perfis de colaboradores

Os diferentes perfis dos colaboradores e o impacto na produtividade

Com a grande competitividade no mercado corporativo, antes mesmo de contratar um profissional para integrar a sua equipe, as empresas devem seguir alguns critérios para que a contratação não se transforme em uma soma de equívocos que poderão acarretar em prejuízos com alguns perfis de colaboradores.

É fundamental ter o entendimento que profissionais com um perfil inadequado ao ambiente e necessidades da empresa, ao invés de contribuir, acabam atrapalhando, diminuindo a produtividade e prejudicando a equipe. Com base nisso, listamos abaixo alguns dos perfis profissionais existentes no mercado e como os gestores podem agir conforme cada perfil.

Competente, mas acomodado

Geralmente, esse profissional trabalha há alguns anos, é competente na execução das suas atividades, mas dificilmente sugere ideias novas. Além disso, este tipo tende a ser resistente à mudança e não procura se atualizar. Para o líder, este profissional não é um problema, dependendo da função que exerce na empresa. É possível reverter este quadro oferecendo benefícios, como bolsas de estudo ou cursos, que também podem incentivar o colaborador a sair de sua zona de conforto e buscar alternativas para se profissionalizar e melhorar seus resultados.

Profissional infeliz

Esse é o profissional que mais trás problemas para a organização, pois a falta de motivação prejudica o desempenho do colaborador e  pode até contaminar os colegas. Broncas e ameaças não são o melhor caminho, pelo contrário, pode piorar ainda mais o quadro de insatisfação. A dica é ter uma conversa com este profissional e perguntar com franqueza os motivos de estar infeliz e como a empresa poderia ajudá-lo a resolver esse problema, se for possível.

Pró-ativo e entusiasmado

Essas características são bem vistas, mas o exagero por parte do profissional pode torná-lo inconveniente. Há ainda situações em que a pessoa sempre sugere ideias novas, mas quase nunca elas são pertinentes. Diante disso, o líder deve fazer com que o funcionário entenda que, antes de sugerir algo, é necessário avaliar se existe a possibilidade da ideia tornar-se concreta e ser desenvolvida.

Pró-ativo motivado, com bom senso

Neste caso, o desafio do gestor é reter o profissional para que ele se mantenha na empresa, lembrando que as pessoas que tem este perfil são disputadas por empresas concorrentes. O líder deve manter esta pessoa por meio de promoção, aumento de salário e bônus, além de lhe atribuir responsabilidades e recompensa pelos resultados. É fundamental que o colaborador se sinta valorizado pela companhia, para que possa desempenhar suas atividades explorando todo seu potencial.

Ambicioso

O colaborador que deseja crescer na empresa e para isso tenta melhorar seus resultados, deve ser visto como benéfico para a companhia. Porém, aqueles que usam de métodos pouco éticos para escalar posições mais altas na hierarquia são perigosos e devem ser reprimidos, pois em cargos importantes por exemplo, podem causar conflitos com outros bons funcionários que estão abaixo dele em sua hierarquia, causando danos para a empresa buscando benefício individual.

Como saber qual o perfil de cada profissional?

Para saber o perfil de uma pessoa, antes mesmo de contratá-la, existem diversos modos, sendo um deles já mesmo na hora da entrevista, utilizando perguntas específicas em relação ao trabalho ou até mesmo com avaliações psicológicas durante o treinamento, por exemplo.

A avaliação psicológica é um procedimento que visa avaliar, no sentido de analisar, compreender e esclarecer a dinâmica dos processos psicológicos representativos de um indivíduo. O objetivo maior é o de conhecer o potencial de cada pessoa, suas competências individuais e, para isso, o teste psicológico ainda é o melhor instrumento de que se dispõe, pois, além de resultar em dados confiáveis, já que suas características psicométricas são comprovadas cientificamente, ele permite que o psicólogo tenha uma visão total da pessoa e consiga definir quais são as suas competências ou características mais vantajosas, e também aquelas em que precisaria investir um pouco mais.

Em um processo de seleção, tais informações permitem ao psicólogo indicar com maior segurança pessoas para cargos específicos e orientar as lideranças sobre como lidar com seus colaboradores e no que efetivamente investir para obter maior desenvolvimento e melhores resultados. Da mesma forma, em treinamento e desenvolvimento, uma avaliação psicológica traz subsídios suficientes para que um programa seja encaminhado considerando as especificidades individuais e de grupos, podendo até com isso gerar um redirecionamento das estratégias adotadas.

Realizando este tipo de teste e avaliação é possível saber qual profissional mais se adapta à sua empresa. Em tempos de crise essa pode ser a principal meta das empresas, buscando encontrar profissionais que realmente estejam engajados com o trabalho, que possam apresentar resultados em curto prazo e que sejam um diferencial dentro do ambiente corporativo.

Porém, muitas vezes, conseguir um profissional com esses requisitos é difícil.

O colaborador que não está motivado, acaba perdendo o desejo de contribuir com a empresa. Quando isso ocorre boa parte do seu tempo de trabalho acaba sendo desperdiçado.

Como exemplo, temos os profissionais que ficam o dia todo na internet em atividades pessoais, acessando as redes sociais e aplicativos de mensagens, sem realizar nenhum tipo de atividade relacionada ao trabalho.

Como nem sempre os gestores conseguem acompanhar as atividades da equipe, em muitos casos os colaboradores acabam utilizando a internet para uso pessoal.

Situações como essa se tornam um problema tanto para o empregado, que pode perder oportunidades por não conseguir se comportar como um profissional comprometido e que gera resultados, quanto para o empregador, que acaba investindo tempo e dinheiro em colaboradores que não estão acrescentando à empresa.

Então, como proceder em relação ao uso indevido da internet e smartphones no trabalho?

Apesar da empresa possuir o direito de tomar conhecimento das atividades no ambiente de trabalho, existem questões delicadas envolvidas nesse assunto. O monitoramento pode esbarrar no direito constitucional de privacidade e sigilo de correspondência. É necessário que se informe aos colaboradores a existência de ferramentas de monitoramento, estabelecendo-se também claros limites de uso, baseados em direitos e deveres. Portanto, as regras devem sempre estar visíveis para que os colaboradores saibam que estão sendo monitorados no uso da internet e em seu ambiente, caso houver câmeras de filmagem por exemplo.

Assim, quando descoberto o mau uso da internet ou de equipamentos dentro da empresa, cabe ao gestor o bom senso de proceder de maneira a evitar que a má conduta se repita e para tal, não basta punição, recomenda-se, em  primeiro momento, um contato objetivo e pontual com o colaborador para discutir a ocorrência e eventual advertência.

Gestão e controle do acesso à internet da empresa

Uma das soluções, caso a sua empresa esteja passando por uma situação como as citadas acima, é  implementar um sistema de gestão e controle do acesso à internet da empresa, e então monitorar e fiscalizar a sua equipe de forma mais precisa, para saber quem realmente está focado em somar na empresa e diferenciar daqueles que estão somente ocupando espaço e consumindo recursos no ambiente corporativo.

A empresa também deve disponibilizar aos seus colaboradores, um documento sobre a política do uso da internet na empresa, para informar e dar ciência aos colaboradores sobre a política de uso da internet no ambiente de trabalho da empresa, para assegurar o uso adequado da Internet e recursos de tecnologia por parte do colaborador.

O uso inadequado da internet pode gerar significativo impacto sobre os negócios e a reputação das empresas, com reflexo direto sobre os clientes, resultados financeiros e ainda poderá trazer problemas jurídicos para as corporações.

Da mesma forma, são legítimas as preocupações com mensagens, redes sociais, jogos, pornografia, e muitos outros, que sobrecarregam a rede e geram desperdício de tempo durante o trabalho.

Se sua empresa possui essa preocupação com o desperdício de tempo da equipe e a má utilização da internet pelos colaboradores, o Lumiun Box pode ajudar sua empresa a resolver esse problema. Além de proteger a sua rede contra ameaças e sites nocivos, é possível controlar o que cada colaborador acessa na internet e ter relatórios detalhados sobre o uso da rede, tudo de forma simples, prática e acessível. Conheça mais sobre a ferramenta solicitando uma demonstração do sistema ou entre em contato com um de nossos consultores.

Posts Relacionados