Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

5 passos simples para proteger o seu e-mail de ameaças virtuais

O e-mail é utilizado desde os primórdios da internet, sendo o meio de comunicação preferido das empresas e dos profissionais, pela sua praticidade e diferentes tipos de abordagem. Houve um tempo em que a população acreditava que o e-mail iria acabar com a chegada do WhatsApp, Slack, Facebook e outras redes de comunicação, porém mantém-se forte e cada vez mais presente na vida das pessoas.

Neste ano, calcula-se que 3,7 bilhões de usuários serão responsáveis por 269 bilhões de e-mails enviados e recebidos por dia no mundo. A consultoria norte-americana Radicati Group prevê um aumento de 4,4% neste volume nos próximos quatro anos, chegando a 319,6 bilhões de e-mails ao final de 2021.

Mas afinal, porque o e-mail é tão importante? Através do e-mail recebemos e enviamos informações, contatos importantes e nos comunicamos de forma universal, por isso a importância de proteger o seu e-mail. Hoje com a grande evolução e performance dos hackers e diferentes tipos de ações maldosas circulando pela internet, fica complicado e cada vez mais difícil manter-se longe das ameaças virtuais. Com isso, fizemos uma lista com 5 passos simples que vão lhe ajudar a proteger o seu e-mail das ameaças cibernéticas.

Passo 1: Cheque os anexos para proteger o seu e-mail

É preciso cuidado redobrado ao enviar ou receber anexos dentro do e-mail, porque eles podem carregar muito além de arquivos, o que pode ser prejudicial para a sua conta, até mesmo acarretando um roubo de informações, por estarem associados a vírus e ser a forma mais utilizada por cibercriminosos. Segue abaixo algumas dicas sobre anexos que podem ser úteis para a segurança:

  • Evite ao máximo abrir e-mails com anexos de estranhos, sempre desconfie do conteúdo;
  • Se por acaso você abrir um anexo suspeito por acidente, feche o programa (de preferência no Gerenciador de Tarefas);
  • Independentemente do seu sistema operacional, manter tudo atualizado pode ser fundamental para bloquear um vírus dentro de um anexo de e-mail;
  • Ao enviar um anexo de e-mail com segurança, certifique-se de que o tamanho do arquivo não é muito grande.

Passo 2: Evite abrir mensagens de spam

Spam é o termo usado para se referir às mensagens eletrônicas que são enviadas para você sem o seu consentimento e que, geralmente, são despachadas para um grande número de pessoas. Esse tipo de e-mail geralmente indesejável contém, em sua grande maioria, propagandas, porém, em outras ocorrências, essas mensagens contêm conteúdos mais agressivos (vírus e conteúdos ameaçadores) e ainda conseguem obter suas informações pessoais, como dados bancários, por exemplo. Se você acha que está sendo alvo de spam, confira as características desses e-mails abaixo:

  • Embora seja um dos recursos mais antigos, entre aqueles utilizados pelos spammers, ainda são encontrados e-mails de spam alegando que serão enviados “uma única vez”. Essa é uma característica de e-mail de spam.
  • Uma das mais frequentes, e piores, desculpas usadas pelos spammers é alegar que se o usuário não tem interesse no e-mail não solicitado, basta “removê-lo”.
  • O cabeçalho do e-mail aparece incompleto, sem o remetente ou o destinatário. Ambos podem aparecer como apelidos ou nomes genéricos, tais como: amigo@, suporte@ etc. A omissão do destinatário é um dos casos mais comuns, pois, os spammers colocam listas enormes de e-mails no campo reservado para Cópias Carbono Ocultas ou Blind carbon copies (Cco: ou Bcc:), já que tais campos não são mostrados ao usuário que recebe a mensagem.
  • O campo reservado para o assunto do e-mail (subject) é uma armadilha para os usuários e um artifício poderoso para os spammers. A maioria dos filtros anti-spam está preparada para barrar e-mails com diversos assuntos considerados suspeitos. No entanto, os spammers adaptam-se e tentam enganar os filtros colocando no campo assunto conteúdos enganosos, tais como: vi@gra (em vez de viagra) etc.

Passo 3: Saiba que links suspeitos devem ser ignorados sempre

Você não deve clicar em links suspeitos, principalmente os que têm ligação com sites inseguros, essa é a maior porta e também a mais simples para as ameaças entrarem em contato com a sua rede ou dispositivo. Sabemos, que o link é uma maneira prática e muito utilizada para ligar um conteúdo a outro na internet, de forma interna ou externa, mas para que seja uma boa experiência ao usuário, algumas precauções podem ser tomadas:

  • Se o usuário não tiver certeza da origem da URL, talvez seja preciso verificar com o contato se ele realmente enviou a informação e se ele tem ciência de que o link é confiável;
  • Caso a pessoa desconheça a plataforma utilizada, e não sente confiança nas informações prestadas, o melhor é ignorar. Principalmente e-mails que estejam na caixa de spam;
  • É preciso ter cuidado ao clicar sobre links encurtados, pois hoje muitos cibercriminosos utilizam ferramentas como o goo.gl, para encurtar links e deixá-los irreconhecíveis.

Passo 4: Tenha senhas fortes e seguras

Senhas fortes e seguras são importantes e disso todo mundo sabe, porém segundo pesquisa da empresa de segurança digital Kaspersky, grande parte das pessoas acham que devem proteger bem apenas as contas de bancos online (51%), de e-mail (39%) e de lojas virtuais (37%). No entanto, criar senhas fortes e seguras é muito importante, principalmente para manter as suas contas em segurança, por isso citamos algumas dicas para você criar senhas que realmente lhe protejam no mundo virtual:

  • Prefira senhas longas, com letras maiúsculas e minúsculas, números e sinais de pontuação;
  • Para lembrar ou gerar senhas, use um programa ou aplicativo de gerenciamento de senhas como, LastPass, Keeper ou Kaspersky Password Manage;
  • Não escolha como código o nome de pessoas da família, como filho, marido ou até do animal de estimação. Ao investigar levemente a vida de alguém, esses nomes são facilmente descobertos e podem se tornar uma arma.

Passo 5: Fique alerta às fraudes existentes

O tipo de fraude mais conhecido é o pishing, que consiste em enganar o usuário para roubar informações de documentos e contas bancárias, a fim de utilizá-las em benefício próprio. Esse tipo de fraude acontece muito através de e-mails e formulários falsos disponibilizados na web. Além disso, de forma alguma pense que talvez você ou a sua empresa sejam pequenos demais para ser um alvo de ataque.

Os criminosos sabem que os pequenos negócios mais simples geralmente têm menos proteção eficaz contra fraude em comparado a grandes negócios. Esse é um dos motivos para você se preocupar mais ainda com a segurança, pois hoje todos podem ser alvo de crimes virtuais.

Além do pishing, e considerado uma epidemia que vem deixando muita gente preocupada, o ransomware é considerado um dos malwares mais perigosos, pois sequestra o computador da vítima e cobra um valor em dinheiro pelo resgate, geralmente usando a moeda virtual bitcoin, que torna quase impossível rastrear o criminoso que pode vir a receber o valor. Este tipo de “vírus” age codificando os dados do sistema operacional de forma com que o usuário não tenha mais acesso.

Como conseguir identificar um e-mail falso?

É cada vez mais complicado e difícil um usuário sem conhecimentos específicos distinguir se uma mensagem está ligada a uma fraude ou não, pois os ataques estão evoluindo e se aproximando muito da realidade. Por conta disso, que os esquemas e crimes virtuais são tão frequentes e bem-sucedidos. Por exemplo, muitos emails falsificados vêm acompanhados de links para marcas conhecidas de empresas reais. No entanto, você pode ficar atento à alguns itens para se proteger:

  • Engenharia Social – seja através de boatos, phishing ou a simples propagação de softwares maliciosos, é muito comum o uso de técnicas de engenharia social com o objetivo de persuadir o leitor. Normalmente a mensagem apela à autoridade, atribuindo o alerta a algum órgão de pesquisa, e os textos são incoerentes ou com assuntos que chamam a atenção;
  • Solicitam a execução de um programa – é comum que esses softwares sejam hospedados em serviços de hospedagem gratuitos, o que ocorre com grande facilidade dada a grande disponibilidade deste tipo de serviço. Tratam-se de aplicativos maliciosos, cujo principal objetivo é coletar informações da vítima e permitir o acesso remoto ao computador do usuário;
  • Endereço de e-mail de origem duvidosa – as mensagens têm o objetivo de parecer terem sido originadas na entidade em questão. Isto dá uma falsa impressão de credibilidade ao golpe, especialmente para usuários leigos e desavisados;
  • Páginas falsas – indicam ao usuário um site falso da instituição ou uma página exclusiva para recadastramento. Estas páginas muitas vezes são hospedadas em domínios temporários, ou em provedores gratuitos que podem lembrar o nome de uma instituição;
  • Dados sensíveis – é comum que sejam solicitados dados sensíveis, tais como senhas pessoais e financeiros. Para aumentar o número de respostas, os criminosos tentam criar um senso de urgência para que as pessoas respondam imediatamente, sem pensar. Normalmente, os bancos não enviam e-mails solicitando dados como senhas.

Se você gostou desses passos para manter a segurança do e-mail, então você pode querer saber se a internet da sua empresa é utilizada de forma segura!