5 qualidades que toda equipe de sucesso deve ter para obter resultados

Gerar resultados satisfatórios  é um problema na sua empresa?

Saiba que essa é a dificuldade de muitas empresas e gestores, pois para que uma empresa consiga gerar resultados é necessário que uma equipe de sucesso e bem estruturada esteja por trás do desenvolvimento da empresa.

Colaboradores que buscam crescimento e visibilidade no mercado que atuam são primordiais para formular uma equipe de sucesso, que atenda às expectativas da empresa e possa render frutos.

Hoje em dia não é tão simples conseguir formular uma equipe de sucesso, com atitudes que enriquecem o ambiente de trabalho, pois muitos colaboradores mostram-se despreocupados com a situação da empresa, quando não abrange o seu setor.

Porém, hoje com a grande competitividade que existe no mercado de trabalho, não basta somente ser bom, é preciso ser o melhor para se destacar como profissional e ser reconhecido em meio a tanta concorrência.

Dessa forma, é importante que os colaboradores estejam preocupados com toda a empresa, isso porque pensar no coletivo e em como a equipe está posicionada ajuda a melhorar a qualidade da empresa, aumentar vendas, qualificar o atendimento ao cliente e criar novos serviços cada vez melhores.

Com base nesse objetivo, elencamos 5 qualidades primordiais, que toda equipe de sucesso deve ter. Descubra quais são agora mesmo:

1. Para montar uma equipe de sucesso os colaboradores devem ser flexíveis

Flexibilidade é uma grande característica e auxilia quando o trabalho é realizado no coletivo, pois para formular alguma estratégia de venda, por exemplo, os colaboradores precisam pensar, analisar o mercado e definir o que se busca como resultados.

Nesse sentido, como cada pessoa possui uma opinião e visão sobre determinado assunto, o importante é ser flexível para conseguir entender a opinião e sugestão do outro, pois dessa maneira consegue se estabelecer um diálogo saudável para debater estratégias com foco em resultados.

2. Quando busca-se resultados é essencial ter iniciativa

Iniciativa precisa estar presente em uma equipe de sucesso, porque permite criar coisas novas, personalizar o atendimento e ir em busca de melhorias para manter a competitividade.

Uma equipe que não tem iniciativa acaba por seguir uma rotina igual durante anos, e como as mudanças acontecem diariamente, a empresa fica atrasada e não consegue um bom posicionamento no mercado.

Além disso, é importante que o colaborador saiba que a iniciativa parte dele, que ele precisa mostrar que está interessado em determinado assunto dentro da empresa, pois dessa forma o gestor consegue auxiliar orientando o colaborador sobre o melhor caminho em busca de elaborar ações em prol do crescimento da empresa.

3. Sem criatividade é impossível gerar novas ideias

Criatividade é uma grande qualidade e indispensável quando busca-se aumentar a lucratividade, conquistar espaço no mercado e manter a empresa competitiva. A partir do exercício da criatividade é possível sair de situações difíceis e conseguir posicionar a sua marca ou empresa de forma diferenciada.

A criatividade está presente em todas as pessoas, porém algumas desenvolvem mais facilmente que as outras, e nesses casos é importante que o gestor incentive ações que possibilitem a utilização da criatividade.

É primordial também oferecer ao colaborador a chance de expor as suas ideias e disponibilizar espaço para executá-las, caso seja viável e uma proposta interessante para a empresa.

Atualmente percebe-se uma grande necessidade de mais profissionais criativos, que saibam sair da mesmice e pensar em coisas novas.

4. Motivação é peça chave no crescimento

Motivação faz com que o colaborador tenha vontade de desempenhar as suas funções da melhor maneira possível. Quando um colaborador não é motivado ele não tem vontade de trabalhar, gerar lucratividade e de crescer como profissional e auxiliar para o crescimento da empresa.

Muitas vezes um funcionário desmotivado ainda pode causar problemas maiores dentro do ambiente corporativo, como por exemplo incentivar o desperdício de tempo, baixa produtividade e até mesmo pode atrapalhar os demais colaboradores no desempenho de suas funções.

Se você gestor percebe que a sua equipe ou algum colaborador apresenta grande desmotivação, o importante é chamar para uma conversa de forma a entender melhor a situação e o porque de estar acontecendo isso.

Pode ser apenas um momento de desmotivação, se essa for a situação, percebendo que o colaborador sempre rendeu dentro da empresa, é interessante manter o funcionário e incentivar ele, falar sobre a importância dele se manter focado.

Caso seja um colaborador que fica o dia todo utilizando redes sociais, celular ou só conversando, é interessante ter uma conversa mais complexa e em alguns casos a única opção é demitir, pelo bem da sua equipe e empresa.

5. Evolução garante uma equipe de sucesso

Evolução não é mais uma qualidade, hoje todos os funcionários devem ter o DNA da evolução dentro de si, pois é necessário para conseguir posicionar-se com maestria em um mercado cada vez mais concorrido e que novas tecnologias chegam diariamente.

Evoluir desde adquirir conhecimentos, assumir novos papéis dentro da empresa até buscar especializações na sua área de atuação, que possam atualizar os seus conhecimentos. É primordial que os funcionários não fiquem acomodados dentro da empresa somente com a graduação ou curso que realizaram, pois conforme o tempo passa, evoluir torna-se imprescindível!

 

Se você é gestor e quer ter uma equipe de sucesso, mostre essas dicas para a sua equipe e conversem sobre melhorar alguns pontos citados, quando necessário. Porém, se você é colaborador e deseja se tornar um profissional incrível, essas dicas de qualidades também são pra você.

Começa a melhorar ou atribuir essas qualidades para a sua vida profissional e melhore os resultados da empresa!

 

 

Uso indevido do celular no trabalho pode causar demissão por justa causa

Você sabia que o uso indevido do celular no ambiente de trabalho pode causar uma demissão por justa causa?

Para os profissionais que utilizam constantemente o celular no ambiente de trabalho, é importante saber que esse uso exagerado pode colocar em risco o seu emprego.

Atualmente, a Justiça do Trabalho entende que as empresas podem demitir o colaborador que faz uso indevido do aparelho celular e de aplicativos como WhatsApp, Facebook, Instagram, Twitter e vários outros serviços nos smartphones, durante o expediente.

Nesses casos, inclusive, a demissão pode ser por justa causa, fazendo com que o empregado perca acesso a vários direitos trabalhistas, como a multa do Fundo de Garantia. Além disso, essa demissão também prejudica a imagem do profissional no mercado de trabalho.

Para o Judiciário, as empresas têm respaldo jurídico e legal para controlar ou mesmo proibir o uso de aparelhos celulares no ambiente de trabalho, da mesma forma que podem controlar o uso da Internet dos seus colaboradores, desde que exista a ciência desse controle por parte dos colaboradores da empresa.

Segundo o advogado especialista em direito e processos do trabalho, Guilherme Neuenschwander, caso não esteja expressamente escrito que é proibido, o que vale nessa instância é a lei trabalhista. “A lei trabalhista tem a possibilidade de aplicar medidas coercitivas no ambiente de trabalho quando houver abuso de direito. A chave é o profissional não deixar o celular atrapalhar a produtividade, tendo em mente que foi contratado para exercer tarefas específicas e que precisa cumpri-las”, esclarece o advogado.

Legislação, direitos e uso indevido do celular

O uso indevido de celulares ou da internet é capaz de configurar desvio de conduta profissional. Isso faz com que as empresas tenham o direito de impedir que o colaborador faça ligações ou acesse aplicativos do celular durante o horário de trabalho. Porém, não podem proibir o uso em casos de doença na família do colaborador.

Em decisão recente, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) não concedeu indenização a um profissional que teve a mão esmagada por uma “prensa” ao tentar pegar o aparelho celular que deixou cair no equipamento. Na decisão, a relatora do processo considerou que o empregado agiu de forma imprudente.

Em outro caso julgado pelo TST, um operador de telemarketing teve a demissão por justa causa mantida por insubordinação e indisciplina ao usar o celular no trabalho, o que era proibido pela empresa onde trabalhava.

Os profissionais devem entender que existem funções e atividades incompatíveis com a mobilidade e o desvio de atenção derivado do uso do celular.

Por exemplo, um trabalhador não deve operar uma máquina industrial e falar ao telefone, ou ainda usar a internet ou celular durante a realização de atividades que exijam concentração e sejam relevantes aos resultados da empresa.

Do lado das empresas, os gestores devem primeiramente formalizar e deixar as regras transparentes para todos os colaboradores em um documento específico, como esse modelo de documento sobre política de uso da internet e celulares nas empresas. Há também um modelo de documento específico sobre a política de uso do celular na empresa.

Caso os colaboradores não cumpram as regras, o ideal é aplicar advertências e penalidades, a demissão deve ser a última alternativa, somente quando os profissionais não quiserem aceitar ou cumprir as determinações impostas pela empresa.

No Brasil ainda não existem leis específicas sobre o uso do celular e da internet no trabalho, mas a Justiça entende que no ambiente corporativo, o tempo dos colaboradores deve se restringir a atividades relacionadas ao trabalho e vinculadas à empresa.

Com isso, qualquer atividade pessoal pode ser considerada desvio de conduta. Portanto, é coerente aos profissionais respeitar as regras da empresa com o objetivo de manter e aumentar a produtividade da equipe e evitar demissões.

Dessa forma, entendemos que as organizações têm liberdade e autonomia quanto a restringir o uso do celular e sobre a política de uso dos aparelhos e da internet no trabalho.

Mas independente de qual seja essa política da empresa, o profissional deve ter critérios e prezar pelo seu bom desempenho profissional, evitando o uso exagerado do celular e seus aplicativos, mantendo assim a sua boa produtividade e levando à empresa melhores resultados.

Devo proibir o uso do celular na minha empresa?

Estamos em pleno século 21, onde a grande maioria da população possui um aparelho móvel com internet e acesso à redes sociais, entretenimento, informações e muito mais. Porém, nem todas as pessoas sabem fazer uma utilização correta dessa tecnologia, principalmente se tratando do ambiente corporativo.

Assuntos de cunho pessoal, conversas aleatórias, muitas vezes acabam parando dentro da sua empresa e isso faz com que o tempo dos colaboradores seja desperdiçado e as tarefas trabalhistas fiquem em segundo plano.

Se você percebeu que na sua empresa essa dispersão existe, os profissionais estão desmotivados e não conseguem se focar e uma atividade por causa do uso do celular, é de grande relevância que você estabeleça regras de utilização ou até mesmo a proibição, visando maior produtividade.

No entanto, você também pode utilizar uma ferramenta de gestão de internet, que auxilia para que os colaboradores não tenham um acesso completo à internet no celular, e sim conforme forem estabelecidas as permissões de acesso por você, gestor.

Como restringir o uso da internet e celulares

Antes de tudo, gestores e colaboradores devem ter bom senso e buscar o equilíbrio. É possível definir restrições e ao mesmo tempo permitir alguns serviços e horários em que os colaboradores possam realizar atividades pessoais importantes na internet, evitando assim o uso indevido do celular e uma possível demissão.

Mas é imprescindível saber que a legislação reserva às organizações o direito de monitorar, restringir e criar regras para evitar a perda de produtividade dos seus colaboradores.

Ao aplicar qualquer tipo de controle, é necessário que a empresa informe o colaborador, formalizando esse procedimento através de um documento que descreva a política de uso da internet e celulares na empresa, o que comprova a ciência do colaborador.

Além de restringir o uso e acesso ao celular, é possível implementar regras e controlar os aplicativos usados, utilizando serviços de gerenciamento do uso da Internet, como o Lumiun.

 

E na sua empresa, de que forma é encarado o uso do celular e da internet pelos colaboradores? Compartilhe sua experiência e opinião nos comentários.

Boas práticas para uso do celular no ambiente de trabalho

A utilização de dispositivos móveis durante o trabalho é uma prática comum para grande maioria dos profissionais e também para os gestores de equipes e empresas. O problema é que essa prática na maioria das situações compromete o foco e produtividade dos profissionais, além de poder criar inconveniências no ambiente de trabalho, se o colaborador não fizer uso adequado do seu celular ou tablet.

Mas o que é certo e o que é errado em relação ao uso de celulares nas empresas? 

Cabe aos gestores e responsáveis na empresa definirem regras em relação ao uso dos aparelhos, por exemplo: quais os tipos de aplicativos podem ser acessados e em quais horários, definir intervalos para uso de aplicativos de redes sociais, comunicadores e atividades pessoais no celular ou ainda definir em que situações esses tipos de atividades podem ser realizadas. Já falamos aqui no blog como criar um manual de ética e bom uso dos recursos de tecnologia no ambiente de trabalho.

Independente das regras e orientações da empresa, você como profissional deve evitar que o uso constante do celular prejudique o desempenho de suas atividades e principalmente, evitar situações desagradáveis como sons e alertas constantes, ouvir áudios em reuniões ou em meio aos colegas.

Para auxiliar você a evitar esses inconvenientes e principalmente não deixar que o celular prejudique suas atividades e produtividade no trabalho em relação a equipe, listamos algumas boas práticas quanto ao uso dos dispositivos móveis no ambiente de trabalho:

Mantenha o aparelho sempre no silencioso

Essa prática é obrigatória pra evitar sons constantes que venham a atrapalhar a sua concentração e dos seus colegas ou ainda criar aquela situação desagradável em uma reunião ou eventos.

Desative notificações de aplicativos

Com todos aplicativos instalados nos smartphones a exibição de alertas se torna constante, são notificações das redes sociais, mensagens de amigos no WhatsApp e outros comunicadores, novos seguidores no Instagram, mensagens na caixa de e-mail e muito mais. Cada notificação ou alerta exibido no seu celular, irá chamar a sua atenção e fazer com que você deixe de fazer a atividade do trabalho que estava fazendo para verificar as novidades. A frequência dessas interrupções é sem dúvida a maior vilã da sua produtividade.

Portanto, para que você mesmo não se prejudique em relação a equipe e não deixe de perder o foco incontáveis vezes ao longo do dia, desative notificações e alertas de todos aplicativos que não possuem relação com o trabalho, como redes sociais, comunicadores, aplicativos de compras, finanças, jogos e outros mais.

Defina regras para uso do celular e seus aplicativos

Usar melhor o celular no trabalho não quer dizer que você não deva usá-lo. Portanto, o melhor é você mesmo criar algumas regras básicas de como deve se comportar e quando irá acessar suas redes sociais e verificar novas mensagens.

Que tal estabelecer horários de intervalo ao longo do dia, por exemplo uma pausa de 20 minutos as 10:00 e as 16:00 horas. Ao estabelecer essas regras, o importante é ter autocontrole e utilizar o celular somente nos horários pré-estabelecidos, com o tempo isso irá se tornar um hábito e você não sentirá falta de pegar o celular a cada instante.

Em boa parte das empresas, os próprios gestores definem normas para utilização dos dispositivos móveis, inclusive com controle e limitações a partir de serviços de controle do uso da internet. Se esse for o seu caso, não deixe de seguir as orientações da empresa.

Atenção em reuniões e eventos

Em eventos onde existem mais pessoas envolvidas como reuniões, o uso inadequado pode causar problemas para todos os participantes. Por isso, evite deixar o celular a vista de todos e muito menos ficar acessando redes sociais, conversando com contatos ou qualquer outra atividade que tire o seu foco. Se você for o gestor ou responsável pela reunião, a atenção deve ser redobrada, pois se você não dar exemplo, não poderá cobrar dos demais o comportamento adequado.

Imagine uma reunião de vendas ou almoço de negócios, você como parte interessada na venda ou na negociação, deixar a atenção em seu cliente para prestar atenção em algo no seu smartphone como um amigo que lhe mandou uma mensagem sobre o próximo final de semana, com certeza esse tipo de comportamento irá prejudicar a negociação.

Claro que em algumas situações é necessário usar o aparelho, nesse caso peça licença dos demais e utilize o aparelho de forma discreta, se for uma conversa o ideal é se afastar ou até mesmo se retirar do ambiente para não atrapalhar o andamento da reunião ou da conversa entre os participantes.

Postura, educação e bom senso

Você como profissional ou gestor, precisa considerar que em todo o tempo e em cada comportamento, você pode estar influenciando e afetando os demais colegas de trabalho. Então evite conversas pessoais em horário de trabalho e ao usar o celular, mantenha sempre uma boa postura e não utilize termos de linguagem impróprios. Por exemplo, mesmo que esteja conversando com um amigo, não esqueça que você está em um ambiente corporativo, então evite palavras inadequadas com apelidos, xingamentos e afins.

Mesmo em conversa de trabalho com clientes, mantenha um tom de voz adequado, que não atrapalhe os colegas e também utilize um linguajar mais formal, além de manter sempre uma postura adequada. Você pode até caminhar na sala ao telefone, mas ficar falando com um cliente em voz alta e com os pés sobre a mesa com certeza não irá causar uma boa impressão para os colegas.

Não compartilhe mensagens ou conteúdo impróprio entre os colegas de trabalho

Imagino que você participe de grupos de conversa do seu setor ou da empresa no WhatsApp, Facebook ou outros serviços.

Para garantir que seus colegas não tenham uma impressão errada do seu perfil, evite compartilhar conteúdos inadequados como pornografia, imagens de violência, mensagens de ódio e outros tantos tipos de conteúdo sem relação com o trabalho. Também evite debates de assuntos polêmicos como política ou preferências sexuais, pois nem todos podem pensar como você ou terem os mesmos ideais e preferências e as vezes a sua opinião pode ofender os que pensam diferente de você, o que irá prejudicar o seu relacionamento com os colegas no ambiente de trabalho.

Cuidado com áudios e vídeos no celular

Essa é uma recomendação óbvia, mas que muitos deixam de seguir e acabam passando por situações desagradáveis. Então, NUNCA abra um vídeo ou áudio em ambientes de trabalho, eventos, reuniões e locais onde há mais pessoas, como bancos e locais públicos. Como você desconhece o conteúdo do áudio ou vídeo, é possível que esse não seja adequado ao momento.

Novamente, você não precisa deixar de utilizar seu smartphone no trabalho, mas não deixe que ele prejudique a sua imagem e o desempenho das suas atividades. Para isso basta usar os aparelhos de forma objetiva e prática, mas não como alternativa ou refúgio para você deixar de fazer o que precisa e sabe que deve fazer.

Em seu ambiente de trabalho, não só no uso do celular, mas em qualquer atividade que envolva colegas e clientes, é sempre preferencial exagerar pela formalidade e educação do que o contrário.

O mais importante é você ter em mente que, como profissional, seu objetivo no ambiente de trabalho deve ser manter o foco e ser produtivo, contribuindo com os resultados da equipe e do negócio. O maior prejudicado quando você não utilizar o celular ou demais recursos de tecnologia de forma adequada, será você mesmo.

Ranking de velocidade de internet coloca o Brasil abaixo da 70º posição

A empresa Speedtest, conhecida pelo serviço de avaliação de velocidade de internet para computadores e dispositivos móveis, mantém o ranking mundial de velocidade de internet fixa e móvel, chamado Speedtest Global Index.

Atualizado mensalmente, o ranking avalia bilhões de testes de velocidade de rede realizados por usuários em todo o mundo, tanto em computadores como em smartphones.

Internet no Brasil

Os resultados para o Brasil são desanimadores, o que já é esperado devido à carência de infraestrutura e a falta de incentivo de governos e instituições para melhorias na internet em todo país.

Considerando o ranking de julho de 2017, para internet fixa o Brasil ocupa o 72º lugar, com média para download de 16.42 MBs, ficando atrás de países como Porto Rico (46), Uruguai (58), Mongólia (59) e Armênia (68). Na internet fixa o resultado é ainda pior, onde ocupamos o 76º lugar, com média de download de 14.91 MBs, atrás de Equador (64), Peru (71) e Irã (74).

velocidade-internet-brasil
Média de velocidade de internet fixa e móvel no Brasil (julho de 2017).

Internet móvel

Os países com melhor conexão de internet móvel são: Noruega com média de velocidade de download em 52.49 MBs, Holanda com 46.94 MBs e Hungria com 46.24 MBs.

velocidade-internet-movel
Ranking de países com melhor velocidade de internet móvel (julho de 2017)

Internet fixa

Para a internet fixa, outros países se destacam, em primeiro Singapura com uma velocidade média de conexão de 154.38 MBs, em segundo Coréia do Sul com 125.69 MBs e terceiro Hong Kong com 117.21 MBs.

velocidade-internet-fixa
Ranking de países com melhor velocidade de internet fixa (julho de 2017)

 

Como os dados do ranking mostram, infelizmente ainda temos muito que evoluir quanto a qualidade de internet no Brasil. Primeiro investindo em melhor infraestrutura de comunicação e redes e depois em incentivos para as empresas e provedores investirem na oferta de melhores serviços de conectividade para empresas e residências.

11 dicas para reduzir o desperdício de tempo nas redes sociais durante o trabalho

O acesso irrestrito às redes sociais durante o trabalho é um tema polêmico e exige uma análise completa do cenário de trabalho em cada empresa e das atividades desempenhadas pelos profissionais.

A definição da política da empresa em relação ao uso das redes sociais no trabalho cabe aos gestores, considerando os benefícios e contras da gestão do uso da internet. Para auxiliar nessa análise sugiro a leitura dos artigos abaixo:

Independente da política adotada na sua empresa, é importante que você, como profissional, entenda que o acesso constante às redes sociais durante o trabalho compromete o foco e a realização das tarefas, onde o mais prejudicado é você mesmo como profissional, que deixa de ser produtiva e acaba não entregando os resultados que poderia. No médio prazo um comportamento irresponsável em relação a isso, pode comprometer seu crescimento na empresa ou até mesmo seu emprego.

Portanto, para seu próprio benefício, é recomendado responsabilidade ao acessar suas redes sociais no trabalho. Para isso é necessário comprometimento com as responsabilidades na empresa e disciplina.

Para auxiliar, listamos 10 dicas simples que vão lhe auxiliar a manter o foco no trabalho e se tornar mais produtivo:

1 – Utilize apenas redes sociais relevantes

A cada dia surgem novas redes sociais e cada uma pode atrair sua atenção de formas diferentes. Antes de ingressar em qualquer rede, avalie a relevância pra você, se você possui amigos ou contatos e qual o propósito de participar de mais uma rede social.

Na dúvida, deixe de participar e busque estar apenas nas redes mais conhecidas como Facebook, LinkedIn, Twitter e Instagram, pois somente essas quatro citadas já podem tomar muita atenção do seu tempo durante seu dia.

2 – Desative notificações por e-mail

Todas redes sociais permitem configurar o recebimento de notificações por e-mail. O recomendado é desativar todos os tipos de notificação, já que dificilmente você vai controlar a curiosidade em saber porque foi marcado em uma imagem ou comentário de algum amigo.

3 – Desative notificações na tela do seu smartphone

Hoje em dia a grande maioria dos usuários de redes sociais acessa seu perfil no celular. Por padrão os aplicativos costumam gerar alertas de qualquer atividade que acontece relacionada ao seu perfil. Esses alertas com certeza irão despertar sua curiosidade e levar a acessar seu perfil.

Para evitar essas distrações, configure os aplicativos do seu celular para não gerar alertas na tela do celular. Essa dica vale inclusive para outros aplicativos que não tenham relação com seu trabalho.

4 – Mantenha seu celular longe do alcance da sua mão

Com o acesso rápido e fácil pelo smartphone, os usuários acabam desenvolvendo o hábito (vício em alguns casos) de constantemente visualizar o celular e acessar alguma rede sociais para verificar as novidades da sua timeline.

Pra evitar que esse hábito se desenvolva, mantenha seu celular guardado em uma gaveta ou na sua mochila. Ao alcance apenas de ouvir no caso de alguma ligação.

5 – Defina horários para acessar sua rede social

Você na precisa deixar de acessar seu perfil, mas faça isso em horário pré-definidos. O ideal é que seja em horários de intervalo durante os turnos de trabalho, 20 minutos em cada turno é mais que suficiente para acessar seu perfil.

Essa dica também é válida para empresas que controlam o acesso durante o trabalho, liberar o acesso em alguns intervalos pode ser interessante pra descanso dos colaboradores.

6 – Determine seu objetivo em cada rede social

Estar nas redes sociais não pode ser apenas para ver novidades em sua linha do tempo, é fundamental ter um propósito para manter seu perfil ativo e acessar com frequência.

Por isso você precisa entender o propósito das redes, algumas como o Facebook e Instagram podem ser para companhar amigos e saber de novidades do marcas do seu interesse, outras como o LinkedIn devem ser usadas para relacionamentos profissionais e busca de conteúdo.

Quanto mais claro você tiver em relação ao por quê de acessar uma rede social, mais você irá evitar desperdício de tempo com informações irrelevantes, tanto na vida pessoal, como profissional.

7 – Siga apenas pessoas e marcas relevantes

Essa dica complementa o item anterior. Siga seu objetivo definido naquela rede social e acompanhe apenas pessoas relevantes e marcas do seu interesse. Evite seguir qualquer tipo de conteúdo, isso só vai lotar sua linha do tempo de assuntos sem utilidade e causar distração e perda de tempo.

8 – Relevância vale muito mais que quantidade

Da mesma forma que você deve acompanhar apenas conteúdos relevantes. Busque compartilhar apenas informações úteis e relevantes para os que lhe acompanham nas redes, evitando publicações como atividades cotidianas ou comentários inúteis em publicações de outros.

Nesse sentido, bom senso é o mais importante, para evitar discussões que envolvam preferências políticas e de religião, por exemplo.

9 – Utilize gerenciadores de redes sociais

Existem serviços online que permitem o acesso integrado de vários perfis em redes sociais diferentes de forma integrada, facilitando a visualização de conteúdo e publicações.

Uma boa opção de agregador de redes sociais é o HootSuite.

10 – Redes sociais não são “real time”

Entende que redes sociais não necessitam de respostas em tempo real. Você pode esperar para responder o comentário do seu amigo sobre aquela foto do final de semana. Assuntos urgentes e relevantes muito dificilmente virão via redes sociais.

11 – Separe sua vida online da vida offline

Por mais que as redes sociais estejam presentes no nosso cotidiano, é fundamental entender o mais importante é sua vida real. Então não tente criar uma impressão nas redes sociais, diferente do que você é na realidade.

Esse tipo de comportamento pode estar ligado a insatisfação pessoal e serve como “muleta” para aceitarmos fracassos.

Mantenha o foco em seus objetivos pessoais e profissionais, nada é mais importante que isso!

Finalizando nossas dicas, basta entender que as redes sociais vieram pra ficar e você deve fazer uso saudável dessas ferramentas, pra cultivar boas amizades, se manter bem informado e alimentar seus relacionamentos profissionais. Qualquer coisa diferente disso, possivelmente é irrelevante.

Se você tiver mais alguma dica de como se comportar de forma responsável nas redes sociais durante o trabalho, por favor compartilhe nos comentários.

Top 10 artigos mais lidos em 2016

Bom, como todos sabem, o ano está chegando ao fim, por isso separamos 10 artigos mais lidos e que foram populares em 2016 no blog da Lumiun Tecnologia. Você que ainda não leu, não perca tempo e leia. Para você que leu, relembre. Veja a lista do Top 10:

 

1. Uso indevido do celular no trabalho pode causar demissão por justa causa

Para os profissionais que utilizam constantemente o celular no ambiente de trabalho, é importante saber que esse uso exagerado e constante pode colocar em risco o seu emprego. Atualmente, a Justiça do Trabalho entende que empresas podem demitir o colaborador que faz uso indevido do aparelho celular e de aplicativos como WhatsApp, Facebook, Instagram, Twitter e vários outros serviços nos smartphones…

 

2. 4 dicas para aumentar a produtividade no seu escritório de contabilidade

A busca por otimizar recursos, reduzir custos e aumentar a produtividade é uma realidade para as empresas que buscam crescer e se destacar no mercado, o mesmo ocorre com os escritórios de contabilidade, que precisam se diferenciar em um mercado competitivo e acirrado…

 

3. Como lidar com o uso indevido da Internet no ambiente de trabalho

Acessar a internet diariamente se tornou realidade para boa parte dos brasileiros e o universo digital tem cada dia mais importância no cotidiano das pessoas. Não importa a classe social, idade ou estilo, os usuários se conectam e utilizam a internet de diferentes formas, com finalidades pessoais ou profissionais…

 

4. Controle de acesso à internet nas empresas, o que bloquear e o que liberar?

Controlar o acesso à internet durante o trabalho é uma prática comum nas empresas e cada vez mais necessária, considerando os riscos que a internet apresenta em relação a segurança da informação e principalmente o tempo desperdiçado pelos profissionais em atividades não relacionadas ao trabalho, como redes sociais, e-mail pessoal, comunicadores instantâneos, sites de entretenimento e outros…

 

5. Uso indevido da internet no trabalho pode causar demissão por justa causa

Redes sociais, chat, e-mail particular e sites de entretenimento… É comum atualmente o uso da Internet no trabalho para atividades pessoais, o que tem obrigado gestores a implementar medidas de monitoramento que em muitos casos acabam não agradando os colaboradores…

 

6. Veja 17 dicas simples para o uso consciente e seguro da internet

No dia 10 de fevereiro foi comemorado o Dia Mundial da Internet Segura. Para reforçar a importância dessa data, a SaferNet (entidade de proteção e combate a violações dos direitos humanos na internet) criou uma lista com dicas para uso consciente da internet, além de disponibilizar o balanço de sua atuação…

 

7. Como criar um manual de ética e bom uso da Internet no trabalho

Como evitar que a Internet prejudique a produtividade dos colaboradores e das equipes sem ter que privá-los do acesso ao universo digital, tão importante para acompanhar novidades, inovações e fazer contatos? Esse é um dilema que a maioria das organizações e gestores de equipes e TI enfrentam atualmente…

 

8. Em tempos de crise, foco das empresas passa a ser aumento de produtividade!

Os resultados da economia brasileira em 2015 e a expectativa para 2016 e até mesmo para os próximos anos é de redução do consumo e retração da economia. Essa crise é resultado de vários fatores, mas principalmente, é reflexo da instabilidade política e econômica do país…

 

9. Entenda o que é e como o DNS facilita o uso da Internet

O DNS, do inglês Domain Name System (Sistema de Nomes de Domínios), é um serviço hierárquico e distribuído para computadores, serviços ou qualquer recurso conectado à Internet que funciona como um sistema de tradução de nomes de domínios (hosts) para endereços IP…

 

10. Fundamentos de Segurança da Informação para empresas

Em resumo, podemos entender a segurança da informação como a proteção contra o uso ou acesso não autorizado à informação. Considerando que a informação é um dos bens mais valiosos de uma instituição ou empresa, é fundamental reduzir ao máximo os riscos de vazamentos ou perda de dados, fraudes em arquivos ou banco de dados, erros humanos ou operacionais…

 

Esses foram os 10 artigos mais lidos de 2016. Compartilhe conosco qual foi o artigo que você mais gostou neste ano e não perca as postagens do blog e os conteúdos que virão em 2017. Desejamos um ótimo final de ano e próspero ano novo à todos!

Demissão por uso indevido do celular e internet no trabalho e a legislação trabalhista

Em 2016 o celular se tornou o principal meio de acesso à internet no Brasil e objeto indispensável para grande parte da população, onde incluímos nesse grupo grande parte dos profissionais durante o trabalho. Segundo a Anatel, em maio de 2016 o Brasil atingiu o número de 255,23 milhões de linhas ativas para a telefonia móvel, com crescimento de praticamente 80% em relação aos 143 milhões de linhas existentes em 2014.

Além disso, com a evolução da conectividade dos aparelhos com a internet, a principal função dos celulares passou a ser a utilização de serviços via internet, como acesso a e-mail, redes sociais, programas de comunicação instantânea, aplicativos de áudio, vídeo e imagens. Onde os principais que podemos destacar são Facebook, WhatsApp, Messenger, Instagram, Twitter, Skype, Snapchat e vários outros.

Trazendo o tema para o ambiente corporativo da gestão de pessoas e recursos de TI nas empresas, o objetivo do artigo é dimensionar o que os gestores podem/devem fazer para encarar essa situação de uso dos aparelhos celulares e da internet no ambiente de trabalho e o que pode ser feito em casos críticos de desperdício de tempo e queda de produtividade, abordando também algumas questões da legislação trabalhista brasileira a respeito do tema.

O uso do celular pessoal e da internet estão no topo da lista dos 10 hábitos que mais comprometem a produtividade dos profissionais no ambiente de trabalho. Para resolver esse problema são necessárias medidas práticas e complementares, que vão desde uma boa orientação para os colaboradores quanto ao uso dos aparelhos e da internet; acompanhamento de atividades, alcance de metas e entrega de resultados dos colaboradores e equipes; até a utilização de serviços de TI que permitam criar regras do que pode ou não ser acessado na internet pelos colaboradores e gerem relatórios em relação a navegação dentro da rede corporativa da empresa.

Hoje em dia é comum que os profissionais utilizem seu aparelho celular e acessem contas de e-mail ou redes sociais com suas contas pessoais no ambiente de trabalho, o que pode gerar inúmeros problemas para os profissionais como para as empresas. Mesmo essa sendo uma prática comum nas empresas atualmente, não temos na legislação trabalhista brasileira qualquer menção quanto a regras de utilização dos aparelhos ou da internet no ambiente de trabalho e possíveis punições a respeito. Por isso é importante que empresas definam em seu regimento interno diretrizes para balizar a utilização desses recursos, descrevendo o que podem ou não ser acessado, em que circunstâncias é possível a utilização e quais as punições aplicadas aos que descumprirem as regras da empresa. É possível baixar um modelo de documento sobre política de uso da tecnologia em ambientes corporativos, para implementar na sua empresa. Há também um modelo de documento específico sobre a política de uso do celular na empresa.

Nesse contexto, as empresas contam com o amparo da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), onde em seu artigo número 482, estão enumerados os possíveis motivos para demissão por justa causa, sendo a letra “e” a “desídia no desempenho das respectivas funções“. Neste caso, desídia corresponde ao desleixo no cumprimento das funções desenvolvidas. Portanto, ações simples e comuns atualmente, como atender telefonemas, acessar perfil em redes sociais ou mesmo olhar e enviar mensagens via WhatsApp ou Messenger, caracterizam um comportamento negligente e que desvia a atenção necessária que deve existir por parte do colaborador para desempenhar suas atividades pré-estabelecidas na empresa.

Podemos citar vários exemplos de cenários onde o uso do celular ou da internet pode caracterizar falta de compromisso ou desleixo com as atividades desempenhadas, como empresas de telemarketing, onde a atividade exige atenção exclusiva e qualquer distração pode prejudicar o atendimento. Ou ainda escritórios de contabilidade onde a equipe permanece praticamente todo tempo de trabalho desempenhando atividades de atendimento e operações via computador.

Em casos onde o colaborador sofreu alguma advertência e mesmo assim continua a agir reiteradamente, acessando seu celular ou realizando atividades pessoais na internet que geram desperdício de tempo e não desempenho das suas funções, caracteriza-se indisciplina e até mesmo insubordinação. Pontos estes que estão previstos na letra “h” do mesmo artigo 482 da CLT, onde consta “ato de indisciplina ou de insubordinação“. O que também pode resultar em demissão por justa causa do colaborador.

Outros pontos que podem ser amparados pela CLT, abrangem a possibilidade do colaborador divulgar via redes sociais e sistemas de comunicação fotos, vídeos ou mensagens que possam comprometer/abalar a imagem de clientes das empresa ou colegas de trabalho, da mesma forma em casos de divulgação de dados sigilosos de outras empresas que tenha relação comercial com a empresa em questão. Para estes casos temos as alíneas “j” e “k”, que abordam respectivamente “ato lesivo da honra ou da boa fama praticado no serviço contra qualquer pessoa, ou ofensas físicas, nas mesmas condições, salvo em caso de legítima defesa, própria ou de outrem;” e “ato lesivo da honra ou da boa fama ou ofensas físicas praticadas contra o empregador e superiores hierárquicos, salvo em caso de legítima defesa, própria ou de outrem;“.

Por outro lado, temos situações onde as condições de trabalho dos colaboradores estão relacionadas a sua capacidade motora e qualquer falta de atenção pode resultar em acidentes de trabalho. Por exemplo atividades como operação de máquinas, motoristas e outras. Para esses casos, é fortemente recomendado a proibição do uso de aparelhos celulares, já que qualquer acidente pode causar danos físicos e de patrimônio.

A realidade é que estamos passando por um período de grandes mudanças sociais e profissionais, causadas principalmente pelo acesso à informação. Não param de surgir novidades, novas tecnologias, conceitos e ferramentas que impactam o dia a dia dos profissionais e das empresas, mudando totalmente a forma de trabalho. Isso deveria causar algum movimento por parte do Poder Legislativo, principalmente na área trabalhista. O que infelizmente ainda não está ocorrendo no Brasil. Por isso a necessidade de continuar seguindo as normas já existentes, em parte obsoletas, na aplicação e judicialização das leis trabalhistas.

Isso demonstra que o Poder Judiciário tem decidido processos trabalhistas sem normas existentes para tais circunstâncias, como é o caso do uso de celular e internet para atividades pessoais no ambiente de trabalho.  O que gera um arquitetamento jurídico, baseado em princípios constitucionais fundamentais e dos direitos sociais, diferente das normas previstas na Consolidação das Leis Trabalhistas.

Portanto, não há nenhum impedimento quanto a aplicação do direito trabalhista e das normas da CLT em casos relacionados ao uso de tecnologia no trabalho que resultem em prejuízos para a empresa. Porém, em um país onde a legislação é a base em qualquer definição judicial, seria importante haver alterações nas leis trabalhistas, visando atender esses cenários em específico.

E você, o que acha da legislação e do comportamento dos gestores em relação ao uso de aparelhos celulares e da internet no ambiente de trabalho? Como esse tema é abordado na sua empresa?

Celular se torna o principal meio de acesso à internet no Brasil, aponta Cetic.br

Em pesquisa realizada anualmente pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), ligado ao NIC.br, foi constatado que em 2015 os celulares ultrapassaram os computadores como sendo o dispositivo mais utilizado para acesso à internet no Brasil.

Entre os usuários de internet no Brasil, que são 58% da população com 10 anos ou mais, 89% acessam a internet pelo celular, enquanto 65% acessam através de computadores “desktops”, notebook ou tablets. Em 2014 eram 80% dos acessos em computadores e 67% pelos smartphones.

Em 2014, 19% dos usuários de internet acessavam a rede apenas pelo telefone celular, esse número saltou para 35% em 2015. Isso mostra a relevância que os smartphones têm atualmente no cotidiano das pessoas, pois o aparelho centraliza o uso de vários serviços ligados à tecnologia, como acesso ao e-mail, redes sociais, comunicação com amigos, colegas e família, acesso aos sistemas de banco e tantos outros serviços disponíveis através dos dispositivos móveis.

Os dados são da pesquisa TIC  Domicílios 2015, realizada pelo Cetic.br. A pesquisa também mostrou que a proporção de domicílios com acesso à Internet (51%) permaneceram estáveis em relação a 2014 e que entre os domicílios com acesso à Internet, 79% possuíam Wi-Fi em 2015, um crescimento de 13% em relação a 2014.

Em relação ao tipo de conexão utilizada pelos usuários de Internet no celular, 87% conectam via Wi-Fi, ultrapassando o acesso via redes 3G e 4G, que fica em 72%.

Trazendo esses dados para o ambiente corporativo, temos um situação que exige acompanhamento por parte dos gestores, já que o uso do celular no ambiente de trabalho para atividades pessoais pode ocasionar desperdício de tempo dos colaboradores e afetar a produtividade da equipe. Como já falamos aqui no blog, o uso dos smartphones pode consumir até 2 horas por dia dos profissionais no ambiente de trabalho.

Dessa forma, é necessário que as empresas acompanhem o rendimento dos seus colaboradores. Pois em equipes onde o rendimento não é satisfatório, isso pode estar ocorrendo devido ao desperdício de tempo e falta de concentração gerados pelo uso exagerado dos celulares ou outros serviços na internet.

Se esse problema de baixa produtividade e falta de foco dos colaboradores estiver ocorrendo na sua empresa, é importante utilizar soluções que permitem monitorar e até controlar o que é acessado na internet nos smartphones e compudadores conectados à rede da empresa. Outra prática que vem crescendo nas empresas é exigir que os colaboradores mantenham seus celulares guardados e fora do alcance, ficando permitido o uso dos aparelhos somente em situações de urgência. Há um modelo de documento para a política de uso do celular na empresa.

Em conjunto com a TIC  Domicílios 2015, também é realizada a pesquisa TIC Empresas, que busca medir a presença das tecnologias de informação e comunicação nas empresas com 10 ou mais profissionais.

Se quiser saber mais como gerenciar o uso da internet na rede da sua empresa de forma simples e acessível, converse com nossos consultores.

Smartphone consome até 2 horas por dia dos profissionais durante o trabalho

O uso do celular durante o trabalho tem gerado constante debate sobre qual o melhor posicionamento das empresas quanto a essa prática. São inúmeros os contratempos causados entre os colaboradores e gestores, desde o desperdício de tempo e redução na produtividade a demissão por justa causa com ações trabalhistas entre profissional e empresa.

Uma pesquisa realizada pela Universidade Metodista de São Paulo apontou que um em cada cinco profissionais perde até 15 minutos a cada hora no celular durante o horário de trabalho, 25% do tempo. Isso resulta em um desperdício de 2 horas por dia, considerando uma jornada de trabalho de 8 horas diárias. Para calcular o custo para sua empresa com esse tempo perdido, pode ser usada essa ferramenta de cálculo de desperdício de tempo, que permite informar o número de colaboradores e o custo por profissional.

A empresa tem autonomia e o direito de restringir o uso do celular pessoal no ambiente de trabalho, desde que disponibilize outra forma de comunicação para urgências. O colaborador que não segue essas orientações, pode ser notificado e até mesmo demitido por justa causa. Para isso, é necessário que o colaborador esteja ciente das restrições e respectivas punições em caso de não comprimento das regras. A empresa deve elaborar um documento descrevendo as normas quanto ao uso dos aparelhos e as respectivas punições. Baixe aqui um modelo para esse documento.

Para evitar situações desagradáveis e atritos entre as partes, o recomendado é que as empresas tenham orientações claras e elaboradas com coerência. Em contrapartida, os profissionais devem agir com bom senso e controle no uso dos aparelhos, priorizando sempre as atividades da empresa e sua produtividade como profissional.

Produtividade e resultados

O uso do celular no trabalho não gera necessariamente queda na produtividade. Por isso a orientação aos gestores é sempre monitorar a execução das atividades e acompanhar os resultados, o foco deve ser na produção, com definição de metas e objetivos por colaborador e pela equipe. Até mesmo, porque para algumas atividades como vendas e atendimento aos clientes, o celular pode contribuir na execução de algumas atividades.

As empresas devem buscar desenvolver uma cultura saudável e produtiva para o uso dos celulares. Por exemplo, educar os profissionais que a publicação de fotos durante o trabalho, piadas nas redes sociais ou conversas pessoais, podem prejudicar sua atuação, mas ao mesmo tempo mostrar que o uso consciente dos smartphone pode ser usado para o desenvolvimento de contatos e comunicação com clientes. O uso dos aparelhos deve ser focado no benefício coletivo entre empresa e profissionais.

Outro ponto importante é que diretores e líderes devem dar exemplo de bom uso, utilizando os aparelhos somente na execução de tarefas da empresa e para comunicação com a equipe, clientes ou fornecedores.

No caso de utilização do celular para comunicação entre a equipe, como grupos no WhatsApp, é responsabilidade do líder definir as regras, adicionar ou retirar os participantes e chamar a atenção dos que enviam conteúdo inadequado.

Melhor controlar e monitorar do que proibir

Proibir o uso do celular no trabalho é considerado uma medida radical e pouco recomendada. Pois a empresa pode criar uma imagem de uma gestão impositiva, que não considera as necessidades dos funcionários. Podendo até mesmo desmotivar alguns profissionais. A proibição também pode ser considerada abusiva se a empresa não disponibilizar outras formas de contato aos colaboradores.

Novamente, o bom senso e equilíbrio são importantes. Do lado da empresa, o uso dos aparelhos pode ser gerenciado, sendo permitido o uso em alguns horários de intervalo ou com a utilização de ferramentas de controle de acesso como o Lumiun, definindo o que pode ou não ser acessado no aparelho. Além das restrições, essas ferramentas permitem um monitoramento detalhado do que os colaboradores estão acessando, gerando informação que podem ser utilizadas para ajustes nessa política de uso dos aparelhos e até mesmo na tomada de decisão no caso de colaboradores que não cumprem as normas.

Dentro desse gerenciamento também é importante algumas orientações básicas, como exigir que os celulares sejam mantidos na gaveta ou bolsas e sempre no silencioso. O profissionais também podem desativar notificações de aplicativos que podem comprometer o foco e concentração, além de checar novidades somente em horários de intervalo e descanso.

Por fim, como os celulares estão cada vez mais presentes em nosso cotidiano, cabe às empresas e profissionais desenvolverem uma forma consciente de utilização dessa ferramenta tão poderosa, de forma que todas sejam beneficiados.

E na sua empresa, como é tratado o uso do celular no trabalho? Compartilhe sua experiência, citando pontos positivos e negativos da política utilizada na sua empresa.

Ransomware e sequestro de dados: como se proteger

Ransomware é um tipo de ameaça digital que bloqueia o acesso aos seus arquivos e dados, exigindo o pagamento de um resgate para o desbloqueio. É uma forma de extorsão por meio do sequestro de dados. Considerando o crescimento do número de incidentes relacionados a ransomware, é importante que colaboradores e gestores das empresas mantenham-se…

Continuar lendo