadas em grupo, enviar mensagens de chat e compartilhar arquivos com outras pessoas no Skype. Você pode usar o Skype no dispositivo que preferir: no celular, no computador ou no tablet.

O Skype é gratuito.

Google Meet

Ferramenta da Google para videochamadas pelo PC e celular. Como medida para reduzir o risco da propagação do coronavírus (Covid-19), a Google anunciou que o Hangouts Meet está disponível para todos os usuários do G Suite.

Segurança e produtividade

Sabemos que o Coronavírus está mudando a rotina das empresas. Muitas estão se adaptando internamente e outras estão liberando os funcionários para o trabalho Home Office. Mas, para auxiliar na adaptação, todas estão implantando novas ferramentas online de trabalho. E é nesse ponto que encontramos outro perigo.

Na internet existem muitos perigos como malware, ransomware e phishing que podem causar danos para os equipamentos da empresa ou roubar informações sigilosas. Por isso, é de extrema importância que a empresa adote algumas ferramentas para aumentar a segurança e evitar custos com manutenção ou pagamento de sequestros de dados.

LastPass

LastPass Password Manager é um serviço de gerenciador de senhas freemium. Ele é disponível como um plugin para os navegadores, Internet Explorer, Mozilla Firefox, Google Chrome, Opera e Safari. Há também um LastPass Password Manager bookmarklet para outros navegadores. Veja os preços.

DNSFilter

O DNSFilter é um serviço de filtro de conteúdo e proteção contra ameaças baseado em nuvem, que pode ser implantado e configurado sem a necessidade de instalação de software.  Veja os preços.

Lumiun

O Lumiun é um serviço baseado em nuvem que protege sua empresa das ameaças da Internet, tornando a rede mais segura e a equipe mais produtiva. Veja os preços.

Por causa do COVID-19, o Lumiun está antecipando a disponibilização do recurso da VPN Empresarial para os atuais e novos clientes, independente do plano contratado. Até então, o recurso ficaria em beta apenas para alguns clientes do plano Enterprise.

Com a VPN Empresarial do Lumiun, os funcionários que estão trabalhando em home office conseguem acessar os recursos internos da empresa, como por exemplo, documentos do servidor de arquivos, impressora, sistema ERP, entre outros.

Conectado na VPN do Lumiun, o equipamento do funcionário fica seguro contra os riscos da internet. Além disso, o gestor pode acompanhar em tempo real quais sites estão sendo acessados e aplicar as regras necessárias para evitar o desperdício de tempo com sites fora do escopo do trabalho.

A empresa Lumiun também disponibilizou em seu site um material bem legal sobre a adoção do home office pelas empresas.

Dicas adicionais

Embora as ferramentas sejam úteis para ajudar na segurança e produtividade do dia-a-dia das empresas, as principais maneiras para evitar o contágio do COVID-19 envolvem atitudes e o bom senso de cada pessoa. Segundo o Ministério da Saúde, estas são as orientações para se proteger e proteger os outros:

  • Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel;
  • Cubra o nariz e boca ao espirrar ou tossir;
  • Evite aglomerações se estiver doente;
  • Mantenha os ambientes bem ventilados;
  • Não compartilhe objetos pessoais;
  • E evite compartilhar as FakeNews.

Você sentiu falta de alguma outra ferramenta? Escreve sua dica através dos comentários abaixo.

10 Dicas de Segurança na Internet em 2020 para PMEs

Com o aumento da conectividade das empresas, pessoas e dispositivos, também aumentam os riscos associados a vulnerabilidade dos sistemas e usuários a malware, phishing, ransomware, hackers, vírus e tantas outras ameaças. Para ajudar na gestão da internet das pequenas e médias empresas, trazendo mais segurança na internet e também auxiliando na produtividade dos colaboradores, elencamos 10 dicas atualizadas que podem servir como base para a adoção de uma cultura de segurança da informação na sua empresa em 2020.

  1. Usar senhas seguras para todos usuários e equipamentos
  2. Ativar a autenticação de dois fatores (2FA)
  3. Proteger e controlar o acesso à internet
  4. Usar antivírus em todos computadores
  5. Limitar e registrar o tráfego de rede com um Firewall
  6. Ter cópias de backup dos dados importantes
  7. Manter software sempre atualizado
  8. Restringir permissões em arquivos compartilhados
  9. Educar os colaboradores sobre phishing e engenharia social
  10. Implantar uma política de uso dos recursos de TI

Usar senhas seguras para todos usuários e equipamentos

Ainda hoje a senha é a forma mais importante de autenticação para acesso a informações e recursos computacionais. Computadores cada vez mais velozes permitem quebrar em pouco tempo uma senha que há alguns anos seria impossível de ser quebrada. Portanto, atualmente é necessário utilizar senhas mais longas para aumentar a segurança na internet.

Adote como regra na empresa o uso de senhas fortes:

  • senhas com comprimento mínimo de 8 caracteres (preferencialmente 12 ou mais);
  • que combinem maiúsculas, minúsculas, números e símbolos; e
  • que não contenham informações óbvias ou sequências simples.

Mais informações sobre segurança de senhas você encontra no artigo com recomendações e dicas para criar senhas fortes e seguras e no guia para criação e gerenciamento de contas de usuário e senhas seguras.

Uma pesquisa da PreciseSecurity.com revelou que 30% das infecções por ransomware ocorreram devido ao uso de senhas fracas. Outra pesquisa, feita pelo Google, mostra que 2 em cada 3 pessoas reutilizam a mesma senha em diferentes serviços que acessam na internet, sendo que mais de 50% das pessoas informaram que usam uma mesma senha “favorita” na maior parte dos sites e sistemas que acessam.

Não esqueça também que é extremamente importante alterar a senha padrão de fábrica dos equipamentos conectados à rede. Por exemplo, muitos roteadores Wi-Fi e câmeras de vigilância vêm de fábrica com usuário admin e senha padrão admin. Se você não trocar essa senha, o equipamento estará vulnerável e poderá ser prejudicial à segurança de toda sua rede, incluindo problemas com privacidade e vazamento de informações. Da mesma forma, contas de usuário “administrador” e quaisquer outras não utilizadas também devem permanecer com senha forte ou então bloqueadas.

Ativar a autenticação de dois fatores (2FA)

A autenticação de dois fatores também é chamada de verificação em duas etapas, ou ainda, em inglês, de two-factor authentication – termo de onde deriva a abreviatura 2FA. Essa técnica complementa a senha e adiciona muita segurança no acesso a sistemas e recursos na internet.

Com a autenticação de dois fatores, o acesso irá depender da senha correta e também de mais algum fator, como um código enviado por SMS ou um código gerado em um aplicativo no smartphone. Dessa forma, mesmo que alguém descubra a senha da conta de email, não conseguirá acessar a conta pois dependerá do código que será enviado para o smartphone do proprietário da conta.

É recomendável que seja ativada, pelo menos nos recursos mais importantes. Nesse rol de recursos importantes a serem protegidos com certeza entra a conta de email, pois através do email é possível redefinir a senha de muitos outros serviços, por meio de funções do tipo “Esqueci minha senha”.

Para começar a usar 2FA, recomendamos que seja ativada a autenticação de dois fatores no Gmail e no WhatsApp. A autenticação de dois fatores é chamada de “verificação em duas etapas” pelo Google e aumenta bastante a segurança do Gmail. A mesma funcionalidade também é chamada de “confirmação em duas etapas” pelo WhatsApp, sendo muito recomendável que esteja ativada para tornar mais difícil o roubo ou “clonagem” do WhatsApp.

Verifique também nas demais aplicações importantes em uso na empresa se elas possuem a funcionalidade de 2FA ou autenticação de dois fatores e busque ativar essa proteção.

Proteger e controlar o acesso à internet

É recomendado utilizar ferramentas que evitem o acesso a conteúdo nocivo, como sites suspeitos que muitas vezes contém vírus ou malware. É comum que os colaboradores recebam emails falsos com links que direcionam para sites de fraudes. Além disso, muitas vezes a tentativa de download de músicas em mp3, ou conteúdo adulto e jogos podem terminar com uma instalação de vírus. A maioria dos ataques começa a partir do acesso a um site nocivo ou malicioso, ao ocorrer o acesso esse site instala um vírus de forma oculta no equipamento e com isso abre uma porta na rede para que outros ataques ocorram, prejudicando de forma geral a segurança na internet.

O uso de mecanismos de proteção contra o acesso a sites maliciosos é cada vez mais importante. Através deste tipo de controle, é possível definir quais grupos de usuários terão acesso a quais tipos de sites, evitando assim o uso de sites indevidos ao escopo do trabalho e também o acesso a endereços com conteúdo nocivo. Por meio dessa ferramenta, o gestor protege a rede contra os sites utilizados em ataques de phishing, propagação de malware e ransomware.

Como controlar a navegação e bloquear o acesso a sites nocivos? Veja o artigo sobre gestão e controle de acesso à internet para pequenas e médias empresas. Uma boa solução para proteção e controle do acesso à internet em pequenas e médias empresas é o Lumiun, que protege a navegação contra sites maliciosos e gera relatórios dos acessos, aumentando a segurança das informações e a produtividade dos colaboradores. É uma solução de fácil implementação e gerenciamento, demandando baixo investimento.


Usar antivírus em todos computadores

Especialmente nos computadores e servidores com sistema operacional Windows, é imprescindível o uso de um bom software antivírus, atualizado e configurado para realizar varreduras periódicas. Atualmente o antivírus não pode ser deixado de lado ou ser substituído por outras soluções, sendo essencial para a segurança na internet. Na empresa deve-se optar por uma licença paga e não utilizar software pirata ou continuar com versões de avaliação. É importante que o antivírus e/ou antimalware esteja sempre atualizado e ativado para oferecer sua proteção. Um antivírus desatualizado, ou com a proteção em tempo real desativada, perderia a eficiência e deixaria os computadores mais vulneráveis.

Algumas boas opções de antivírus para pequenas e médias empresas:

Limitar e registrar o tráfego de rede com um Firewall

O firewall controla o fluxo de dados, com ele é possível filtrar o tráfego, configurando o que deve passar e o que deve ser descartado. Quando configurado corretamente em uma rede de computadores, o firewall funciona como uma camada adicional de proteção contra ataques externos e aumenta a segurança da empresa na internet, incluindo suas informações, equipamentos e sistemas. Normalmente o firewall é uma das principais defesas no perímetro de uma rede privada, sendo um componente essencial na proteção contra tráfego indesejado e tentativas de invasão.

Verifique se você possui um firewall ativo e bem configurado que esteja fazendo a proteção e o registro das conexões entre a internet e os equipamentos da sua rede local. Se for possível, mantenha bloqueado no firewall os acessos da internet para seus servidores internos, especialmente o serviço de área de trabalho remota, ou remote desktop. Esse serviço é alvo constante de tentativas de invasão para implantação de ransomware com bloqueio e sequestro de dados. Já foi emitido um alerta pelo FBI a respeito da grande onda de ataques ao protocolo de área de trabalho remota (RDP). O alerta cita inclusive a existência no mercado negro de comercialização de listas de servidores vulneráveis a invasão, que possuem acesso irrestrito à porta padrão da área de trabalho remota (3389).

Entre boas soluções de firewall de rede para pequenas e médias empresas podemos citar FortiGate, SonicWall, Lumiun, Sophos e pfSense. Leia mais sobre isso no artigo “Firewall: sua rede precisa dessa proteção?

Ter cópias de backup dos dados importantes

Nunca é demais relembrar a importância de ter um backup confiável, a partir do qual possam ser recuperados os dados importantes após qualquer incidente. Em alguns tipos de ataque, como por exemplo o ransomware, que bloqueia os dados até o pagamento de um resgate, a principal maneira de solucionar o problema passa por restaurar os dados da empresa a partir de uma cópia de backup. O backup é fundamental na segurança das informações da empresa.

A estratégia de backup deve ser implementada de maneira que haja uma cópia de segurança mantida em um local desconectado do local original dos dados. Se a cópia de segurança for feita em um disco adicional constantemente conectado ao servidor ou à rede onde ficam os dados originais, no caso específico do ransomware, é possível que os arquivos do backup também sejam bloqueados no momento do ataque, tornando o backup inútil. É importante ter uma cópia de segurança em local separado do local original em que ficam os dados.

Para entender a importância de fazer cópia de segurança dos dados e documentos da sua empresa, imagine, de repente, a sua empresa perder todas suas planilhas financeiras, controles gerenciais, dados comerciais, informações de clientes, dos produtos e serviços oferecidos e históricos dos seus colaboradores. É muito difícil imaginar a profundidade do impacto de uma situação dessas em uma empresa. O prejuízo será enorme, e haverá comprometimento de todas atividades administrativas e comerciais da empresa.

Para evitar essa situação, é essencial manter uma estratégia de backup bem estruturada. Quanto mais automatizada for a tarefa de realizar o backup, maior a chance de tê-lo em dia quando houver a necessidade de uma restauração de dados. É importante documentar e testar periodicamente o processo de restauração: a real utilidade de um backup não é o backup em si, mas sim a restauração com sucesso.

Para empresas que ainda não possuem backup bem estruturado e desejam começar com uma cópia dos seus dados importantes na nuvem, algumas opções de serviços para backup simples em nuvem são as seguintes:

Manter software sempre atualizado

As empresas que produzem software estão continuamente fazendo correções em seus programas, para corrigir defeitos, melhorar desempenho e adicionar funcionalidades. Entre essas correções também se encontram soluções contra vulnerabilidades e melhorias de segurança nos pacotes de software. É cada vez mais importante manter o sistema operacional e demais pacotes de software com atualizações automáticas ativadas, ao menos para aquelas relacionadas à segurança da informação.

Exemplificando, o ransomware conhecido como WannaCry (ou WannaCrypt) – que se instala em computadores com Windows, criptografa os dados e exige resgate – pode atacar com sucesso computadores que não possuem a atualização MS17-010. De acordo com a Microsoft, “a atualização de segurança MS17-010 resolve várias vulnerabilidades no Windows Server Message Block (SMB) v1. O ransomware WannaCrypt está explorando uma das vulnerabilidades que faz parte da atualização MS17-010. Os computadores que não têm a MS17-010 instalada correm altos riscos devido às diversas variações do malware.Como verificar se a MS17-010 está instalada

Restringir permissões em arquivos compartilhados

Em muitas pequenas e médias empresas, é um item deixado de lado. No entanto, é relevante checar o nível de acesso que cada usuário ou grupo de usuários necessita em relação aos arquivos compartilhados na rede, por exemplo, no sentido de não fornecer acesso além do necessário. Se um grupo de usuários necessita apenas visualizar determinados arquivos, e não modificar, que tenha acesso somente leitura. Essa segregação das permissões de acesso de acordo com a necessidade de cada grupo de usuários é essencial para a segurança da informação. Com isso se evita que usuários não autorizados possam, por exemplo, alterar os arquivos do sistema utilizado pela empresa ou as planilhas do planejamento financeiro.

Também deve-se evitar o uso generalizado de contas de usuário de nível administrativo, como administrador ou root, nos computadores. Da mesma forma que o cuidado em relação às permissões de acesso a arquivos, essa medida limita a extensão do dano que um usuário, mesmo sem intenção, poderia provocar aos dados.

Educar os colaboradores sobre phishing e engenharia social

O phishing é um tipo de crime cibernético que utiliza técnicas de engenharia social com o objetivo de enganar os usuários de internet, por meio de mensagens e sites falsificados. O objetivo é roubar informações sigilosas, como senhas de acesso e dados de cartões de crédito, além de induzir, em alguns casos, ao pagamento de boletos fraudulentos.

O volume de ataques do tipo phishing tendo como alvo pessoas e empresas no Brasil continua muito alto: de cada 5 usuários brasileiros, 1 está suscetível a phishing. O Brasil está na 3ª posição do ranking dos países mais atacados por golpes de phishing. Um relatório publicado pela Cisco em 2019 apontou que 38% dos entrevistados enfrentaram problemas com phishing no último ano.

A empresa deve conscientizar seus colaboradores para um comportamento de segurança na internet.

Treinamento dos colaboradores sobre phishing

A orientação aos colaboradores em relação ao phishing deve contemplar especialmente os seguintes aspectos:

  • Atenção ao que a mensagem está oferecendo ou solicitando: desconfie de e-mails, SMS ou anúncios com ofertas de produtos a preços muito abaixo do normal, não acredite em ofertas enviadas com preço incrivelmente baixo. Não acredite em e-mails que solicitam que você responda com seu usuário e senha do webmail ou do banco, isso é fraude. Mensagens supostamente enviadas pela Receita Federal informando sobre irregularidade no CPF também são fraudulentas. Desconfie de e-mails supostamente enviados pelo banco com link para atualizar o módulo de internet banking. Não acredite em e-mails com orçamentos, faturas ou ordens de serviço que você nunca solicitou. E preste atenção ainda ao texto da mensagem, é muito comum que mensagens de phishing contenham erros de ortografia.
  • Atenção ao remetente e aos links contidos nas mensagens: observe com atenção o endereço de e-mail do remetente e também o endereço de destino dos links contidos na mensagem. Se parecerem estranhos, desconfie imediatamente, não clique.
  • Atenção ao endereço do site: caso tenha clicado em um link e foi direcionado para um site, um arquivo para download ou um formulário solicitando dados, tenha muita atenção ao endereço que aparece na barra de endereços do navegador. Aquela dica de verificar se o site possui o cadeado do HTTPS (criptografia) já não é suficiente, pois os sites de phishing novos também usam HTTPS. No entanto é importante analisar se o endereço do site está correto. Na dúvida, pesquise no Google o nome da empresa que deseja acessar e verifique o endereço real do site dela.

Para mais informações, incluindo exemplos de phishing e técnicas de proteção, veja o artigo Phishing: como se proteger e não cair no golpe.

Implantar uma política de uso dos recursos de TI

O ideal é que a empresa se preocupe em documentar e informar a todos os colaboradores sobre uma política do uso aceitável da internet e dos recursos de tecnologia, visando a segurança da informação e a produtividade dos colaboradores. Essa política deve descrever o que pode ser acessado na rede da empresa e quais as penalidades no caso de não cumprimento das regras. Por questões legais, a empresa pode exigir que o funcionário assine um termo de conhecimento dessa política, informando sua ciência quanto as regras e penalidades.

Os colaboradores devem ser orientados para boas práticas de segurança na internet e devem ter consciência sobre a sua responsabilidade de manter protegidos os dados e informações da empresa.

Disponibilizamos um modelo de documento sobre política de uso da internet nas empresas. Você pode utilizá-lo para informar e dar ciência aos colaboradores sobre a política de uso da internet no ambiente de trabalho da empresa, para assegurar o uso adequado da internet e recursos de tecnologia por parte do colaborador.

Um ponto a ser contemplado nessa política é a utilização de equipamentos pessoais no ambiente de trabalho, especialmente o celular – smartphone – a empresa deve deixar claro qual é a regra. Para facilitar a criação de uma política específica sobre de uso do celular na empresa, visando o uso adequado dos equipamentos sem prejudicar o foco e a produtividade, veja o modelo de documento sobre política de uso do celular nas empresas.

Para finalizar

Acreditamos que o cuidado com a segurança da informação é essencial para o sucesso das empresas em crescimento. Certamente terão uma boa segurança na internet em 2020 aquelas pequenas e médias empresas que implantarem, de forma gradual e consistente, os 10 fatores abordados nesse artigo: senhas seguras para todos usuários e equipamentos; autenticação de dois fatores (2FA); proteção e controle do acesso à internet; antivírus em todos computadores; firewall para limitar e registrar o tráfego de rede; backup dos dados importantes; software sempre atualizado; permissões restritas em arquivos compartilhados; educação dos colaboradores sobre phishing e engenharia social; e uma política de uso dos recursos de TI.

Esse artigo foi útil para você? Ficou com alguma dúvida? Pode escrever um comentário ou entrar em contato diretamente comigo em

Como desativar o compartilhamento de arquivos no Windows 10

Desativar o compartilhamento de arquivos é uma forma de proteger as informações armazenadas no computador, impedindo que outros usuários da rede acessem os dados e arquivos remotamente.

Para versões anteriores do Windows acesse o artigo Dica: como desativar o compartilhamento de arquivos no Windows

  1. Certifique-se de que você não precisa dos compartilhamentos. O compartilhamento de arquivos e impressoras permite que os arquivos armazenados e as impressoras instaladas nesse computador sejam acessados por outros computadores. Verifique se você realmente não possui, por exemplo, uma impressora ligada ao seu computador e que é utilizada por outras pessoas na empresa.
  2. Abra o menu Iniciar e clique no ícone Configurações, representado por uma engrenagem.
    Windows 10 - Menu Iniciar - botão Configurações
  3. Na janela Configurações do Windows, clique em Rede e Internet.
    Windows 10 - Configurações do Windows - item Rede e Internet
  4. Nas configurações de Rede e Internet, clique no item Opções de compartilhamento.
    Windows 10 - Configurações de Rede e Internet - item Opções de compartilhamento
  5. Na janela de Configurações de compartilhamento avançadas, clique em Particular e então selecione a opção “Desativar compartilhamento de arquivo e impressora“.
    Configurações de compartilhamento avançadas - Particular - Desativar compartilhamento de arquivo e impressora
  6. Clique no perfil “Convidado ou Público” e selecione também a opção “Desativar compartilhamento de arquivo e impressora“.
    Configurações de compartilhamento avançadas - Convidado ou Público - Desativar compartilhamento de arquivo e impressora
  7. Clique no botão Salvar alterações. Pronto!
    Windows 10 - botão Salvar alterações

Para saber mais sobre Segurança da Informação nas empresas, faça download gratuito de nossos Materiais Educativos.

14 dicas para ficar em conformidade com a LGPD

Como já escrevi em outro artigo aqui no blog, a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD – Lei nº 13.709) foi sancionada no dia 14 de agosto de 2018 e passa a entrar em vigor a partir de agosto de 2020. Essa regulamentação estabelece uma série de regras que todas as empresas e organizações atuantes no Brasil terão de seguir para permitir que o cidadão tenha mais controle sobre seus dados pessoais, garantindo uma transparência no uso dos dados das pessoas físicas em quaisquer meios.

Nesse artigo você vai encontrar algumas dicas para conseguir cumprir com alguns pontos da LGPD. Mas aviso de antemão que não existe nenhuma ferramenta ou software “canivete suíço” que vai solucionar tudo. Para o cumprimento dessa lei além de ferramenta será necessário a implantação de muitos processos.

Estude a LGPD

Antes de listar as dicas, é importante que seja definida uma equipe que seja responsável por analisar os procedimentos internos quanto a coleta dos dados e o fluxo dessas informações na empresa envolvendo terceiros. Por isso, é imprescindível que essas pessoas estudem a Lei profundamente para que consigam entender todos os princípios e hipóteses as quais se aplicam.

Seguem alguns conteúdos para você iniciar e se aprofundar no assunto:

Vamos às dicas

Agora chega de enrolar. Abaixo listo algumas dicas que vão auxiliar sua empresa entrar em conformidade com a LGPD.

Dica 1: Termo de Consentimento para Tratamento de Dados Pessoais

Recomenda-se a definição de um processo de obtenção do consentimento do titular a ser utilizado pela empresa que seja claro, distinto e que não esteja agrupado com outros acordos ou declarações e que seja ativo (fornecido pelo titular, sem o uso de caixas pré-marcadas). O consentimento deverá ser documentado, por escrito ou por outro meio que demonstre a manifestação de vontade do titular. Caso o consentimento existente não tenha sido obtido de acordo com a LGPD, recomenda-se que o consentimento seja renovado antes da entrada em vigor da LGPD, se não for possível utilizar outra base legal.

Criamos um modelo de documento que você pode baixar, adaptar conforme suas necessidades e obter o consentimento dos colaboradores e usuários para a utilização dos dados pela empresa. Baixe agora o Modelo de documento para o Termo de Consentimento para Tratamento de Dados Pessoais.

Dica 2: Gerenciamento dos Direitos dos Titulares de Dados

Implementar um portal de privacidade (front-end) com uma solução de Gerenciamento dos Direitos dos Titulares de Dados com foco nos clientes da empresa, de forma tempestiva (15 dias para a LGPD). Esse portal gerenciará todo o workflow da solicitação e deve conter as seguintes funcionalidades:

  • Formulário de preenchimento da solicitação, que pode ser apresentado em diversos produtos digitais da empresa;
  • Validação da identidade dos titulares de dados;
  • Controlar prazos, atividades e custos da solicitação;
  • Identificar os dados pessoais dentro da empresa para proceder com a divulgação ao titular de dados, a correção, a exclusão ou portabilidade dos dados pessoais.

Dica 3: Elaborar uma Política de Retenção e Descarte de Dados

Esta política deve incluir os princípios de retenção e descarte apropriados de dados pessoais, observando os requisitos legais da LGPD. Além disso, a política deve conter:

  • Uma tabela de temporalidade atualizada para armazenamento das informações levando em consideração os dados pessoais coletados;
  • Procedimentos de descarte apropriado para ativos (papéis, computadores, mídias removíveis) que contenham dados pessoais;
  • Processo de exclusão ou anonimização de dados quando estes não forem mais necessários para a empresa, observando a necessidade de armazenamento de dados para atender obrigações legais;
  • Processo de backup de dados pessoais armazenados em sistemas;
  • Processo de pseudonimização para os dados sensíveis em repouso. Incorporar na cultura da empresa os princípios de minimização de dados, onde a empresa realiza a coleta apenas das informações estritamente necessárias, pelo período que for necessário.

Dica 4: Registro das Operações de Tratamento de Dados Pessoais

A LGPD exige a elaboração e manutenção de um Registro das Operações de Tratamento de Dados Pessoais, que deverá incluir:

  • Os nomes e os contatos do Controlador/ Operador e, quando aplicável, de qualquer responsável pelo tratamento em conjunto, dos representantes das entidades e do DPO (Data Protection Officer);
  • A finalidade do processamento dos dados;
  • A descrição das categorias dos titulares de dados e das categorias dos dados pessoais;
  • As categorias de destinatários a quem os dados pessoais foram ou serão divulgados, incluindo os destinatários estabelecidos em países terceiros ou organizações internacionais;
  • Os prazos previstos para a exclusão das diferentes categorias de dados;
  • As bases legais estipuladas para tratamento de dados.

Dica 5: Processo para Análise de Impacto à Proteção de Dados (DPIA).

Implementar / adquirir uma solução para realização da DPIA de forma sistêmica e centralizada. Essa solução deve ter as seguintes funcionalidades:

  • Projetos de privacidade da empresa consolidados em um dashboard central para gerenciamento das atividades de proteção de dados;
  • Classificação dos projetos quanto ao envolvimento de dados pessoais e critérios de risco (se existe profiling, dados sensíveis, grande volume de dados processados, etc.);
  • Gerenciamento do workflow da DPIA, desde a seleção do fluxo de dados utilizando os critérios estabelecidos até a aprovação final do Encarregado;
  • Orientação e template para preenchimento da DPIA disponibilizado de forma centralizada para todo a empresa;
  • Análise de riscos e GAPs dos fluxos de dados pessoais;
  • Registro das atividades de proteção de dados realizadas ao longo do projeto para fins de conformidade.

Dica 6: Implementar um modelo de governança de DPO

Implementar um modelo de governança de DPO (Data Protection Officer), definindo os papéis e responsabilidades para atender às expectativas regulatórias conforme as mudanças trazidas pela LGPD.

Dentro da rotina do DPO, entendemos que haverá tarefas como (i) realização de Due Diligence de terceiros periódica; (ii) manutenção e atualização do ROPA; (iii) elaboração e manutenção da DPIA, quando necessário; (iv) realização de auditorias periódicas internas para análise do nível de conformidade; (v) rotina de treinamentos sobre a LGPD para funcionários e colaboradores periódica; (vi) rotina de acompanhamento de jurisprudências, consultas à ANPD, novas certificações, boas práticas de mercado e etc…

Dica 7: Contratação de um assessor externo

Recomenda-se a contratação de um assessor externo para assessorá-lo na análise do atual compliance da empresa com a LGPD, indicação dos pontos de melhoria e exigências legais, bem como definição de um plano de ação para implementação das ações necessárias para que a empresa esteja em conformidade com a LGPD.

Dica 8: Treinamento sobre privacidade para educar os funcionários

Elaborar um programa de treinamento sobre privacidade e proteção de dados para educar os funcionários sobre a importância da privacidade e proteção de dados pessoais, capacitando-os para realizar os processamentos de dados adequadamente, mitigando os riscos de alguma violação de dados acontecer.

Esse programa pode ter duas fases, de acordo com a sua abordagem. A primeira fase é comum para todos os funcionários e abordará o que são as leis de privacidade e proteção de dados, os seus princípios, os riscos de não estar em conformidade com elas, o que são dados pessoais e sensíveis, bases legais, o que é considerado como processamento de dados, como classificar o dado antes de armazená-lo, como descartá-lo corretamente, o que é o ROPA, a DPIA, o papel e importância do encarregado de dados (DPO) e como reportar uma violação de dados na empresa. A fase um pode ser um treinamento online, disponibilizado para os funcionários na intranet. Na segunda fase do programa, o treinamento deverá ser direcionado para cada área de negócio, de acordo com a natureza de relacionamento que elas possuem com os titulares de dados (relacionamento com cliente, financeiro, RH, etc.). Essa fase abordará com mais profundidade a aplicação das bases legais de acordo com os tipos de processamento que a área realiza e terá apresentação de cases específicos conforme a atuação da área (exemplo de cases de profiling para área de marketing). A fase dois pode ser presencial para os funcionários da área.

Os treinamentos devem ser reciclados periodicamente de acordo com a política interna da empresa ou quando houver mudanças significadas nas leis de privacidade.

Implementar métricas de aprovação/reprovação para medir a aplicação do treinamento e nível de aprendizado, tanto individualmente por funcionário quanto por área de negócio.

Dica 9: Gestão de Identidade e Acessos

Implementar um pool de soluções para Gestão de Identidade e Acessos para prover a governança e administração das identidades e seus respectivos direitos de acesso aos dados pessoais e sensíveis armazenados nos ativos da empresa.
É recomendável que todo o ciclo de vida dos usuários e seus acessos aos dados pessoais e sensíveis sejam gerenciados através de workflows para mitigar os riscos de dados pessoais e sensíveis serem acessados por pessoas não autorizadas, o que pode ocasionar uma violação de dados de acordo com a LGPD.

Dica 10: Gestão de Incidentes

Estruturar, definir e formalizar um processo de Gestão de Incidentes, visando contemplar planos de resposta à incidentes relacionados ao tema de privacidade de dados. Esse plano deve conter procedimentos e diretrizes que orientem as áreas envolvidas na identificação, monitoramento, remediação e reporte de incidentes de violação de dados, bem como abordar a categorização de um incidente de violação de dados e o seu registro nas ferramentas. O processo de gestão de incidentes de violação deve ser testado e validado regularmente para avaliar a capacidade de atendimento aos requisitos de privacidade relevantes.

Recomenda-se que seja definido um processo de comunicação formal com as autoridades de proteção de dados e os titulares de dados. Essa comunicação deve ter o envolvimento do Encarregado de Dados (DPO) da empresa e deve ser realizada dentro dos prazos estabelecidos pela LGPD.

Além disso, deve-se ser estabelecido um processo de notificação de violação de dados que contenha:

  • A identidade e o contato do encarregado de dados e outras partes relevantes da empresa;
  • Descrição das possíveis consequências (riscos) da violação de dados;
  • Descrição da natureza da violação, informando quais e a quantidade de titulares que foram afetados;
  • Medidas técnicas e organizacionais aplicadas para mitigar as consequências dessa violação.

Dica 11: Revisão de antigos contratos

Recomendamos revisar os antigos contratos e incluir cláusulas protetivas relacionadas à proteção de dados e conformidade com a LGPD, bem como ajustar os contratos padrão existentes de modo a incluir cláusulas neste sentido, inclusive sobre a possibilidade de auditoria. A depender do caso, pode-se indicar a forma da realização dos tratamentos de dados e medidas mínimas de segurança a serem respeitadas.

Conduzir avaliações de conformidades com terceiros/fornecedores novos e existentes (a cada renovação de contrato) para verificar se estão em conformidade com a LGPD.

Dica 12: Política de privacidade interna e externa

Não há uma definição legal dos tipos de política de privacidade interna e externa que uma empresa deve possuir. De todo modo, sugerimos que a empresa elabore e mantenha as políticas de privacidade abaixo com bases nas melhores práticas de mercado e visando maior compliance com o framework de proteção de dados pessoais.

Com relação às políticas externas, via de regra as empresas possuem:

  • Política de Privacidade
  • Política de Cookies

Já com relação às políticas internas, normalmente as empresas possuem:

  • Política de Privacidade e Proteção de Dados
  • Política de Retenção e Destruição de Dados
  • Política de Gerenciamento de Dados em Dispositivos Móveis
  • Política de Segurança de Dados

Dica 13: Definir um processo para acompanhar as mudanças regulatórias da LGPD

Esse processo irá auxiliar a empresa a manter-se atualizada sobre as leis em questão, fornecendo subsídio para tomadas de decisão.

Além disso, recomenda-se que um processo seja definido para atualizar as políticas, normativos, treinamentos, procedimentos, processos e demais operações, a fim de refletir as mudanças regulatórias quando estas acontecerem.

Dica 14: Implementar uma solução para aumentar a segurança da informação

De nada adianta implementar vários processos de coleta das informações se as mesmas estiverem desprotegidas ou os equipamentos (computadores, celulares, etc) dos colaboradores não possuírem ferramentas como Antivírus e Gerenciador de acesso à internet.

Por isso, é de extrema importância que a empresa possua soluções que aumentem a camada de segurança dos dispositivos e da rede. Segue algumas sugestões:

  • Antivírus:
    • Kaspersky Anti-Virus: costuma frequentar o top 3 das principais listas de melhores antivírus do mundo há tempos. Ele oferece recursos avançados de varredura e limpeza, além de ser capaz de desfazer ações realizadas por malwares e por isso está no topo desta lista;
    • Bitdefender Antivirus Plus: oferece proteção completa para quem quer se ver livre de malwares. Ele conta com ferramentas de recuperação para vírus persistentes, gerenciamento de senhas e ainda incrementa a segurança do seu navegador para você realizar transações financeiras;
    • F-Secure Anti-Virus: Uma das características mais marcantes do F-Secure Anti-Virus é a velocidade do seu modo de varredura rápida — e essa agilidade consegue ser ainda maior quando você refaz o processo. Isso garante praticidade e rapidez na hora de manter seu computador seguro. Além disso, ele tem recursos especiais para combater a ação de malwares, bloqueando e monitorando a ação de arquivos suspeitos.
  • Gerenciador de acesso à internet:
    • Soluções que necessitam um maior investimento, indicado para empresas grandes
    • Solução mais acessível, indicado para pequenas e médias empresas
      • Lumiun: O Lumiun é um serviço baseado em nuvem que protege sua empresa das ameaças da internet, tornando a rede mais segura e a equipe mais produtiva. O Lumiun funciona de forma diferenciada, pois o maior objetivo é ser uma solução fácil de ser implementada e gerenciada. Sabe-se que atualmente um dos maiores problemas das empresas é a baixa produtividade e a falta de segurança e é neste segmento que o Lumiun atua, simplificado às empresas de pequeno e médio porte.



Para escolher a melhor opção para aumentar a segurança da informação é importante definir bem as necessidades da sua empresa e comparar os custos, características e benefícios de cada uma das soluções existentes.


Gostou desse artigo? Então compartilhe com seus colegas de trabalho para que possam juntos deixar a empresa compliant com a LGPD.

Tem alguma dúvida? Escreva aqui nos comentários e terei o enorme prazer de te responder.

Crimes cibernéticos: Como agir em caso de invasão e roubo de dados?

Crimes cibernéticos, um assunto que precisa estar presente e ser debatido no cotidiano, mas que ainda é pouco discutido, e principalmente, são poucas as empresas que sabem a importância de entender sobre esse assunto e manter a segurança para evitar invasão e roubo de dados.

A falta de segurança é o principal gatilho para que aconteçam crimes cibernéticos, que estão ligados com problemas muito frequentes, que aumentam a cada dia, como sequestro de dados, mais conhecido pelo nome de Ransomware; perda de informações; roubo de contas, entre outros problemas.

Por que acontecem os crimes cibernéticos?

A maioria dos crimes via internet acontecem pela falta de segurança das redes, acesso indevido à sites perigosos que contenham ameaças ou até mesmo falta de atualizações no sistema operacional, que foi o que aconteceu no dia 12 de maio, em todo o mundo, por meio de um ataque de hackers.

Sabemos que existem pessoas que estão na internet à trabalho, pesquisando ou obtendo informações, mas também estão as que têm como foco principal prejudicar e levar malefícios aos demais usuários da rede. Por isso é importante prestar atenção no que é acessado e manter a segurança, para que o acesso à internet não ocasione situações complicadas e prejudiciais.

No entanto, após ter conhecimento sobre o ataque você precisa tomar decisões rápidas. O custo cresce exponencialmente quanto mais tempo você leva para resolver o roubo de dados. Ou seja, limitar o alcance dos danos é crucial:  ative todas as ferramentas de segurança que estejam ao seu alcance, priorizando as áreas que foram alvos principais do ataque.

Existem Manuais de utilização segura da internet, que ajudam à manter a segurança na internet, porém, elaboramos algumas dicas que podem lhe auxiliar em caso de invasão e roubo de dados e também para prevenção contra esse tipo de situação. Confira:

1) Faça o backup imediatamente em casos de crimes cibernéticos

Quando falamos de backup, imediatamente as pessoas acreditam que devem copiar tudo o que precisam em um pendrive, em um HD externo ou em algum tipo de mídia, por exemplo CDs.

Graças à tecnologia, hoje existem softwares que permitem fazer backup de forma rápida e automática, e nesses casos de invasões é a melhor opção. Porém, é importante que o usuário comum tenha em mente que fazer backup é, antes de tudo, uma filosofia de trabalho que exige disciplina e constância.

Atualmente, grande parte das ferramentas que geram dados tem previsão de backup automático, com tempos podendo ser programados pelo usuário. É de grande valia, pois quando perdem-se arquivos em um ataque virtual, dificilmente conseguirão ser recuperados no futuro.

2) Bloquear pop-ups

Alguns pop-ups são usados com o objetivo de distribuir malware ou iniciar golpes de phishing. É recomendável configurar o navegador de forma à bloqueá-los por padrão, tornando possível inspecionar qualquer janela que tentar se abrir, e evitar pausar a navegação por isso.

3) Faça uma varredura com um bom antivírus

Um programa com recursos antivírus e anti-spyware pode detectar e, quase sempre, remover ameaças de malware que, do contrário, permaneceriam ocultas no seu computador.

É importante entender que Antivírus é uma das armas mais poderosas de proteção que um PC, notebook e smartphone pode ter contra os crimes cibernéticos. Além de protegê-los contra ataques de cibercriminosos e detectar vírus, a ferramenta de segurança tem um dos recursos mais básicos e essenciais, a varredura completa nos aparelhos.

Desta forma, elimina-se as ameaças e arquivos corrompidos ou mesmo aqueles que são apenas suspeitos da máquina.

4) Colete as evidências do crime cibernético

Caso uma invasão ou roubo de dados venha à acometer a sua empresa, o melhor a fazer é salvar os arquivos, e-mails, capturas de telas (Print Screen), e qualquer outro material que comprove o crime. Mas é preciso que seja rápido, pois, no mundo virtual, as evidências desaparecem logo e o hackers e cibercriminosos são ardilosos e fazem de tudo para não serem descobertos.

5) Não faça nenhum tipo de pagamento

Em caso de ataque Ransomware, onde acontece o sequestro de dados e os criminosos pedem um valor em bitcoins, como se fosse um resgate, para desbloquear ou devolver os seus dados. Nesse tipo de situação o melhor a fazer é não realizar o pagamento, pois muitos cibercriminosos pegam o valor pago e não devolvem seus dados, com isso você e a sua empresa acabam saindo no prejuízo.

Além disso, eliminar um Ransomware já instalado é quase impossível. Se por acaso sua máquina estiver contaminada, provavelmente precisará passar por uma formatação, deletando permanentemente todos os dados, informações e programas de seu computador.

 

Pode-se perceber que não é fácil passar por crimes cibernéticos. Mas, caso isso aconteça é preciso manter a calma e saber que a prevenção deve ser feita o quanto antes.

Temos uma categoria do blog somente com conteúdos sobre segurança, onde você pode conferir artigos variados, para manter a sua empresa protegida de ataques virtuais.

 

7 práticas de gestão (produtiva) para o seu escritório de contabilidade

A rotina de um escritório de contabilidade não precisa ser tão burocrática, muito menos representar um obstáculo para o crescimento. Hoje, é perfeitamente possível adotar algumas práticas de gestão em busca de um ambiente mais eficiente e produtivo, gerando bons resultados de forma permanente e até mesmo previsível.

Essas ações auxiliam para a organização da burocracia e papelada que todos sabemos que faz parte da rotina de um escritório de contabilidade. Além disso, essas práticas facilitam a visão geral sobre as tarefas do dia e mensuração da produtividade e desperdício de tempo, além de dar à equipe motivos para trabalhar com mais dedicação e empenho.

Se você busca mais produtividade no seu escritório, confira algumas práticas e veja como elas podem lhe auxiliar a fazer uma gestão mais eficiente dos recursos em seu escritório de contabilidade.

1. Elabore um planejamento financeiro e acompanhe os resultados

Nenhuma ação tem chances reais de dar certo se não for devidamente planejada. Isso acontece principalmente quando tratamos de questões burocráticas, como é o caso do escritório de contabilidade.

Por isso, a primeira prática de gestão que você deve adotar é o planejamento financeiro. Afinal, é a partir dele que você pode pensar o crescimento do seu escritório de maneira mais controlada. Não deixe de estabelecer objetivos e avaliar o tempo que julga necessário para alcançá-los. Não se esqueça também de estimar os gastos que serão realizados, bem como os recebimentos.

Determinando prazos com o intuito de atingir os seus objetivos, você conseguirá ter uma visão mais precisa do caminho a ser percorrido para alcançar suas metas, o que permitirá intervenções mais  precisas sempre que necessário.

Também é fundamental um controle preciso de todas receitas e despesas. Para esse controle uma boa alternativa é utilizar serviços online de gestão financeira, nesse artigo listamos algumas boas opções.

2. Gerencie a produtividade da sua equipe

Ao procurar por colaboradores para compor sua equipe, procure analisar as experiências dos candidatos e avaliar o perfil de cada um deles em função da natureza de seu negócio. É importante que exista uma compatibilidade para evitar a dificuldade de adaptação. Essa medida elimina a necessidade do processo ser realizado novamente, garantindo economia de gastos.

Essa compatibilidade também será fundamental na montagem de uma equipe capaz de atuar com os mesmos objetivos do escritório. Por isso, não deixe de trabalhar com feedbacks e dê atenção especial a reclamações, sugestões e elogios. Procure também criar relatórios de satisfação e agendar reuniões sempre que necessário. É importante manter uma equipe focada e motivada sempre.

Visando o aperfeiçoamento, nada melhor do que investir em capacitação e treinamento dos seus colaboradores. Assim, você consegue motivar esses profissionais a produzirem mais e mantê-los atualizados a respeito de novas práticas desenvolvidas a partir de inovações tecnológicas.

Com o objetivo de garantir aumento de produtividade, estabeleça metas para a equipe. Dessa maneira, você mede o rendimento do escritório como um todo e tem um parâmetro para interferir em setores problemáticos. Defina metas claras, objetivas e alcançáveis: nada de exigir o impossível, pois isso pode surtir um efeito desmotivador muito grande.

Você pode usar essa prática de gestão na comparação entre períodos diferentes. Em longo prazo, ela oferece parâmetros muito úteis que contribuem para tomadas de decisão mais assertivas.

3. Priorize o atendimento ao cliente

Para garantir a fidelidade dos clientes, o melhor a fazer é oferecer um atendimento relevante e eficiente, que forneça informações necessárias e resolva as necessidades do cliente. Para isso, não deixe de investir em um atendimento de qualidade, com canais de comunicação  e uma equipe específica e bem treinada para realizar esse suporte. Não ignore o potencial das redes sociais. Com um trabalho de Social Media, por exemplo, você pode usar serviços como o Facebook e o Twitter para prestar esclarecimentos e tirar dúvidas em tempo real.

Essa é uma boa maneira de conquistar e cultivar bons clientes, algo que será significativo para a evolução do negócio. Recebendo um serviço de qualidade, segurança e atenção, dificilmente seu cliente terá motivos para procurar por outro escritório de contabilidade.

4. Invista em tecnologias e ferramentas para seu escritório

Para otimizar os procedimentos internos do escritório, não deixe de contar com o auxílio de recursos de tecnologia. Alguns deles permitem que você e sua equipe automatizem boa parte dos processos e produzam mais em menos tempo.

Considere a adoção de softwares de gestão contábil e até mesmo de aplicativos para smartphones. Use ferramentas de gerenciamento de tarefas para facilitar a sua gestão e da equipe.

Outro ponto importante é a falta de foco e desperdício de tempo dos colaboradores, principalmente na internet. Para evitar problemas com isso a melhor medida é utilizar algum serviço que permita a gestão do acesso à internet, com possibilidade de definir regras para o uso da internet, evitando o acesso a sites fora do escopo de trabalho.

Isso significa que, utilizando as ferramentas certas, é possível não somente gerenciar melhor as tarefas do dia a dia, mas também transformar a gestão em um diferencial no seu escritório de contabilidade. Além disso, dessa forma o cliente verá no seu cuidado com a estrutura interna do negócio e agilidade nas respostas algo que não encontrará na concorrência tão facilmente.

5. Certifique-se que a sua equipe esteja atualizada

Da mesma forma, nada pode ser pior para a credibilidade de sua equipe do que não saber lidar com um determinado recurso ou esclarecer seus clientes sobre determinada informação ou necessidade. Além de comprometer seus colaboradores, isso pode prejudicar o escritório como um todo, pois certamente este será um bom motivo para que o cliente procure por outros serviços mais qualificados.

Com as constantes alterações na legislação e os novos recursos tecnológicos que surgem, é fundamental estar sempre atualizado com as novidades. Sendo assim, a atualização da equipe é fundamental, tanto para lidar com as inovações de maneira qualificada, quanto para transmitir a segurança necessária para os clientes, diante das peculiaridades do serviço de contabilidade, que sabemos o quanto é complexo em nosso país.

6. Defina funções e responsabilidades específicas

Independente do tamanho do seu escritório, é importante que as atribuições e responsabilidades da sua equipe sejam distribuídas de forma clara e funcional entre os colaboradores. Para isso é recomendado criar um documento simples com descritivo de todas as funções, tarefas a serem realizadas e responsabilidades de cada profissional dentro da sua equipe.

Estabelecer uma hierarquia clara também é importante, definindo a quem cada colaborador deve se reportar em cada situação e a quais membros da equipe cabe a gestão das tarefas, tomadas de decisão e por consequência, as responsabilidades em relação as atividades e resultados a serem entregues.

7. Tenha foco em seu mercado de atuação

O mercado de contabilidade para empresa é muito vasto e amplo, com inúmeros segmentos e áreas de atuação diferentes para as empresas. Onde cada área possui suas peculiaridades na complexa legislação contábil brasileira.

Claro que no seu escritório de contabilidade você pode atender tanto a empreendedores individuais quanto a empresas de diversos segmentos e instituições, como indústrias ou instituições de ensino.

Porém, para não comprometer seus resultados e a excelência do serviço prestado, é importante que você escolha os seus clientes de acordo com o perfil do seu escritório e a qualificação da sua equipe. Se por acaso quiser arriscar e atender o máximo possível de segmentos, é recomendado evitar empresas de grande porte que possam demandar alta complexidade para os serviços a serem prestados.

O objetivo do artigo é abordar melhorias e boas práticas de gestão para o seu escritório de contabilidade. Se você já segue algumas dessas práticas compartilhe sua experiência conosco através dos comentários!

Sua empresa precisa ser mais produtiva? Saiba o que fazer!

Devido ao cenário econômico atual, é comum as empresas apresentarem problemas relacionados a queda de resultados e baixos rendimentos. Porém, muitas empresas têm complicações instaladas há bastante tempo, e por conta disso não conseguem se estabelecer no mercado e manter sua produtividade e rendimentos, razão pela qual acabam fechando, ou demitindo uma grande parte dos colaboradores.

Em períodos de crise, é fundamental voltar a atenção para a gestão e produtividade, para que sua empresa consiga aumentar os resultados, os gestores precisam ter em mente dois conceitos primordiais: competência e o desempenho. Com isso, as ações precisam ser pensadas para melhorar a gestão da empresa e a produtividade da equipe, como também no papel de cada colaborador, para manter a organização no ambiente corporativo.

A partir disso, preparamos 9 dicas que podem auxiliar sua empresa a melhorar os resultados e competitividade em relação aos concorrentes e ao mercado.

Mudanças focadas em produtividade

Antes de qualquer coisa, você precisa ter em mente que se a sua empresa não está apresentando os resultados esperados, algo está errado, e quando alguma coisa não está certa, deve ser modificada. É preciso entender que insanidade é fazer a mesma coisa todos os dias esperando um resultado diferente, portanto se você não está satisfeito com a performance da sua empresa, prepare-se para realizar mudanças em todos os setores.

Para saber onde é melhor focar as mudanças, é necessário avaliar qual setor ou parte da sua empresa não está gerando os resultados esperados, para então implementar melhorias, sempre tendo como objetivo resultados, somente assim você poderá tornar a sua empresa mais competitiva.

Entender o Retorno sobre Investimento (ROI)

Calcular o ROI nada mais é do que saber quanto dinheiro a empresa está ganhando (ou perdendo) com cada investimento realizado. Isso inclui tudo o que for feito visando algum lucro futuro para a empresa, como por exemplo treinamento da equipe de vendas e estratégias para captação de novos clientes. Desse modo, fica claro não só quais investimentos são vantajosos, mas também como otimizar aqueles que já estão dando certo, a fim de que tenham um desempenho ainda melhor.

Faça um planejamento estratégico

É importante colocar no papel a razão de ser da sua empresa, como você quer ser reconhecido e liste as qualidades que você deseja para sua equipe. Traga essas informações para suas discussões e lembre-se delas a todo momento. Missão, visão e valores existem para guiar você e o seu time.

Defina a competência de cada cargo

Essa dica parece não ser tão importante, pois você como gestor da empresa sabe o que cada colaborador está realizando dentro da empresa e como os cargos estão distribuídos. No entanto, é de grande importância que seja feito esse levantamento das competências de cada um, para que o planejamento estratégico da empresa possa se concretizar.

Preserve as informações da sua empresa

Com a utilização da internet para praticamente todas as atividades do nosso dia a dia, é preciso um cuidado redobrado na hora de posicionar a empresa no meio digital. A segurança precisa ser preocupação constante dos gestores, que devem prezar para que os dados da empresa não sejam colocados em risco. Se tratando de segurança, os investimentos principais devem ser sempre na prevenção de problemas gerados. No caso de ocorrência de falhas na segurança os riscos e prejuízos são muitas vezes enormes, como por exemplo, perda, vazamento ou sequestro de informações.

Faça das metas realidade

Defina objetivos de curto, médio e longo prazo, pois isso facilita no planejamento e também faz com que você perceba a evolução gradativamente. Definir, divulgar e acompanhar metas para cada departamento facilita a conquista dos objetivos da empresa e também faz com que cada funcionário consiga saber o seu papel no cumprimento das metas e possa auxiliar ao alcance do objetivo final, que é a busca por melhores resultados.

Dê autonomia para a sua equipe

Os resultados são melhores quando o colaborador se sente parte da solução e definições da empresa, por isso, incentive a tomada de decisão em todos os níveis. Decisões alinhadas com os valores da empresa dificilmente vão ser negativas, o esforço para incorporar os valores é menor do que o de gerenciar todas as decisões.

Identifique as falhas

Como você já identificou o perfil de cada colaborador e deu autonomia para a sua equipe, agora é hora de ver onde estão as falhas, motivos de queda nos resultados. Analise o seu time e veja se as pessoas estão nos setores corretos dentro da empresa e cumprindo com as suas obrigações trabalhistas.

Saiba o valor da produtividade para os resultados

A produtividade é uma das características mais requisitadas hoje pelas empresas. Isso acontece porque está totalmente ligada com o crescimento e melhores resultados. Controlar a produtividade é importante para fazer o trabalho render mais e para que o tempo de realização de atividades seja suficiente, afinal, tempo é dinheiro, assim, trabalhar mais em menos tempo significa ganhar mais.

A queda na produtividade pode ser um ponto negativo quando se busca resultados para a empresa e pode ser causada por inúmeros fatores, como por exemplo desperdício de tempo nas redes sociais, ociosidade, falta de diálogo e definições, entre outros.

Controlar a produtividade através da gestão vai lhe ajudar a identificar os pontos fracos da sua empresa, torna-lá mais produtiva, reduzir os desperdícios de tempo e recursos, fazendo com que sua empresa seja mais eficiente e competitiva.

 

Você acha que essas dicas foram úteis e podem lhe auxiliar a alavancar o seu negócio e lhe trazer mais resultados? Compartilhe a sua experiência conosco e continue acompanhando o nosso blog.