como ajudar nas enchentes do Rio Grande do Sul

Enchentes no RS: Apoio às Campanhas e Alerta contra Golpes

Como empresa de cibersegurança sediada no Rio Grande do Sul, a Lumiun se une em profunda solidariedade às vítimas das enchentes que assolam nosso estado. A devastação causada por esses eventos naturais nos lembra da importância da empatia e da ação coletiva para ajudar àqueles que mais precisam.

Em meio a essa tragédia, surgem não só gestos de solidariedade, mas também a lamentável presença de golpistas que se aproveitam da generosidade das pessoas. Por isso, é fundamental estarmos atentos e unidos para combater esses comportamentos maliciosos e garantir que nossas contribuições cheguem de fato às pessoas  que necessitam.

Conforme boletim divulgado pela Defesa Civil na manhã desta segunda-feira, 27 de maio, são 469 dos 497 municípios do Rio Grande do Sul com algum relato de problema relacionado ao temporal, com 2,3 milhões de pessoas afetadas, 55.813 mil pessoas em abrigos, 581 mil desalojadas, 806 feridos e 56 desaparecidos. Dados alarmantes que traduzem brevemente a seriedade da situação e a calamidade de toda uma comunidade. 

Neste artigo, além de expressarmos nossa solidariedade e empatia, tentamos reunir informações sobre as campanhas sérias de arrecadação em andamento, bem como alertas e orientações para identificar e denunciar golpes que tentam se beneficiar dessa situação delicada. Além disso, este conteúdo será constantemente atualizado, conforme nossa equipe conseguir avaliar novas informações.

Caso você tenha conhecimento de alguma campanha séria ou identificar possíveis golpes, por favor, entre em contato conosco através do e-mail contato@lumiun.com. Juntos, podemos fazer a diferença e oferecer apoio real às comunidades afetadas pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

Como identificar se o Pix é seguro?

Uma das formas mais rápidas de ajudar financeiramente pessoas e cidades afetadas pelas enchentes no Rio Grande do Sul é através do Pix para campanhas solidárias. Visto que o Pix é uma forma de transação financeira simples e em crescente popularidade, porém concomitantemente a facilidade também surgem preocupações sobre a segurança e veracidade das informações.

Para ajudar as pessoas a entender se o Pix é seguro,  separamos algumas dicas importantes para garantir que a sua doação chegue ao destino correto:

  • Verifique a Autenticidade das Fontes de Informação: Certifique-se de obter informações sobre o Pix de fontes confiáveis, como sites oficiais do Banco Central do Brasil ou instituições financeiras autorizadas.
  • Atenção aos Detalhes nas Transações: Ao realizar transações via Pix, verifique cuidadosamente os dados do destinatário, como nome e CPF/CNPJ, para garantir que estejam corretos antes de confirmar o pagamento.
  • Utilize Canais Seguros: Prefira realizar transações Pix por meio de aplicativos bancários oficiais ou canais seguros fornecidos pelas instituições financeiras, evitando links suspeitos ou solicitações de dados pessoais em sites não confiáveis.

Seguindo essas dicas, as pessoas podem utilizar o Pix de forma segura e proteger suas informações financeiras contra possíveis golpes e fraudes.

Como reconhecer e se proteger contra fake news?

Além das preocupações com segurança financeira, outro desafio enfrentado pelos usuários da internet é a disseminação de fake news. Neste cenário, é fundamental desenvolver habilidades para reconhecer e evitar a propagação de informações falsas.

Veja a seguir as principais orientações para reconhecer e se proteger contra fake news neste momento tão delicado.

    1. Verifique a Credibilidade da Fonte: Certifique-se de que a fonte da notícia é confiável e reconhecida. Desconfie de sites desconhecidos ou com histórico duvidoso.
    2. Analise a Informação na Íntegra: Verifique se a notícia está completa e se não é apenas um trecho fora de contexto. Fake news muitas vezes distorcem informações reais para criar sensacionalismo.
    3. Pesquise em Fontes Confiáveis:Faça uma pesquisa em fontes confiáveis, como veículos de imprensa renomados, para confirmar a veracidade da notícia.
    4. Cheque em Agências de Verificação de Fatos: Recorra a agências de checagem de fatos, como a Agência Lupa, Aos Fatos e Boatos, que ajudam a identificar se uma notícia é falsa ou verdadeira.
    5. Atenção aos Títulos Sensacionalistas: Fique atento a títulos sensacionalistas ou clickbaits, que buscam chamar a atenção sem necessariamente refletir a veracidade da informação.
    6. Se você tem dúvida sobre a veracidade do conteúdo, não compartilhe!

Seguindo essas dicas, é possível se proteger melhor contra a disseminação de fake news e garantir que as informações compartilhadas sejam confiáveis e precisas.

Campanhas Sérias de Apoio às Vítimas das Enchentes no Rio Grande do Sul

Diversas campanhas e iniciativas sérias têm sido lançadas com o objetivo de prestar auxílio humanitário, fornecer suprimentos essenciais e apoiar a reconstrução das comunidades afetadas.

Neste tópico, reunimos informações sobre algumas das principais campanhas em andamento. É fundamental que a população esteja ciente destas ações confiáveis, a fim de direcionar suas doações e contribuições de forma segura e efetiva.

Pix do Governo do Estado do RS

O governo gaúcho reativou o canal de doações para a conta SOS Rio Grande do Sul. Foi restabelecida a chave pix do CNPJ 92.958.800/0001-38, a mesma utilizada no ano passado, vinculada à conta bancária aberta pelo Banrisul. Os recursos serão integralmente revertidos para o apoio humanitário a vítimas das enchentes e para a reconstrução da infraestrutura dos municípios.

Dados para doação

Chave Pix: CNPJ: 92.958.800/0001-38

Confirmar se aparece: Banco do Estado do Rio Grande do Sul ou Associação dos Bancos no Estado do Rio Grande do Sul

Fonte: https://sosenchentes.rs.gov.br/inicial

A Maior Campanha Solidária do RS

O Instituto Vakinha, o Pretinho Básico e o Badin Colono se juntaram para criar a maior campanha solidária do Rio Grande do Sul.

Dados para doação

Chave Pix: enchentes@vakinha.com.br

Confirmar se aparece: Vakinha.com Negocios Virtuais Ltda

CNPJ: 22.831.673/0001-26

Fonte: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/a-maior-campanha-solidaria-do-rs

Instituto Cultural Floresta

Nosso objetivo é destinar itens necessários para auxiliar nos resgates, além de aquisição e distribuição de cestas básicas e kits de higiene. Faça sua doação.

Dados para doação

Chave PIX: 27.631.481/0001-90

Confirmar se aparece: Associação Cultural Floresta

Fonte: https://www.instagram.com/p/C6hbTVUOpIA

Força Rio Grande do Sul

Todo o dinheiro arrecadado está sendo destinado aos indivíduos e instituições que compõem a linha de frente na ajuda aos afetados pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

Dados para doação

Vaquinha online: https://abacashi.com/p/forca-rio-grande-do-sul-58

Fonte: https://www.instagram.com/p/C6oPJHSL2Zb

Deise Falci da Vem Adotar

A protetora Deise Falci é a responsável pelo projeto Vem Adotar que abriga mais de 400 animais, e na enchente que está assolando o Rio Grande do Sul já resgatou mais de 200 cães.

Dados para doação

Chave PIX: deisefalci@gmail.com

Confirmar se aparece: Deise Falci de Castro

Fonte: https://www.instagram.com/p/C6uBDw9O5zy/

Instituto Helda Gerdau

Associação sem fins lucrativos criada pela família Gerdau Johannpeter a fim de potencializar ações voltadas para o impacto social positivo. Está apoiando a comunidade em parceria com outras instituições para suprir as necessidades emergenciais com comidas, cobertores, roupas e material de higiene pessoal.

Dados para doação

Chave Pix: 41.324.668/0001-71

Confirmar se aparece: Instituto Helda Gerdau Johannpeter

CNPJ: 41.324.668/0001-71

Fonte: https://www.instagram.com/p/C6tl5-iRECN/?img_index=1

 

SOS Provedores: ajude a internet do Rio Grande do Sul

Muitas são as perdas quase que totais de infraestruturas efrentadas por muitos provedores de internet que atendem as regiões afetadas pelas enchentes. Diante desse cenário desafiador, a Associação de Provedores de Serviço e Informação da Internet, a InternetSul, lançou a campanha “SOS Provedores: ajude a internet do Rio Grande do Sul” para mitigar os impactos negativos e garantir o acesso à internet para todos os gaúchos. Confira algumas das formas para que você pode ajudar nessa campanha:

Doar ou emprestar equipamentos de telecomunicações

Faça doação de equipamentos sejam eles novos ou usados, acesse o site da https://www.internetsul.com.br/ajuders e preencha o formulário,  através disso serão avaliadas as necessidades junto às empresas afetadas e será organizada a doação.

Ajuda com mão de obra de instalação, infraestrutura e limpeza

Contribua disponibilizando técnicos especializados em instalação, montagem de infraestrutura ou limpeza. No formulário também disponível no link do site citado acima, forneça os dados e a disponibilidade desses técnicos, para facilitar na organização desse suporte. 

Apoio jurídico em pleitos com o Governo

A InternetSul também está colaborando com governo federal e estadual para desenvolver medidas para minimizar os impactos das enchentes. Para saber quais são essas ações você pode acessar o site da associação https://www.internetsul.com.br/ajuders ou caso você tenha dúvidas, através do e-mail juridico@internetsul.com.br.

Essas são algumas formas de ajudar os provedores de internet do Rio Grande do Sul, caso você deseje ajudar de outra forma acesso o site https://www.internetsul.com.br/ajuders e saiba de outras maneiras de ajudar. 

SOS Rio Grande do Sul

Aplicativo desenvolvido para organizar e distribuir suprimentos, bem como coordenar voluntários durante os alagamentos no Rio Grande do Sul. Acesse o site e veja como está a disponibilidade dos abrigos (se estão disponíveis ou estão lotados), suas necessidades de doações e de voluntários. 

Fonte: https://sos-rs.com/

Doações RS

Plataforma digital criada para organização de doações para vítimas da enchente no Rio Grande do Sul. 

Através da plataforma você encontra locais para doar e contribuir com as comunidades afetadas pela enchente. Encontrando informações sobre locais de doação mais próximos. 

Até o momento são 14 locais cadastrados, 12 dos pontos de coleta cadastrados ficam em Caxias do Sul, um em Canela e outro no estado do Rio de Janeiro.

Fonte: https://doacoesrs.com.br/

Pessoa Perdida

Iniciativa coletiva para ajudar a centralizar informações de pessoas encontradas e perdidas para reunir familiares e amigos. A plataforma também fornece informações sobre abrigos, facilitando o acesso a recursos essenciais.

Fonte: https://pessoaperdida.com.br/about

Ajude RS

Plataforma criada para que qualquer pessoa com acesso à internet reporte situações de emergência via site ou WhatsApp. Na plataforma aparece o que a pessoa está necessitando no momento em doações.

Fonte: https://app.ajuders.com.br/

Pet RS

Pelo formulário, o tutor cadastra seu animal perdido, usando fotos de boa qualidade e preenchendo campos específicos e adiciona um WhatsApp de contato. Através disso, é possível unir informações para encontrar os animais domésticos que acabaram se perdendo durante as fortes chuvas.

Fonte: https://petsrs.com.br/

Meu Lar de Volta

Como a água começou a baixar, muitas famílias necessitam de ajuda para fazer a limpeza de suas casas, através da plataforma “Meu Lar de Volta”, você pode pedir ajuda ou se candidatar como voluntário para ajudar na limpeza das residências. 

Fonte: https://www.meulardevolta.com.br/

 

Golpes e Fake News Relacionados às Enchentes no Rio Grande do Sul

Infelizmente, em meio à tragédia das enchentes no Rio Grande do Sul, alguns indivíduos e grupos criminosos têm se aproveitado da situação para aplicar golpes e disseminar notícias falsas. É importante que a população esteja atenta a esses comportamentos maliciosos, a fim de evitar que suas doações e esforços de solidariedade sejam desviados.

Abaixo, listamos os principais golpes e fake news relacionados às enchentes no Rio Grande do Sul. Essa lista será constantemente atualizada para refletir as novas informações e alertas sobre essas práticas maliciosas.

#fakenews Golpe do Pix e Helicóptero

Criminosos estão se passando por entidades legítimas e criando campanhas falsas de arrecadação, utilizando o Pix de forma fraudulenta para desviar recursos destinados às vítimas.

Há relatos de criminosos oferecendo falsos resgates de helicóptero mediante pagamento adiantado, aproveitando-se da situação de emergência e sensibilidade das pessoas afetadas pelas enchentes

Fonte: Golpe do helicóptero: criminosos se aproveitam da tragédia no RS para aplicar golpes

#fakenews 300 corpos em Canoas

Em um áudio que circula nas redes sociais, uma pessoa não identificada afirma que haviam mais de 300 corpos na região de Mathias (bairro Mathias Velho, em Canoas), e que os bombeiros estavam calculando que teriam mais de 2.000 pessoas mortas. O áudio diz: “Ouvi aqui os caras que tavam de barco na Mathias tem mais de 300 corpos mortos num canto que eles tão tocando ali na entrada da Mathias e fora os corpos que eles não tem mais como pegar. E os bombeiros tudo tão calculando mais de 2.000 pessoas mortas”.

Por que é falso. De acordo com a Defesa Civil do Estado, o número oficial de mortos em decorrência da enchente é de 90 pessoas, até a tarde desta terça-feira (7). A Secretaria de Segurança Pública do RS disse que não há confirmação oficial sobre o fato relatado no áudio.

Fonte: Fake news sobre RS têm 300 corpos em Canoas e vídeos de outros países

#fakenews Gado arrastado pela água no México

Gado arrastado pela água no México
Reuters Image

Um vídeo de cabeças de gado sendo arrastadas por uma enchente não foi gravado durante o temporal que atinge o Rio Grande do Sul desde segunda-feira. A filmagem circula nas redes sociais desde 2020, com referências a uma inundação no México.

Fonte: Checagem de fatos: Vídeo de gado arrastado por enchente circula desde 2020

#fakenews Vídeo mostra inundação no Cazaquistão

Imagens de uma cidade inundada são acompanhadas de uma legenda sobreposta que diz “situação do Rio Grande do Sul”.

Por meio de uma busca reversa no Google Lens, o mecanismo de pesquisa identifica que as imagens mostram o Rio Ural, na fronteira entre o Cazaquistão e a Rússia.

Fonte: Fake news sobre RS têm 300 corpos em Canoas e vídeos de outros países

#fakenews Governo multa os barqueiros que fazem o resgate das vítimas

Na noite de domingo (5), o governo do Rio Grande do Sul desmentiu a informação da multa e informou por meio de nota que “não há exigência de habilitação para condução desses equipamentos, conforme informações do governo do Estado, por meio do Gabinete de Crise”.

Fonte: Voluntários com embarcações podem atuar em operações de resgate

#fakenews Veículos com doações para vítimas da enchente no RS sendo barrados em postos da Fazenda

Não é verdade que a Sefaz (Secretaria da Fazenda) do governo do Rio Grande do Sul esteja exigindo nota fiscal e impedindo a entrada de caminhões com mantimentos doados a vítimas da enchente no estado, como alegam publicações nas redes. Em nota, a secretaria negou que veículos estejam sendo retidos em postos fiscais.

Fonte: https://www.aosfatos.org/noticias/falso-doacoes-vitimas-enchente-barradas

#fakenews É falso que lista mostra nomes de crianças sem os pais abrigadas em universidade de Canoas

É falso que uma lista de nomes que circula nas redes seja de crianças sem os responsáveis abrigadas na Ulbra (Universidade Luterana do Brasil), principal abrigo emergencial em Canoas. A lista, na realidade, é de pessoas desabrigadas alojadas em uma igreja em outro município gaúcho. O Ministério Público do Rio Grande do Sul confirma nove casos em que crianças ficaram momentaneamente desacompanhadas de pais ou responsáveis e diz que providências necessárias já foram tomadas.

Fonte: https://www.aosfatos.org/noticias/falso-lista-nomes-criancas-sem-pais-canoas/

#fakenews É falso que bombeiros e voluntários encontraram 2.000 corpos em bairro de Canoas

Não é verdade que foram encontrados 2.000 corpos de vítimas das enchentes no bairro de Mathias Velho, em Canoas (RS), na última quinta-feira (9), como alegado em um áudio compartilhado por publicações nas redes. O mesmo áudio afirma que as autoridades da cidade estão armazenando os cadáveres em câmaras frias para não causar pânico à população. A Prefeitura de Canoas e o IGP (Instituto Geral de Perícias) do Rio Grande do Sul desmentiram o boato.

Fonte: https://www.aosfatos.org/noticias/falso-2000-corpos-mathias-velho-canoas/

Não é verdade que a internet fornecida pela Starlink, empresa de satélites do bilionário Elon Musk, é a única ainda em atividade no Rio Grande do Sul após as enchentes. A Conexis — Associação de Empresas de Telecomunicações e Conectividade no Brasil — afirmou que as principais operadoras de internet fixa e móvel têm mantido redes ativas na maior parte do estado e que a Starlink representa apenas 0,1% do mercado local.

Fonte: https://www.aosfatos.org/noticias/falso-starlink-unica-internet-rs-enchentes/

#fakenews Não há orientação oficial para que vítimas de enchentes no RS se cadastrem na Defesa Civil para receber ajuda

Não é verdade que as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul devem preencher o quanto antes um formulário da Defesa Civil para receber ajuda do governo, como alegam publicações nas redes. A Secretaria de Desenvolvimento Social do estado informou que ainda não está cadastrando pessoas atingidas pelas enchentes e que os municípios vão realizar os registros em momento oportuno, não agora. A orientação no momento é que a população aguarde por instruções do poder público.

Fonte: https://www.aosfatos.org/noticias/nao-ha-orientacao-oficial-vitimas-enchentes-rs-cadastrem-defesa-civil/

#fakenews Não é do RS vídeo viral de enchente que invade estrada, imagens são do Japão

O vídeo que circula nas redes sociais não tem qualquer relação com as enchentes que afetam o Rio Grande do Sul desde o fim de abril. O vídeo não é atual e nem foi gravado no Brasil, mas em 2011 no Japão, quando o leste do país sofreu um terremoto seguido de um tsunami. 

Fonte: Não é do RS vídeo viral de enchente que invade estrada; imagens são do Japão

#fakenews Vídeo de duas pessoas resgatadas nas enchentes seja no Rio Grande do Sul, registro é antigo e foi gravado na Turquia

Imagens que circulam nas redes mostram o resgate de duas pessoas que estão sendo levadas pela correnteza como se fossem vítimas da tragédia no Rio Grande do Sul; o vídeo, na verdade, foi gravado em março de 2023 e registra o salvamento de uma mãe e uma filha em uma enchente na Turquia.

Fonte: É #FAKE que vídeo de duas pessoas resgatadas nas enchentes seja no Rio Grande do Sul

#fakenews É falso que 2 mil corpos foram congelados em frigorífico de Canoas (RS)

É falso que ocorreram mais de 2 mil mortes no estado, tampouco no município gaúcho. Em vídeo que circula pelas redes sociais um vídeo que afirma que corpos estão sendo congelados em frigorífico em bairro Mathias Velho, em Canoas, no Rio Grande do Sul. Na gravação, uma mulher, não identificada, diz que haveria aproximadamente 2 mil corpos no local. O Instituto Geral de Perícias do Rio Grande do Sul, negou que estão armazenando corpos em frigoríficos e que receberam 2 mil corpos para necropsia.

Fonte: É falso que 2 mil corpos foram congelados em frigorífico de Canoas


Se você tiver conhecimento de alguma campanha séria ou identificar possíveis golpes, por favor, entre em contato conosco através do e-mail contato@lumiun.com. Juntos, podemos fazer a diferença e oferecer apoio real às comunidades afetadas pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

Posts Relacionados