Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

Regras para “senhas seguras” podem não ser a melhor opção

Você já deve saber que senhas como “123456” ou “teste123” nunca devem ser utilizadas.

Mas, para evitar a utilização de senhas inseguras, os sites estão cada vez mais rígidos nas regras para definição de senhas, exigindo as vezes ao menos 10 ou 12 caracteres, com combinações de letras maiúsculas e minúsculas, números e símbolos. O que força o usuário a criar senhas complexas, que são difíceis de memorizar.

Essas recomendações para senhas seguras foram criadas lá em 2003, por Bill Burr, diretor do National Institute of Standards and Technology (NIST). Tais orientações são seguidas até hoje em sistemas de validação de senhas e materiais com orientações para definição de senhas seguras.

Porém, em uma recente revisão do NIST das suas diretrizes para segurança de senhas, grande parte das recomendações foram alteradas. Em entrevista ao Wall Street Journal, o próprio Bill Burr se considerou arrependido de boa parte das suas recomendações, “Agora eu me arrependo de muito daquilo que fiz”. Ele também admitiu que as diretrizes criadas em 2003 se basearam em um documento escrito nos anos de 1980, quando a internet ainda engatinhava e os computadores não tinham a capacidade de processamento que possuem hoje para quebrar senhas.

Acontece que apenas substituir letras por números ou símbolos, não garante uma boa segurança das senhas. Por exemplo, mesmo trocando “pedrinho” por “P3dr1Nh0” ou “lurdinha” por “Lurd1nh@”, as senhas podem ser facilmente descobertas em ataques de força bruta. Cálculos matemáticos mostram que é muito mais difícil quebrar uma senha longa com palavras fáceis de serem lembradas do que uma senha mais curta com combinações de letras, números e símbolos.

Na imagem abaixo do site xkcd, temos o exemplo que mostra que a senha “Tr0ub4dor&3” pode ser quebrada em 3 dias, enquanto a senha “correct horse battery staple”, com quatro palavras sem sequencia lógica, só seria descoberta em 550 anos.

exemplo-senhas-seguras

Portanto, seguir a risca as orientações dos sites e validadores de senhas, não garante uma boa segurança nas suas senhas. Utilizar senhas como “G84mv@8k”, além de serem difíceis de memorizar, são menos seguras que uma senha como “nuvemcachorroespelhoestrada”.

Considerando que senhas fracas são a principal porta de entrada para a ocorrência de ataques de segurança, ransomware e outros tipos de vírus nas empresas. É sempre prudente seguir boas práticas em relação a definição de senhasnesse guia disponível para download, listamos e descrevemos um conjunto de práticas que podem ser seguidas para garantir a segurança em suas contas de usuário e senhas, tanto para contas pessoais como corporativas.